18/08/2010

50 anos da Igreja Matriz do Algueirão

No passado fim de semana de 14 e 15 de Agosto comemorou-se os 50 anos da Igreja Matriz do Algueirão, com uma Eucaristia presidida pelo patriarca D. José Policarpo, um Teatro intitulado "O meu Cristo partido" e uma conferencia.

Tudo numa Igreja Renovada, depois de alguns meses de obras. Junto um breve resumo da história da Igreja e da Paroquia, e fotos dos festejos do fim de semana que recolhi do site do Grupo de Jovens da Paroquia de São José.
Foi o Padre Alfredo que apadrinhou o projecto do Arquitecto Amorim, para a construção da Igreja Matriz do Algueirão. A Igreja foi construída num terreno cedido pela câmara em troca de um outro terreno de igual área, pertencente a um paroquiano, o sr. Artur Miranda. O orçamento, que foi requisitado às empresas Alves Ribeiro e Diamantino Tojal, sendo a obra entregue à Alves Ribeiro, teve um valor aproximado de 1.320.000$, desta quantia 500.000$ foram angariados pelos paroquianos através das participações em festas e das esmolas; o estado contribuiu com 470.000$).



A primeira pedra foi colocada a 15 de Agosto de 1959, sendo a cerimónia presidida pelo arcebispo D. Manuel dos Santos Rocha, mais tarde Bispo de Beja.

Através de um processo, em 1961, reconhecido pela Junta, assinado por um número estimado de 600 votantes, deu-se a constituição da freguesia (de que então faziam parte S.Pedro, Algueirão, Mem-Martins, Sacotes, Coutinho Afonso, Santa Maria, Mercês, a Quinta das Mercês até Rio de Mouro, Baratã e o Telhal até Belas) que foi organizada em função da paróquia. Factos que contribuíram para a aprovação do processo deve-se a existirem 6500 pessoas a residir na freguesia e o de esta ter uma corporação de bombeiros própria (que viera de Albarraque). 


A data religiosa da criação ficou assim estabelecida em 1 de Janeiro de 1962, enquanto a data civil ficou estabelecida em 3 ou 4 de Janeiro do mesmo ano com a publicação no diário da república.


Passaram 50 anos... 
Casamentos, Baptizados, velórios... bons e maus momentos ali se viveram...
Penso todos nos orgulhamos de uma Igreja representativa de todos, independentemente da crença religiosa. 
E para quando também a Igreja Matriz de Mem Martins?

 

4 comentários:

  1. Parabéns! Ao longo de 50 anos esse edificio certamente cruzou e marcou as vidas de grande parte da população desta freguesia. Pergunta-se aqui pela futura igreja matriz de mem martins, aproveito para fazer a mesma questão relativamente à das Mercês.

    ResponderEliminar
  2. Muitos Parabéns! Tb apareço numa dessas fotos que pôs no blog. Foi uma festa muito interessante.

    ResponderEliminar
  3. Excelente trabalho de campo!
    Os meus parabens caro Nicolau, continue o trabalho que presta á nossa Freguesia!

    ResponderEliminar
  4. E finalmente voltámos a ouvir o sino... de certo que não deve agradar a todos, mas eu por acaso gosto bastante. Gostaria também de destacar o trabalho magnifico feito pelo nosso amigo "Zé Fanares" na publicação comemorativa dos 50 anos da Igreja. Sempre com um toque de graça em cada história que nos conta.

    ResponderEliminar