17/08/2012

Fábrica da Messa

A "Messa" foi sem dúvida um marco na história de Mem Martins... e basta conversar com as pessoas mais antigas da vila que certamente vai encontrar alguém que trabalhou nesta fábrica. Era sem dúvida uma grandiosa empresa de maquinas de escrever, que acabou por encerrar em 1985.

actual estado da Fábrica - Propriedade da Câmara Municipal de Sintra

A agitação era grande, originada pelos empregados da fabrica (diz-se 1700). Chegou a ser a Fabrica com mais funcionários do Concelho de Sintra. A movimentação de pessoal para o "Bairro das Eiras" era intensa, e todos os dias a sirene tocava às 18h, como sinal do encerramento dos trabalhos.


Autocarro da Carris acidentado com publicidade da Messa


Vários factores deram origem ao final desta industria... que ainda hoje parece ser uma história difícil de contar para muita gente. O que matou esta fabrica? Agitação sindical? Má gestão? Falta de visão no futuro? Turbulência pós 25Abril?

Manifestação de funcionários da Messa


Encontrei na internet, a história de um ex-funcionário da Messa, José Carvalho, conhecido por todos por "Zé da Messa". Um homem que pertenceu à comissão de trabalhadores, e lutou pelos direitos dos trabalhadores.

Abaixo, um pequeno excerto do vídeo sobre o "Zé da Messa", onde de pode ver algumas imagens da antiga fabrica. 


Reportagem completa sobre José Carvalho


Seria certamente um trabalho muito interessante e válido, a recolha de histórias sobre desta grandiosa fábrica... encerrada à quase 30 anos... uma pagina importante da freguesia de Algueirão Mem Martins, e do concelho de Sintra...
Exemplar de uma maquina de escrever construída na Fábrica de Mem Martins


6 comentários:

  1. A principal razão para o fecho da Messa foi a tecnologia. Na altura a olivetti ainda pensou comprar a fábrica e transformá-la numa linha de montagem de computadores, caixas registadoras e balanças de precisão. Mas acabou por ficar em Tarrasa, Barcelona. E assim se perdeu mais uma fábrica. Lembro-me também que a Messa empregava muitos invisuais e tinha grandes preocupações sociais.

    O tema é fascinante e histórico, quem como eu passou da máquina de escrever para o computador percebe, nunca esquecerei o cheiro da tinta das fitas e de ficar com os dedos sujos sempre que a fita prendia, muito pouco prático mas emocionante.

    ResponderEliminar
  2. Foi o meu primeiro emprego, tinha eu 14 anos. Foi muito marcante para mim,
    sai em 1981 e ainda hoje guardo boas recordações.

    ResponderEliminar
  3. Aprendi a escrever numa máquina igual á da foto, sabia da importância que a Messa teve em Mem Martins e em todo o concelho de Sintra, nitidamente tratou-se de um caso de má gestão em que os gestores não souberam adaptar-se ás novas realidades tecnológicas...

    ResponderEliminar
  4. o meu nome e Vitor Santos Trabalhei na Messa desde 1971 ate aos anos 80s um pouco antes do encerramento assisti a construcao do grande edificio de pavilhoes onde se instalou as linhas de montagem que tinham sido transferidas temporariamente para as intalacoes anexas a Duraplas,e que mais tarde deu origem a famosa fabrica PRINTER PORTUGUESA.Em 1972 deu-se a mudanca para as novas instalacoes onde funcionaram ate encerrar a fabrica.Apos tempos conturbados pelas politicas do 25 de Abril comecou o processo de perda de producao pela introducao dos computadores no mescado e tambem pela falha de instalacao da producao dos produtos da Olivetti em favor da vizinha Espanha o que ditou a sentence de morte da empresa que nessa altura ja nao tinha nem metade dos trabalhadores que tinha antes do 25 de abril.Produziam-se alguns modelos comerciais e portateis que eram exportados para os 4 cantos do Mundo sendo que um dos maiores clients eram os Estados Unidos entre Japao,China,Africa do Sul,Autralia,taiwan,Formosa,Indonesia,e outros tantos que agora nao me lembro.Foi uma grande empresa tendo contribuido bastante para o desenvolvimento da Regiao e arredores,sinto um saudade imensa de todo esse passado e todas essas pessoas que apesar de muitas eram como um familia.Quanto as instalacoes foi uma grande pena nao terem sido aproveitadas para outros fins por ex:Uma clinica de emergencia para o Conselho de Sintra porque condicoes nao faltavam.

    ResponderEliminar
  5. bom dia sabe qual o modelo?
    Agradecia se me enviasse para inha1965@gmail.com

    Obrigada

    ResponderEliminar
  6. Londres,08/04/2014
    Olá a todos.
    Ví ontem num programa televisivo, (TVI – Telenovela da tarde – A Outra – numa cena passada num posto policial em Moçambique) uma Máquina de Escrever Messa igual á apresentada, e que despertou logo em mim uma recordação de quase 50 anos, quando trabalhei não na Fábrica em Mem-Martins, mas na oficina de Assistencia e Reparações da Messa em Lisboa , na Av. Almirante Reis 59 –Nos anos de 1966,67,68.
    (Aínda hoje tenho comigo recíbos de vencimento daquela altura). Nesse tempo os modelos eram dois (2) comerciais feitas em Ferro Fundido tiradas do protótipo alemão SIEMAG e duas (2) com caixa aérodinâmica plástica, igual á da imagem cujo modelo é a M1, e a M8, a diferênça era no tamanho do Cilindro (Rolo de borracha comprido ande acenta a folha de papel) 31/62 e o de 81Cm que era usada mais para fazer trabalhos com folhas de papel mais largas ou compridas, ( Mapas Salariais, Balancetes etc ...). e a portátil Messa 2000.
    Aínda hoje recordo o cheiro da gasolina de avião com que lavavamos as Máquinas, e parece-me sentir nos dedos as picadas das ”Tiges” (nome dado aos araminhos – todos de tamanho e forma diferente (quanto ao tamanho e curvaturas) que faziam accionar as “Barras”, peças longas e achatadas com os “Tipos” (letras) na Ponta).
    Pois fiquei muito satisfeito ao recordar essses tempos, através da minha procura no Google.pt por Máquinas de Escrever Messa e apareceu-me esta página á qual fico contente por juntar mais estas palavras, que espero poder elucidar a pergunta anterior, quanto ao modelo da imagem - MESSA M1

    Bem Hajam todos aqueles que honradamente trabalhando, dignificam Portugal!..
    Carlos Rodrigues

    ResponderEliminar