20/10/2008

Portal Clube 500: Angariação de fundos é próximo passo para a concretização do projecto

Após a apresentação pública do portal de solidariedade social e de responsabilidade social das empresas, Clube 500, no dia 14 de Outubro, Médicos do Mundo - Portugal, enquanto promotor, delineia os primeiros passos para a concretização efectiva deste projecto. No próximo dia 1 de Novembro tem lugar o primeiro evento de angariação de fundos para o Clube500 
 
O evento vai ter lugar no Centro Comercial Atrium Chaby, parceiro do Clube500, em Mem Martins, Sintra, a partir das 15 horas do próximo dia 1 de Novembro. 
 
PROGRAMA
 
15h30 - Pintura ao vivo com diversos artistas plásticos (Paz Nóbrega[1], Etrom, Ricardo Reis, Rui Henriques, Gabriel Paixão, David Rodrigues, Téia Roriz, António Sem) 
16h30 - Apresentação do Clube500 por Enrique Mazzarelli, director de gestão de Médicos do Mundo - Portugal
17h - Apresentação da Tuna do Isla
18h - Apresentação da Tuna da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa
20h30 - Tuna da FCSH - UNL
21h - Leilão de quadros dos artistas pintados durante o dia, cujas vendas revertem a favor do Clube500
Todas as lojas do Atrium Chaby vão doar 5% do valor das vendas realizadas no dia 1 de Novembro ao projecto Clube500. Será, ainda, feita a recolha de alimentos e roupas para Médicos do Mundo - Portugal.
 
O portal Clube500 (www.clube500.org), actualmente em construção, põe à disposição de todas as organizações não lucrativas do mundo, independentemente do seu tamanho, uma plataforma onde poderão divulgar os seus projectos solidários, ao mesmo tempo que dá a conhecer aos actores sociais interessados em exercer a responsabilidade social, todos os projectos existentes quer em Portugal quer no resto do mundo, permitindo-lhes exercer solidariedade.
 
"O Clube500 é um instrumento que já existe noutros países mas é uma ideia luminosa e que faz falta ao mundo das ONG e das empresas. Espero que tenha muita adesão, que dê visibilidade a pequenas iniciativas, que contribua para a transparência e a prestação de contas das ONG, mas também das empresas, e para reforçar boas práticas".

Sem comentários:

Enviar um comentário