13/11/2009

CDS-PP rompeu coligação com o PSD em Algueirão-Mem Martins


O CDS-PP rompeu a coligação com o PSD na Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, alegando que a representação do partido no executivo não corresponde ao "valor real das votações na freguesia".

Esta ruptura surge porque o número de lugares do CDS-PP no executivo não corresponde ao número de votos que obtivemos na freguesia de Algueirão-Mem Martins", disse à agência Lusa, o presidente da Assembleia de Freguesia, Maurício Veríssimo (CDS/PP).

O fim da Coligação Mais Sintra surgiu após a tomada de posse do executivo da junta de freguesia, no qual foram nomeados quatro membros do PSD, um do CDS-PP e dois da CDU, que foi convidada pelo presidente da junta, Manuel do Cabo, a assumir pelouros.

"Entendemos que o facto da CDU ter direito a dois lugares no executivo e o CDS-PP só ter um, é uma atitude provocatória do PSD, porque não corresponde ao valor real dos votos", sustentou.

Após a tomada de posse dos membros do executivo, o CDS-PP apresentou uma lista alternativa à mesa da Assembleia de Freguesia (órgão que fiscaliza o executivo), concorrendo contra a lista apresentada pela Coligação Mais Sintra, onde não figurava nenhum membro democrata-cristão.

A Lista encabeçada por Maurício Veríssimo venceu a apresentada pelo PSD.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, considerou que esta "ruptura não é séria", uma vez que ocorreu após a tomada de posse do executivo da junta, que conta com um elemento do CDS-PP.

"A ruptura devia ter-se dado antes da eleição dos membros para o executivo. Considero que há um aproveitamento com essa ruptura pois o CDS-PP quis garantir que tinha um membro no executivo e depois provoca a ruptura para ter alguém na mesa da Assembleia", adiantou.

Algueirão-Mem Martins é a maior junta de freguesia de Portugal com cerca de 120 mil habitantes.

Noticia do Diario de Noticias
http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/Interior.aspx?content_id=1417361&seccao=Sul

3 comentários:

  1. Péssima noticia... Mas de facto só vem confirmar a minha convicção q as juntas de freguesia são um entrave ao desenvolvimento do país... E q infelizmente continuamos a ter representantes medíocres neste órgão de pseudo-gestão. Eu sei q muitos de vós não vai gostar d q vou escrever, mas o pessoal politico das juntas de freguesia costuma ser constituído pelos "cromos lá da terra", mesmo nas grandes cidades.

    ResponderEliminar
  2. E é verdade, são mesmo os "cromos da terra". Mas raramente são cromos brilhantes ou raros. Costumam ser dos cromos que saem repetidos no mesmo pacote.

    ResponderEliminar
  3. Ao menos o DN conseguiu fazer com que o Presidente da Junta se mexesse para lhes responder ao ser contactado... Se ele se mexesse assim para fazer alguma coisa que fosse pela Freguesia...

    ResponderEliminar