01/06/2010

[Diário de Noticias] "Perde-se um dia quando não se tem médico de família"

"Às oito horas da manhã a fila de pessoas à espera para marcar consulta chega desde a entrada do Centro de Saúde de Algueirão, dá duas curvas e chega quase à paragem de autocarro [a 100 metros]." Esta é a imagem que Elísia Pinto recorda quando lhe perguntamos se é difícil ser atendido neste ACES (Agrupamento de Centros de Saúde). Só os centros de saúde da zona de Sintra têm 44 mil utentes sem médico de família.
O "bip" que chama os utentes para serem atendidos soa com alguma celeridade. A tarde passou com alguma calma, uma vez que é de manhã que há a grande enchente no ACES de Algueirão. "Se se quer ser atendido no próprio dia, é preciso vir cedo para tirar a senha", conta ao DN Álvaro Vaz. Encostado à parede do centro de saúde, aguardava que a filha estivesse despachada para se ir embora. "É um dia que se perde a vir aqui. A minha mulher veio de manhã tirar a senha às 11 horas. Fui atendido às 15.30", diz inconformado. "Até aproveitei o facto de estar de férias para não me descontarem um dia de trabalho, que está perdido", atira.

Os utentes do ACES sabem que a situação pode piorar: a reforma de alguns médicos é do conhecimento da maioria: estão previstas duas saídas nos próximos tempos. Em cinco anos foram 16 os médicos que saíram do ACES IX. De lá até agora foi "o engenho e a boa gestão" que ajudaram a resolver o problema, explicou Fernando Santos, director executivo do agrupamento: "Fazem mais turnos e trabalho complementar, depois da hora de fecho do centro e aos fins-de-semana e feriados. Conseguiu-se gerir o problema, inclusive aquando da gripe A."
Já se sabe que vão sair quatro médicos no agrupamento , problema que - espera - será resolvido: "Está a decorrer um concurso para incorporar oito médicos ainda no próximo mês." Estes terão a tarefa de atender um total de 140 mil utentes inscritos, número que Fernando Santos acha que irá baixar devido a inscrições duplas: "Com o cruzamento de dados, espero que o número baixe quatro mil. E já fico contente."

Sem comentários:

Enviar um comentário