20/12/2014

'Chocaram dois comboios perto do Algueirão' [1965]

Noticiava assim o Jornal Diário de Lisboa à 49 anos
[20 de Dezembro 1965]

"Chocaram dois comboios perto do Algueirão, há mortos e feridos (...) O desastre foi presenciado do quartel dos Bombeiros Voluntários de Mem Martins, de onde foi dado o alarme pelo comandante Magalhães Ferreira (Ferraz) (...)."
Pouco passava das 18h00 quando o comboio de passageiros nº 4909 proveniente de Lisboa-Rossio embate violentamente, depois de sair da estação de Algueirão - Mem Martins (na zona do sitio da Portela), numa locomotiva de uma composição de mercadorias que manobrava na mesma via e que tinha saído minutos antes da estação de Sintra.
Segundo relatam os jornais da época resultaram deste acidente 20 vítimas mortais, onde se inclui o maquinista do comboio de passageiros, e um número indeterminado de feridos assistidos maioritariamente no Hospital da Misericórdia de Sintra e no Hospital de São José.
As operações de socorro envolveram meios de vários Corpos de Bombeiros do concelho de Sintra e de concelhos limítrofes; inclusive da cidade de Lisboa (sapadores e voluntários).
Entre outras entidades é de realçar o apoio às operações da GNR de Sintra, da Policia de Viação e Trânsito, da PSP com "Carros Rádio-Patrulhas" e com o envio de Lisboa de diversas Ambulâncias, do então recentemente criado serviço de socorros da PSP - 115, e do exercito com a cedência de projetores de iluminação de grande potência vindos do quartel de Queluz, na altura RAAF.
Os trabalhos prolongaram-se por toda a noite e só pelas 08h45 do dia 21, depois da intervenção da brigada técnica da CP é que foi possível desimpedir a via-férrea dos destroços, possibilitando a circulação de comboios.
Texto: Mário Cinco-Reis
Outras informações já reclhidas e partilhadas neste blog sobre este assunto http://algueirao-memmartins.blogspot.pt/2012/12/acidente-na-linha-de-sintra-1965.html (link)

Fontes / Referencias Bibliográficas: Livro Lx 60, Jornal de Lisboa - Arquivo Fundação Mário Soares, fogohistoria.pt, algueirao-memmartins.blogspot.com
Fotografias: Fogo&História, Arquivo RSB, Arquivo BVAC, Diário de Lisboa

17/12/2014

Sessões fotográficas com recém nascidos

Reportagem 'Correio da Manhã TV' com Nuno Graciano e Maya 
Reportagem com uma sessão fotográfica com recém-nascidos. 
Um serviço personalizado para registar os primeiros dias de vida de um bebé. 
Um projecto nascido em Mem Martins

15/12/2014

13/12/2014

OpiniãoAMM: As Festas de Mem Martins

Texto Hugo Nicolau
(morador em Mem Martins deste sempre, e responsável/criador deste blog 'Algueirão Mem Martins')



As pessoas de Mem Martins, baseadas na dedicação e orgulho da construção da Capela de Nossa Senhora da Natividade, organizaram pela primeira vez as festas em honra da padroeira de Mem Martins, em 1933. Assim, desde esse ano, o primeiro fim-de-semana de setembro tornou-se numa referência para a população local, para os forasteiros de aldeias vizinhas e para os habituais veraneantes que escolhiam Mem Martins como seu local de férias, pois estes ares eram reconhecidos como benéficos para a saúde.

Estas festas tornaram-se numa vaidade para as gentes desta terra, com os seus animados bailes, a habitual iluminação festiva e a procissão bem ornamentada com os andores, os cargos e as fogaças. No último dia, realizavam-se as tradicionais cavalhadas à antiga portuguesa.

Durante a sua história, foram ocorrendo diversas atividades dignas de destaque, como por exemplo em 1939, uma gloriosa Parada Agrícola e Pecuária, com a participação de um grande número de lavradores locais, com carros alegóricos e os seus animais, e com atribuição de prémios aos melhores. Em 1983, na comemoração dos 50 anos, decorreu uma mostra de atividades industriais de Mem Martins e uma noite dedicada a uma das mais antigas tradições da terra, o fabrico de queijadas. Era possível assistir à elaboração da casca, do recheio e posterior ida ao forno, num cenário representativo de uma fábrica do final do Século XIX. No final, ainda quentinhas, eram distribuídas pela população presente na festa.

Misturando o culto religioso com uma festividade pagã, o povo entregava-se ao evento, onde as jovens raparigas locais dedicavam o seu tempo na preparação da habitual quermesse, angariando os prémios porta-a-porta e elaborando as rifas que seriam colocadas nos cestinhos para venda…

Nos dias de hoje, é imperioso imortalizar as tradições, trazendo as pessoas às suas origens, e explicando a todos um pouco da sua história. Por todo o país, adaptam-se festividades e nascem novos eventos de sucesso: “Feira da Cereja”, “Festa do Chocolate”, “Festival da Vindima”, etc…

Aqui deixo a minha sugestão: criação de uma feira temática local, por exemplo “Festa da Queijada”, acompanhado com algum teatro de rua, representativo da vida rural nesta antiga aldeia saloia. Seria interessante criar um símbolo positivo para Mem Martins… 

Reportagem 'Toca a Todos' em Mem Martins


Reportagem 'Toca a Todos' com Rui Pêgo, na estreia da peça de teatro 'Aprendiz de Bobo', na sede do Mem Martins Sport Clube

O “Toca a Todos” é um evento de solidariedade. De 3 a 6 de Dezembro de 2014, a Rádio e Televisão de Portugal acompanha uma emissão de 73 horas, uma missão que convoca Portugal a ajudar na luta contra a Pobreza Infantil.