24/05/2016

A história do horrível crime do Casal da Mata










[Correio da Manhã] Indemnizam famílias por mortes em fogo

Ibrahimmo Valy Ossman, proprietário do lar, também tem de pagar

O Estado e o Instituto de Segurança Social foram condenados pelo Tribunal da Relação de Lisboa a pagar 110 mil euros às famílias de dois dos nove idosos que morreram na sequência de um incêndio num lar, há 16 anos, em Mem Martins, Sintra. Esta indemnização terá ainda que ser suportada solidariamente por Ibrahimmo Valy Ossman, dono do lar. A família de um homem, de 70 anos, irá receber um total de 65 mil euros. Já o filho de uma idosa, de 82 anos, tem direito a 45 mil euros. No acórdão ficou provado que Instituto da Segurança Social sabia que o lar Sagrado Coração de Maria não tinha licença, nem condições, mas que nada foi feito para que os idosos dali fossem retirados. Os juízes desembargadores dizem ainda que o Estado tinha também a obrigação de fiscalizar o funcionamento daquele tipo de espaços. 

"Na verdade, fiscalizando o lar, não podia a Segurança Social desconhecer o perigo que para os respetivos utentes constituía a existência de materiais facilmente combustíveis ao nível do forro, a pintura a tinta de óleo facilmente inflamável que cobria paredes e forro", lê-se no acórdão da Relação de Lisboa, que aumentou 20 mil euros ao valor que tinha sido fixado pelo tribunal de primeira instância. A tragédia ocorreu a 5 de maio de 1999. Um curto-circuito terá originado um incêndio no sótão do edifício, onde os idosos estavam acamados. O processo-crime só chegou a tribunal em 2011 e o proprietário do lar, Ibrahimmo Valy Ossman, foi nessa altura condenado a três anos de pena suspensa. 
http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/indemnizam_familias_por_mortes_em_fogo.html

15/05/2016

OpiniãoAMM: O Centro de Mem Martins está anémico!

Texto Paulo Marques
(comerciante)



Nos últimos anos sente-se Mem Martins a definhar. Qualquer pessoa que se passeie ao fim da tarde e ao fim de semana pelo Centro da Vila, sente um estranho sossego, que não o pode deixar indiferente, assustado e inquietado.

As conversas que se ouvem vão todas nesse sentido. O Centro da Vila está anémico, a morrer lentamente. Os estabelecimentos comerciais de referência e com valor acrescentado vão fechando a um ritmo assustador e o que se diz e ouve, com uma insistência preocupante, é o que mais seguirão.

A esta situação não será alheia a forte perda de população jovem que se tem verificado, a qual se deve a muitos factores: encerramento de muitas industrias, o envelhecimento, desertificação do centro da Vila e a crise económica.  

Os comerciantes de Mem Martins tem uma série reivindicações que será necessário analisar com urgência e discutir profundamente. 

Uma das reivindicações que considero justa e legitima é a criação de parques de estacionamento no centro da Vila e dotar as ruas centrais de parquímetros (com a primeira meia hora gratuita).

A Vila de Algueirão -Mem Martins precisa urgentemente de uma transfusão de vitalidade para diminuir o seu estado anémico e tal só será possível com novas ideias, muito dialogo, equilíbrio de posições e não mais importante com a colaboração de todos.  

Vamos dar Vida à nossa Vila ...........

14/05/2016

Mapeamento de Algueirão Mem Martins no OpenStreetMap


[clica para ampliar]
https://www.openstreetmap.org/#map=16/38.7907/-9.3500

Monte Real - 'Noites de Mem Martins' ft. (Mkid, Tristany Timeold, Maddex) [video]


https://www.facebook.com/MonteRealKPM/

“Noites de Mem Martins”, mais conhecido por noites 122.
São vividas pelo os Monte Real, de uma maneira muito especial e, neste single podem desfrutar dos acontecimentos vivenciados, por nós Monte Real na zona suburbana “A.M.M” em redores de lisboa (Linha de Sintra).
Mkid, Timeold e Maddex protagonizam e dão a cara para falar um pouco da realidade neste lado da cidade.