segunda-feira, 13 de agosto de 2018

[JFAMM] Vencedor Concurso de Poesia

Em Abril, a Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, lançou um concurso de poesia. O tema teria de ser relacionado com a freguesia local e o vencedor veria o seu poema pintado num mural.

Agora, depois de várias candidaturas, o vencedor escolhido foi José Cardoso, de Rio de Mouro.


domingo, 12 de agosto de 2018

As 24 horas a Correr de Mem Martins


As 24 horas a Correr de Mem Martins – Sintra, é uma de corrida de resistência, que se realizará em Mem Martins – Sintra em 05 e 06 de Outubro de 2018, e que será composta por uma corrida de longa duração.
Inseridas no mesmo evento, decorrerão as 12 horas, as 6 horas, e as 3 horas, sendo consideradas igualmente corridas de longa duração.







'Malabaristesfera' no Algueirão

Na Rua dos Morés 69, no Algueirão

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

[Blitz] As rimas sóbrias de Papillon, o rapper que não quer ser igual aos outros, no MEO Sudoeste

Rapper de Mem Martins subiu esta noite ao palco
na Zambujeira do Mar e foi recebido
por uma pequena multidão entusiasta

Com o álbum de estreia a solo, “Deepak Looper”, ainda fresco, Papillon, que o público ficou a conhecer enquanto membro dos GROGnation, subiu esta noite ao palco LG do MEO Sudoeste com a certeza de que tem conseguido atrair uma pequena legião de fãs nos últimos meses. O rapper de Mem Martins não terá ficado desiludido com o que encontrou à sua frente: uma plateia bem composta puxou por ele e apoiou-o ao longo de todo o concerto.

As rimas rápidas e afiadas de ‘Impulso’, a abordagem jazzy de ´1:AM’ e ‘Impasse’, os ambientes ácidos do hino ‘Imbecis / Íman’, a guitarra rasgada e as batidas corridinhas de ‘Impressões’ e a inventividade instrumental de ‘I’m the Money’ (com produção de Lhast) foram argumentos suficientes para que o rapper conseguisse passar a mensagem mais importante que carrega: “eu não sou como toda a gente”. E tem razão, não é. Seguindo um caminho que, neste momento, encontrará maior paralelo com Slow J (responsável por grande parte da produção de “Deepak Looper”), Papillon é um rapper sóbrio, com um discurso coerente e afastado dos lugares-comuns que se vão colando ao hip-hop português.


É um prazer estar aqui a realizar um dos meus sonhos de menino, com vocês”, atirou pouco depois de iniciar a atuação, mantendo-se depois em estreito diálogo com um público que não hesitou na hora de puxar por ele, gritando “Papi” com intenção. “Vocês não sabem o que eu sinto ao sentir esse carinho”, agradece, “sou a prova viva de que podem realizar os vossos sonhos. Achava que não ia chegar a lado nenhum na vida e hoje estou aqui a tocar para vocês”. E algo nos diz que é só o início.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

[Correio da Manhã] Assalta casa de idosa internada em lar e acaba detido a dormir em carro

Ladrão apanhado pela PSP a poucos metros 
do local do crime, em Sintra


Um homem, de 23 anos, foi detido por agentes da PSP de Algueirão, em Sintra, enquanto dormia dentro de um automóvel estacionado a poucos metros de distância da casa de uma idosa, ausente por estar internada num lar, que tinha acabado de assaltar. O furto foi comunicado à PSP pelas 11h30 de domingo, por um familiar da dona do apartamento. O mesmo reportou o desaparecimento de várias garrafas de cerveja, uma mochila, e 100 euros. E foi o denunciante a encontrar o ladrão na posse dos bens furtados, denunciando-o logo à PSP de Algueirão.

Ler mais em: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/assalta-casa-de-idosa-internada-em-lar-e-acaba-detido-a-dormir-em-carro

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Festas de N.Sra da Natividade 2018 [video]


07 Set - 22h

08 Set - 22h

09 Set - 22h

[sintranoticias] Edifício 3 da antiga Fábrica da Messa em Mem Martins em hasta pública

Autarquia de Sintra vai realizar no dia 21 de setembro, 
no Palácio de Valenças em Sintra, 
o ato público de hasta pública 
para alienação do Edifício 3 – Antiga Fábrica da MESSA

A Câmara de Sintra vai realizar no dia 21 de setembro, no Palácio de Valenças em Sintra, o ato público de hasta pública para alienação do Edifício 3 – Antiga Fábrica da MESSA, na rua das Eiras, em Mem Martins, nos termos do Regulamento do Património Imóvel do Município de Sintra.
As peças da Hasta Pública encontram-se para consulta na Divisão de Gestão do Património, sita na Rua Dr. Alfredo Costa, n.º 33, em Sintra, até ao último dia útil anterior ao da realização da praça e no sítio da internet da Câmara de Sintra http://www.cm-sintra.pt/.
As propostas devem ser apresentadas nos termos do ponto 7. das Condições Gerais do Procedimento, pelos concorrentes ou seus representantes legais, no local acima indicado, contra recibo, em invólucro opaco, fechado e lacrado com a identificação do concorrente e a inscrição: “Hasta Pública do Edifício 3 – Antiga Fábrica da MESSA”, até às 17h00 do dia 20 de setembro.

Noticia completa em

[Blitz] A caminho do MEO Sudoeste. Bispo: “Na Zambujeira do Mar vou fazer algo que nunca fiz”


Tem-se afirmado como uma das mais seguidas novas vozes do rap nacional e é uma das presenças confirmadas na edição deste ano do festival da Zambujeira do Mar

O jovem rapper Bispo, da Linha de Sintra, é uma revelação do rap nacional. Recentemente, editou “NÓS2” contando com Deezy (dos Dope Boyz, projeto ligado aos Força Suprema) como convidado. Fica assim marcado o arranque oficial para a edição do seu próximo álbum, o primeiro que irá lançar na Sony Music, e o concerto que prepara para o MEO Sudoeste (dia 9 de agosto, no palco LG) trará, certamente, algumas novidades nesse sentido.


Que tal lhe tem corrido o ano?
Está a correr bem. Para finalizar estes seis meses em que estive na estrada e poucas vezes no estúdio, lancei o som com o Deezy, "NÓS2". E tenho tido um feedback muito bom, mesmo. O people está a gostar e isso para mim é mesmo gratificante. Porque eu gosto do som. Gostei de trabalhar com o Deezy. Para terminar estes seis meses, o "NÓS2" foi um bom brinde. De resto, o álbum está a ser feito. Não estou a dedicar-lhe o tempo que queria, mas das poucas vezes que a gente tem ido a estúdio tem feito cenas fixes. Só falta uma dica ou outra e fazer o vídeo.

O que é que tem preparado para o MEO Sudoeste?
Tenho uma cena diferente: na Zambujeira do Mar vou fazer algo que nunca fiz. Eu gosto de experimentar [risos]. É surpresa [risos], mas vai ser diferente. Isso é garantido. Vou levar convidados. Não quero dizer os nomes, mas sei que vão estar comigo lá a fazer a festa.
Já tinha sido espectador no Meo Sudoeste?

Já! Tenda, concerto, tenda, vais à praia.... É o convívio.

É um festival que dá espaço ao hip-hop...
São mais portas a abrir. São mais oportunidades e é muito bom haver mais hip-hop nos festivais. Este sucesso, na minha opinião, deve-se muito à internet. É uma boa ferramenta. Consegues divulgar mais a tua cena.Também fico feliz pelo Papillon, que é da minha zona e também vai lá pela primeira vez a solo. Gostava de mandar um props para o Papillon. Para além de ter o prazer de atuar no Sudoeste pela segunda vez, também é um prazer ver o Papillon a ir lá. 2725, GROGNation!

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Antiga serraria abandonada

No limite da freguesia, no seguimento da Rua Vasco Santana em Mem Martins, existe um espaço que antigamente funcionava como carpintaria e também como vacaria...
... no entanto o espaço cessou as suas atividades, encontrando-se neste momento como um espaço aparentemente abandonado, com contentores e restos de madeira, junto de edifícios habitacionais... eu diria.... Muito Perigoso...






[Sábado] Miguel Temporário, o prodígio português do muaythai

Reportagem num treino do atleta bicampeão europeu, 
que está prestes a entrar em competição 
no mundial de juniores na Tailândia

É fácil fazer o trocadilho com o apelido de Miguel Temporário e dizer que ele veio para ficar.

O seu treinador desde sempre – o campeoníssimo Paulo Pilhas – percebeu logo isso no primeiro treino, tinha Miguel 11 anos: "Não se comportava como uma criança de 11 anos. Muito mais maduro, adulto. Não brincava, chegava aos treinos e começava logo. No primeiro treino, disse logo ao meu braço direito ‘Alex, se perder um bocadinho de tempo com este miúdo, vai ser uma máquina’. É um prodígio. Tinha tudo para ser um campeão."

E foi. Miguel Temporário, hoje com 17 anos, está há vários dias na Tailândia integrado na 
delegação portuguesa que a partir de 2 de Agosto entra em competição no Mundial de Juniores. 
Acrescente-se que na mesma equipa estará Joana Alves, outra grande promessa da modalidade, ela que no ano passado se sagrou campeã europeia e mundial (-45kg).

Antes da partida, a dupla recebeu a SÁBADO no último piso do Progresso Clube, em Algueirão. Quando Paulo Pilhas diz que o seu pupilo "parece a minha avó a bater", está só a brincar. O seu estilo, percebe-se, é o de treinador-amigo. No último título europeu, Miguel Temporário referiu-se ao treinador como "mestre, mas também pai, irmão e amigo". É a ele que deve as vitórias, e também aos pais, como quis frisar à nossa revista.

Temporário foi levado para o muaythai por um amigo do pai. Tinha o sonho do futebol, mas ficou fascinado pela luta logo ao primeiro treino a que assistiu. "Não fazia ideia do que era, nem queria ir, mas adorei. Gostei do ambiente, do barulho, da luta." No treino seguinte, Miguel já lá estava.
Em 2013 começou a competir – ganhou o primeiro combate, em juvenis -48 kgs. Em 2016, no primeiro torneio internacional, em Banguecoque, Tailândia, foi vice-campeão mundial na sua categoria. É à cidade tailandesa que regressa agora para tentar o título mundial em -60kgs. Não há grandes dúvidas na sua cabeça que a ambição é ser primeiro.

Em 2019, Temporário passa a sénior. O treinador não tem dúvidas que pode ser campeão do mundo (o que seria a primeira vez para um português numa competição organizada pela 
IFMA). "Acho que sim. É um miúdo super esforçado, já treinou de manhã, vai treinar agora à noite. Para ele não há o q.b., é sempre mais. Tem espaço para evoluir. Muito muito. É muito forte mentalmente e a combater é super frio, muito criativo, sempre a alternar, os adversários nunca sabem o que vem de lá."

Nova loja 'Beauty eyebrow'

Nova loja de  depilação a linha
na rua Nuno da Cunha 3, loja 12
no Centro Comercial Lírios...

Restaurante 'Mnham! Mnham!'

Refeições Inteligentes
O Mnham! Mnham! é um espaço de refeições baseado na culinária tradicional portuguesa.

Procuramos satisfazer o cliente que não tem muito tempo para almoçar ou para fazer o almoço, mas que não dispensa a boa comida caseira.

Em contraste com os restaurantes de fast food, que proliferam por aí, e com a comida feita às três pancadas das grandes superfícies, o Mnham! Mnham! procura oferecer a mesma rapidez e disponibilidade desses espaços, mas acrescenta o cuidado, o amor e a qualidade na escolha e na confecção das ementas onde o sabor e a satisfação do cliente é primordial.
O conceito "restaurante smart" traduz-se na venda de comida a peso em que o cliente só paga o que come e paga o que gosta de comer.
Por exemplo: Se não gosta de comer muito arroz, gosta de comer mais peixe, então colocamos pouco arroz e muito peixe. No final, o que a balança pesar é isso que vai pagar. É smart, inteligente, porque reduzimos o desperdício a quase zero e garantimos a total satisfação do nosso cliente!

Venha, e faça-nos uma visita, prometemos muito sabor!

ENDEREÇO Estrada do Algueirão 35

CONTACTO 

21 805 3866

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

[Correio da Manhã] Motard mata idosa fora da passadeira

Vítima atravessou estrada sem ver. 
Condutor não conseguiu travar.
Uma idosa, de 77 anos, morreu esta terça-feira de manhã, em Algueirão, Sintra, após ser atropelada por uma moto quando atravessava a estrada fora da passadeira. Maria Bárbara Carrasco e uma amiga caminhavam na berma da estrada que liga Algueirão a Belas, perto do cruzamento que dá acesso à aldeia de Pexiligais. A mulher de 77 anos estava mais próxima da faixa de rodagem e, de forma brusca, tentou atravessar a estrada sem olhar para trás, e longe da passadeira. Naquele momento passava uma moto, conduzida por um homem, de 48 anos, que não conseguiu evitar o embate. 

O corpo de Maria Bárbara Carrasco foi projetado a cerca de 30 metros de distância. "Ainda foram prestados os primeiros socorros à vítima, mas o óbito foi confirmado", explicou ao CM Joaquim Leonardo, comandante dos bombeiros de Algueirão-Mem Martins, segundo o qual foram mobilizados nove bombeiros, apoiados por quatro viaturas. A PSP fechou o trânsito nos dois sentidos da via. O motard foi transportado ao hospital Amadora-Sintra para ser assistido a ferimentos ligeiros. A PSP investiga.

Ler mais em: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/motard-mata-idosa-fora-da-passadeira

segunda-feira, 30 de julho de 2018

[Correio da Manhã] Dois pirómanos presos por atear quatro fogos

Chamas colocaram em perigo habitações 
de Sintra e de Santarém.
Dois pirómanos, de 27 e 46 anos, foram presos pela PJ de Lisboa por terem ateado um total de 4 fogos nos concelhos de Sintra e Santarém, respetivamente. O detido mais novo é suspeito de ter ateado três fogos numa hora, na noite de 12 de julho, na zona de Mem Martins, Sintra. As chamas colocaram em perigo habitações em pelo menos duas ruas, mas os bombeiros evitaram males maiores. Alcoólico, e sem cadastro, o jovem foi preso dias depois. Presente a juiz, fica em prisão preventiva. O detido mais velho foi apanhado na terça-feira à noite, horas depois de ter ateado um fogo, aparentemente por vingança, numa aldeia próxima de Santarém. Os bombeiros intervieram rapidamente, impedindo danos. Também fica em prisão preventiva.

Ler mais em: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/dois-piromanos-presos-por-atearem-quatro-fogos

quinta-feira, 26 de julho de 2018

[SIC] O estado da ferrovia em Portugal [video]

Sem dinheiro e sem funcionários para fazer reparações, a CP anunciou que vai suprimir várias ligações ferroviárias já no início de agosto. A Linha de Sintra é das mais afetadas e, no Oeste, os comboio estão praticamente a ser substituídos por autocarros.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

'Fernandos's Grill' em Mem Martins

Fernado's Grill, a nova Churrasqueira na Rua Vasco Santana em Mem Martins

[NIT] Sintra vai ter novos tacos com gelados para provar no verão

Na pastelaria Tulipa Dourada, em Mem Martins, há ainda brownies servidos com gelado numa frigideira quente e bubble waffles simples ou de chocolate.
Os ice cream tacos vão estar disponíveis em agosto.
Há bubble waffles simples, com gelado ou com topping, mas e se pudesse juntar tudo numa só combinação? É possível na pastelaria Tulipa Dourada em Mem Martins, Sintra. E a chegada do verão não o impede de comer o favorito da casa: um brownie de chocolate muy caliente.
É servido numa frigideira quente, acompanhado por uma bola de gelado e, para terminar, calda de chocolate quente. Custa 3,95€ e promete deixá-lo sem saber bem se está no verão ou no inverno.
Ainda em fase de teste está também a grande novidade do mês de agosto: ice cream tacos. É uma nova forma de comer gelado ao qual vai poder juntar chantilly, toppings e frutas. 

Para dificultar ainda mais a sua escolha (e a dieta também), outra das novidades do ano é a 
bubble waffle de chocolate. Está à venda todo o ano, excepto no Natal. Os preços variam entre os 3 e os 5€.

[Diário de Notícias] Sintra alerta para insuficiência de verbas na Saúde e Educação com descentralização


A Câmara Municipal de Sintra expressou hoje preocupação com a insuficiência de verbas previstas para a Saúde e Educação no âmbito da descentralização e pediu ao Governo que repense o conceito desta reforma.
Na tomada de posição do município, aprovada por unanimidade pelo executivo da Câmara, pode ler-se que há uma "profunda preocupação pela insuficiência das verbas propostas para o exercício das competências a transferir para o município nos setores da educação e da saúde".
O executivo solicita igualmente ao Governo que "repense o conceito de descentralização por forma a transferir não apenas tarefas executivas, mas principalmente processos decisórios", reafirmando que o processo, "desde que bem concebido", é a "base da reforma do Estado", devendo ser "sempre respeitada a autonomia do poder local constitucionalmente consagrado".
Segundo a autarquia, "sem o financiamento correspondente", também algumas particularidades no projeto da nova Lei das Finanças Locais "servem apenas para transferir e agravar os níveis de endividamento das autarquias".
De acordo com o documento a que a agência Lusa teve acesso, o município manifesta ainda ao Governo "a sua inteira disponibilidade para cooperar na elaboração e execução da legislação pertinente ao processo descentralizador".
Segundo o executivo, as verbas que serão disponibilizadas foram calculadas de acordo com a execução de 2016 e não incluem "qualquer feito de crescimento", não contemplando, por exemplo, a integração de novos funcionários nas escolas, ou a manutenção de edifícios já existentes.
No setor da Educação, o município exige também um esclarecimento relativo às vertentes de ação social escolar.
"Verifica-se que nos mapas agora disponibilizados não existem verbas inscritas respeitantes ao seguro escolar da totalidade dos alunos e auxílios económicos (manuais escolares e apoio a visitas de estudo) para os alunos do 2.º e 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário", pode ler-se no documento.
As obras necessárias para requalificação de vinte escolas, do 2.º e 3.º ciclo do ensino básico, de acordo com um levantamento efetuado pelo município, teriam um custo aproximado de 20 milhões de euros [19.767.720 euros], estando prevista uma descentralização de verbas para manutenção das escolas inferior a três milhões de euros [2.726.982 euros].
Na área da Saúde, a autarquia afirma que há a "necessidade de efetuar investimentos consideráveis para se repor em parte significativa de instalações afetas a centros de saúde" e que as verbas que serão disponibilizadas não consideram os novos cinco centros de saúde do município (Queluz, Agualva, Almargem do Bispo, Sintra e Algueirão-Mem Martins).
O município irá ainda avaliar se "está em condições" de assumir, em 2019, as competências que serão descentralizadas para as autarquias.

terça-feira, 24 de julho de 2018

[SIC] O Comboio dos Atrasos [video]


Reportagem transmitida na SIC em 15 Fevereiro de 2017

Um em cada dez comboios - nas duas linhas ferroviárias que mais passageiros transportam no país - chega atrasado. Agora, fazemos um raio-X às linhas de Sintra e Cascais, onde as queixas se repetem. Não só pelos atrasos, mas também pela falta de condições das carruagens e estações, e pelo preço dos passes. O Comboio dos Atrasos é a Reportagem Especial.

domingo, 22 de julho de 2018

[RAP noticias] Harold // '32' (Prod. Sam the kid)(Remix Bairro)

O rapper membro do colectivo de Algueirão/Mem Martins GROGNation, Harold acaba de lançar novidades a solo com um tema solto de seu nome "32".
Na verdade este é uma versão do mesmo ao tema "Bairro", um original de Ferry produzido por Sam the Kid disponibilizado recentemente no canal da TVCHELAS.
Foi pela fome de golias
Que vias na via grog E pelo nome que trazia subia fasquia e forte E os Props nunca envaideceram Nem os cops intimidaram Quando os niggas não aplaudiam E essas pussys mal ligavam Humilde não se vende , não se compra Não tem preço Ha merdas que nao se apanham So vem contigo do berço Abdiquei tanto na estrada Meu bolso ainda vai teso Já levei tanta facada Meu ego ta firme e ileso Tenho um pai que pouco vejo E nunca o vi como tal O meu desejo é ter um filho E nunca agir de forma igual Tenho sonhos na almofada Medos debaixo da cama Dramas nas minhas paredes Climas quentes viram trauma Ajudei tantos amigos E a merda é sentir no fim Que eu faço por tanto amigo O que nunca vi ser por mim Ha cobras todos os dias Escondidas no meu jardim A volta do meu palacio Mais ladroes que o Aladim Sou verdadeiro só pra mim Aqui nunca se aparenta poucos a viver assim Mas ser real nao se tenta Nem 70 nem 80 meus valores nao tao a venda há quem tende a por a venda a alma por encomenda Broda aprenda com quem sabe E quem tem os pés no chão ha quem viva numa nave perca-se na costelaçao No meu bolso do que cabe Nao esta ofusca esta visao Do meu esforco nem metade É pago pelo cifrão Mae, teu filho é grande a vida ta mais bela Descobri cores na vida Que não cabem na minha tela Vivi nela , apaixonei me Vivo como um sentinela acordado faço amor E nela nunca me senti vela Da valor a quem tu amas E te ama sem porquês Porque a vida vai não volta Sempre é uma ultima vez Avô eu morro de saudades Não te sinto mas tu vês Ensinaste a humildade Que eles vendem no fim do mês Mas eu Podia passar o dia todo a explicar-te sem tu perceber metade Mas tens tanta merda que te ofusca que nunca consegues sentir a verdade Perdi a esperança nessa gente na verdade não vivemos em sociedade Porque há muito ego que te afecta e tira tudo que tens de humildade Remix FERRY - O REI DO BAIRRO Fotografia: Filipe Feio; Produzido por Sam the Kid Captação: NastyFactor; Mistura e Masterização por NastyFactor

[boletim 921] enfim a nossa Rádio local

Noticia antiga quando começavam a surgir as primeiras rádios piratas

Restaurante 'Kitchen King'

Novo Restaurante 'Kitchen King' na Av. Chaby Pinheiro, com comida Indiana e Italiana


[RTP] Excerto da Rubrica 'Na minha Casa com Ela' com Maria Leal, no programa '5 para a Meia Noite'

No programa da RTP '5 para a Meia Noite' da passada quinta-feira, na rubrica 'Na Minha Casa com Ela', Mónica Vale de Gato foi à casa onde foi filmado o último video de Maria Leal.



Ciclovia no 'Jumbo' de Sintra

A Ciclovia existente à entrada de Mem Martins, no espaço exterior do Jumbo de Sintra, é um espaço agradável para a prática de caminhadas e para as crianças poderem brincar  de forma segura com bicicletas ou patins... no entanto este espaço está sempre vazio... sem utilização.


Afinal qual será o motivo da pouca adesão a este espaço??








sexta-feira, 20 de julho de 2018

[JFAMM] Corujas 2018: Rali noturno por Mem Martins

Cerca de 60 pessoas marcaram presença no “Corujas 2018 – À Descoberta de Algueirão-Mem Martins”, um rali noturno organizado pelos Motards do Ocidente que, este ano, decidiu mostrar o que a freguesia tem de melhor.

A partida foi dada na Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, com um lanche oferecido pela autarquia local que, de resto, apoiou este rali, não só com esta refeição, mas também com questões logísticas, brindes e troféus para os participantes.

Depois, foi tempo de rumar a toda a velocidade pelos recantos da freguesia, passando por pontos históricos e visita a locais que até hoje marcam a história da vila.

Uma das surpresas do rali foi a visita às Queijadas da Maria Augusta, local de origem das famosas queijadas de Sintra, cuja produção tem passado de geração em geração.


Conheceu-se a história, viu-se a produção e houve ainda direito a saborear uma das confeções mais típicas da região. Pedro Alves, presidente dos Motards do Ocidente agradeceu “a forma simpática como nos receberam, por nos terem aberto a porta da vossa fábrica e pela oferta das queijadas aos participantes.”

Depois de provar as famosas queijadas, tempo de conhecer um espaço que, durante muitos anos também serviu a população de Mem Martins, mas de outra forma: o Forno da Cal, um local que, antigamente, servia para cozer pedras que eram usadas na construção civil.

O “Corujas” é um rali noturno que, de ano para ano, tem vindo a afirmar-se como uma iniciativa de confraternização entre motards, mas não só. Mais uma vez, e como vem sendo hábito, juntou-se a diversão à vertente social, com o apoio a uma instituição. Desta vez, os beneficiados foram os Bombeiros Voluntários de Algueirão-Mem Martins.

Entretanto, até a noite acabar houve ainda passagem por vários outros locais. Na Bacia de Retenção contou-se a lenda daquela zona; em Sacotes, no lavadouro, as equipas foram desafiadas a lavar uma peça de roupa, como antigamente e na Ermida de S. Romão conheceu-se um dos principais conjuntos histórico-monumentais da freguesia.

Em comunicado, Pedro Alves, presidente dos Motards do Ocidente fez um balanço positivo do rali e agradeceu a todos os que apoiaram esta iniciativa desde o início. Agradecemos à Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, “pelo lanche da receção, pelas impressões, pela oferta de brindes para os participantes e dos troféus dos primeiros lugares. Obrigado também por todo o apoio dado para a realização deste evento.”

quarta-feira, 18 de julho de 2018

[RTP] Entrevista de Vanessa Augusto a Papillon | NOS Alive 2018 [video]

A jornalista Vanessa Augusto entrevista Rui Pereira (Papillon) antes da sua atuação no 'NOS Alive 2018'


Papillon @ Nos Alive 2018 [video]


[Correio da Manhã] Menor julgado por matar rival à facada




Uma dívida estará na origem do crime
Com apenas 16 anos, um rapaz, de nacionalidade brasileira planeou, com três amigos tirar a vida ao compatriota Eduardo Prado, 36 anos, à porta de um restaurante na Tapada das Mercês, em Sintra. Após o crime – a 17 de setembro passado –, os suspeitos fugiram.

O menor foi detido em Espanha, extraditado e agora acusado do crime de homicídio qualificado. Uma dívida estará na origem do crime. Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, o detido, juntamente com os cúmplices – ainda em parte incerta – agrediram a vítima e atacaram-na à facada. O Ministério Público pede ainda a expulsão do detido como pena acessória, bem como a recolha de ADN.

Ler mais em: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/menor-julgado-por-matar-rival-a-facada

terça-feira, 17 de julho de 2018

História de Mem Martins

No limiar dos anos trinta, Mem Martins era, tal como as localidades circunvizinhas, uma pequena aldeia onde viviam e laboravam os seus habitantes, cerca de 20 famílias, dedicando-se ao amanho das terras, pobres de fecundidade e ainda a duas actividades industriais – passe o pretensiosismo do termo – à exploração do mármore e ao fabrico de queijadas.

No mármore havia só um industrial, o Zé d’Outeiro, de seu nome José Pedro de Outeiro, que explorava a sua pedreira de mármore preto, único no País e talvez no mundo, pena sendo que as características desta pedra a tornassem, com o evoluir do comércio, bastante onerosa, estando actualmente estagnada a sua exploração.

Sendo Mem Martins um localidade servida de fácil transporte para Lisboa – o “pouca terra” levava hora e picos com direito a chamusco! – dotado de boas águas e óptimos ares indicados para a cura de vários males, incluindo o “mal d’amor”,  começou a ser frequentada por veraneantes, os quais, senão todos a grande maioria, graças aos predicados atrás referidos , por cá se foram radicando.

Entre outras as famílias: Fontes, Roy, Alvarez, Mourinho, Anjos Teixeira, Caminha, Guilhermina Silva, Álvaro de Sousa, Cortês, Salvação Barreto, Namorado de Aguiar, Sasseti, Queirós de Barros, Henrique Pereira, Tomaz de Lima, João Silva Marques, etc., etc …
Em meados de 1930 e depois da experiência da construção da Escola Guerra Junqueiro, construída só com a carolice e bairrismo do povo de Mem Martins, em colaboração com alguns dos citados veraneantes, aproveitando o entusiasmo do êxito alcançado, a mesma gente de bem meteu mãos à obra e arcou com a responsabilidade de levar por diante a construção de uma Capela, coisa rara nas redondezas, já que a mais próxima era a Igreja Matriz de S. Pedro de Penaferrim.

Formada a Comissão aos vinte dias do mês de Agosto de mil novecentos e trinta – chamada COMISSÃO DE MELHORAMENTOS DE MEM MARTINS – encabeçada por esse bairrista nato que se chamou Artur Soares Ribeiro o qual foi também o impulsionador da construção da Escola, esta Comissão era composta, além do atrás já mencionado, pelos Senhores:
        - Dr. Joaquim Moreira Fontes
        - António Lopes Alvarez
        - Henrique Conceição Pereira
e pelas Senhoras:
        - D.ª Antónia Gomes da Costa Fontes
        - M.me Marie Claire Roy
        - D.ª Maria de Deus Lopes.
Esta Comissão foi mais tarde, conforme deliberação tomada por unanimidade – Acta n.º 3 de 4 de Novembro de 1930 - , reforçada com a adesão dos Senhores:
        - José Vicente
        - Manuel João Morais
        - Joaquim Henriques
        - José Pedro d’ Outeiro
        - Manuel Hilário
        - António Dionísio e
        - Vicente Regalo.
Para a construção da dita Capela foi adquirido um terreno desanexado do baldio então chamado “Rocio da Fonte”, à Câmara Municipal de Sintra, em hasta pública efectuada nos Paços do Concelho em 23 de Outubro de 1930, pelos Srs. Artur Soares Ribeiro e Henrique Pereira, por Esc. 288$00, incluindo as despesas da sisa e da escritura!

Posteriormente, os citados adquirentes, membros da Comissão, ofereceram a esta o terreno arrematado – Acta n.º 2 de 23 de Outubro de 1930.

Baseado no projecto do Arquitecto Félix Alves Pereira e sob a responsabilidade de José Máximo dos Reis iniciaram-se as obras com o lançamento da primeira pedra, cerimónia que teve lugar no dia 29 de Março de 1931.

Festa rija, prelúdio do que mais tarde viria a ser a nossa festa, com divertimentos e “atracções”, estas e aqueles orientados para atrair as “massas”, tão necessárias ao arranque do empreendimento.

Deram solenidade ao acto, com a sua presença, além de todos os elementos da Comissão, os senhores: Abílio Cardoso em representação da CM Sintra, Padre Carlos Azevedo, Escultor Anjos Teixeira, Dr. Guilherme Pinheiro, Jorge Soares, etc., tendo até sido filmado o acontecimento.

Deste filme nada se sabe; perdeu-se-lhe o rasto. Sabe-se sim, e apenas, o que ficou registado no livro de contas da Comissão: “Verba 32 – Filmagem do lançamento da primeira pedra – 73$80”.

Não teriam decorrido as obras no ritmo desejado, não devendo ser estranho a tal morosidade a falta daquilo que faz andar as obras: - o capital.
No entanto, pedincha daqui, ajuda dali, cravanço dacolá, alicerçados na boa vontade da população que, muito embora não tivesse posses para grandes ajudas financeiras, correspondia com dádivas substanciais no sector da mão-de-obra, esses HOMENS vêem a obra concluída em 1933.

Rainha D.Amélia
Citar nomes de pessoas que colaboram com a Comissão, além de fastidioso seria desaconselhável, porque se correria o risco de qualquer omissão, há no entanto que referir o nome de Sua Majestade a Rainha Dona Amélia que, do exílio, enviou o seu donativo destinado à compra da imagem de Nossa Senhora da Natividade, a Padroeira escolhida, provando com essa sua atitude filantrópica o quanto gostava de Portugal e dos Portugueses.
Também pela obra que legou à Capela merece referência o nome de Alfredo Carreiras. Foi ele, escriturário de profissão, marceneiro/entalhador por sacerdócio, que durante anos ocupou todos os seus tempos livres na feitura dos andores destinados às imagens existentes na Capela. Fazia-os ao ritmo de um por ano.
Ali se podem apreciar os andores destinados a Sto. António, Sta. Teresinha, Rainha Sta. Isabel e Sagrado Coração de Jesus, cada um com motivos alegóricos à imagem a que se destina.

Autênticas obras de arte, pena sendo que, por razões desconhecidas, tenha deixado o mundo dos vivos sem ter conseguido o seu sonho: Dotar a Capela com tantos andores quantos as imagens que tradicionalmente desfilam na procissão.
No verão daquele ano, com o pretexto de assinalar o acontecimento, organizam-se as Festas em honra da Padroeira, nos dias 3 e 8 Setembro, as quais tiveram a presença de destacadas entidades civis e religiosas.

Dentre outras, o Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Sintra, Major Craveiro Lopes – mais tarde Presidente da Republica – e Sua Eminência o Cardeal Patriarca de Lisboa D. Manuel Gonçalves Cerejeira.
Muito público e segundo o “DIÁRIO DE NOTICIAS” de 4 de Setembro: “ … assistiram às cerimónias pessoas em evidência na colónia de verão de Mem Martins e Sintra, com os Srs. Afonso Dornelos, Dr. Tomas Gambôa, Coronel Correia dos Santos, senhoras e entidades oficiais”.
A atestar pelas individualidades presentes, fácil será deduzir que a Festa foi um êxito quer no aspecto social, cívico e religioso, quer também no financeiro pois, segundo consta do Balancete de 30 de Novembro de 1933, o saldo positivo foi de Esc. 665$10 a favor da Comissão e Esc. 221$70 a favor do Hospital.

Não foi por acaso que as Festas de Mem Martins tiveram continuidade e chegaram aos nossos dias. Estava na mente dos organizadores que assim fosse pois as notícias inseridas no “DIÁRIO DE NOTICIAS” de 17 de Agosto de 1933 e no “SECULO” de 20 de Agosto de 1933 o deixavam antever.
Rezam assim:
 Esta Festa é o início duma romaria anual, que este ano deve ser muito concorrida, devido à forma como está organizada, havendo já muitos lugares marcados para barracas de negócio e divertimento”.
A vontade dos homens foi cumprida, as Festas, passado por algumas vicissitudes, chegaram aos nossos dias prosseguirão pelos tempos fora, graças à vontade de outros HOMENS.
Os despretensiosos apontamentos que aqui ficam têm como objectivo:
Registar sucintamente, para a posteridade, como, quando põe quem foi erigida a Capela de Mem Martins, bem como tradição das FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA NATIVIDADE.

Prestar uma singela homenagem às pessoas que, com grande entusiasmo, enorme esforço e inabalável persistência, levaram a efeito aquela iniciativa, demonstrando o seu amor à sua terra natal ou onde se radicaram até aos últimos anos da sua vida.

E, finalmente, incentivar as gerações actuais, no sentido de manterem as tradições dos seus antepassados, procurando suplantá-los no amor e dedicação ao progresso da sua Terra.
MEM MARTINS, Setembro de 1982