30/09/2008

[Hipersuper] E.Leclerc inaugura 20ºloja

Alinhado com a estratégia de expansão nacional, o grupo E.Leclerc vai abrir esta semana a 20.ª unidade no País, em Algueirão-Mem Martins, Sintra. O investimento desta loja é de 10 a 15 milhões de euros, sendo que o projecto compreende também um Centro Comercial de 1.500m2, com 20 lojas. O supermercado tem 2.000 m2 de área alimentar, 800 m2 de área não alimentar e vai contar com 170 colaboradores directos e 100 colaboradores indirectos.
Inserida numa zona com elevada densidade populacional, a nova unidade vai servir uma população local de cerca de 75.000 habitantes e tem abertura ao público marcada para 25 de Setembro.”Somos uma loja com as virtudes de uma loja de Bairro em termos de serviço, proximidade e familiaridade. Para termos dimensão nacional, precisamos obter maior representatividade na zona de Lisboa, e Algueirão surge como uma opção muito forte em termos de número de pessoas”, afirma Pierre Palosse, aderente da loja do E.Leclerc Algueirão.
Sendo uma loja dentro de uma zona urbana, a grande aposta é feita na satisfação da população em termos de produtos frescos como peixe, carne, padaria, frutos e legumes. Esta aposta é complementada com parcerias com fornecedores locais como Queijadas de Sintra ou Pão de Mafra.

Concurso de Ideias

A Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, Sintra, pretende executar 11 projectos de recuperação urbana, mas antes quis saber o que a população achava deles. 


Para isso lançou um concurso de ideias através do qual enviou aos munícipes 31 mil inquéritos, com informações e imagens de cada um dos projectos. Perto de quatro centenas de respostas foram recebidas, o que leva o presidente da junta, Manuel do Cabo, a congratular-se com a iniciativa. 




"Queremos ouvir a população para escolher o melhor projecto", explica o autarca, acrescentando que com isso "não se quer aliviar de qualquer responsabilidade nas suas decisões". 




Os inquéritos, lançados em Maio e cujas respostas foram recebidas até ao final do mês passado, permitiram à junta saber que "a grande preocupação da população tem a ver com os espaços verdes, o que vai ao encontro das propostas" da autarquia, observa Paulo Noguez, membro do júri encarregue de avaliar as sugestões recebidas. "Quanto melhor um decisor ou uma empresa conhece o seu cliente, melhor será a sua estratégia e o serviço a prestar", justifica. 

"A vila não tem arranjo"
Algueirão-Mem Martins é a maior freguesia da Europa. Segundo os Censos de 2001, tem cerca de 63 mil habitantes para uma área de 15,9 quilómetros quadrados. Dez anos antes tinha 40 mil residentes. Esta explosão demográfica foi acompanhada de um crescimento urbanístico desregrado, que não levou em conta as infra-estruturas e os equipamentos sociais necessários. 


"Em termos urbanísticos, a vila não tem arranjo. Não há estacionamento. Não há um largo. As ruas são muito apertadas. Os prédios crescem para cima das estradas. Não há um jardim ou um centro bonito", resume Rosalina Guerreiro, que trabalha num café junto ao largo da estação. "Ouvir a população é sempre bom. E já está na hora de mudar o aspecto da vila", diz a comerciante, mostrando o seu apoio inequívoco à iniciativa da junta.


Segundo Manuel do Cabo, o objectivo dos 11 projectos é "redesenhar a paisagem da vila", com a construção de rotundas iluminadas, espelhos de água na bacia de retenção da Tapada das Mercês e intervenções em diversos espaços verdes. A requalificação passa ainda pelo largo da estação e pela construção de um túnel "que sirva de escoamento ao trânsito proveniente do IC19". 


O projecto em que a população deposita mais esperanças - a requalificação da estação e do seu largo e a criação de estacionamento em volta - será também o que mais tempo levará a concretizar. "Poderá ser algo para 15 anos. É uma obra de grande envergadura, que envolve demolições. Por outro lado, queremos um programa Polis para ali", explica Manuel do Cabo.
As sugestões dos munícipes serão agora avaliadas por um júri "que vai compará-las com as 11 propostas". Posteriormente, adianta o autarca, alunos de arquitectura da Universidade Lusíada, com base nas ideias dos munícipes, apresentam os estudos para estes projectos. A partir desse momento vai ser lançado o concurso de execução dos projectos, seguindo-se a fase de obra. 



"Em Junho de 2007, a freguesia vai entrar em estaleiro e as obras prolongam-se até ao final do mandato", resume Manuel do Cabo. 

28/09/2008

Arcos Shopping e E.leclerc - Algueirão - Sem palavras

Este é o rosto da vergonha

















Um quadro eléctrico, praticamente sem protecção, e com acesso fácil a crianças
Algumas zonas ainda com escoramentos da obra, em pleno espaço do estacionamento
Vários mateiais de construção civil espalhado e acessível a todos
É assim que está protegido o fosso do elevador
Levas um carrinho de supermercado ou uns barrotes das obras?
Total falta de higiene nas passadeiras rolantes…
O que fazem ali aquelas tábuas da obra, totalmente sujas?
Fácil acesso ao estaleiro da obra por qualquer criança ou adulto.
Total ausência de indicações de saídas de emergência. Esta é a única sinalética disponível no estacionamento.
As fotos dizem tudo. A opinião é de cada um.

27/09/2008

Algueirão - Arcos Shopping
















Esta semana abriu no Algueirão o "Arcos Shopping", junto da Igreja de São José.
Trata-se de um pequeno Shopping, que tem como base o Hipermercado E.Leclerc.

Iluminado, amplo e arejado, numa zona bem localizada, poderá ser uma mais valia para os habitantes da freguesia, no entanto, penso que o tempo de vida das lojas do Shopping não será muito longo.
















Como todos o bom Português, no primeiro fim de semana de funcionamento, observei grandes enchentes, longas filas nas caixas, longas filas para estacionar, longas filas para o talho, longas filas para a peixaria, longas filas para pesar a fruta, longas filas para tudo....
















Esta foi a imagem dos dias iniciais, no 1º andar do shopping...
e, ou muito me engano, mas será a imagem que se irá protelar pelo tempo...

Vazio, vazio, vazio....
Sem grandes pontos de interesse...































Esta era a imagem recorrente em todo o parque de estacionamento...
Infiltrações, e mais infiltrações...
Chovia em praticamente todos o estacionamento, fios de água, tudo molhado...
Uma verdadeira vergonha, para uma estrutura que foi inaugurada esta semana.
Que segurança é que isto transmite?
- Grande risco de electrocussão para crianças e adultos...

Será que uma marca internacional como o E.leclerc, prefere abrir um espaço com o objectivos lucrativos, em detrimento da segurança de pessoas e bens?

A resposta fica na consciência de cada um...

21/09/2008

Adeus Rádio Ocidente


video
A Radio Ocidente era sem dúvida uma rádio local, que não se limitava apenas a passar musica, mas que estava sempre junto da população, com noticias regionais, divulgação de eventos e colaboração no desporto.
Lembro-me, que estava sempre em cima das novidade do concelho de Cascais, Oeiras e Sintra, e bastava sintonizar os 88.00 FM, para se estar bem informado.

Foi uma radio que teve na sua equipa profissionais como João Baião, Mila Ferreira, Ediberto Lima, Miguel Dias, Carlos Corveira, Sara Narciso, Jorge Manuel Tavares, Ventura Saraiva, Jorge Lima, entre outros...

Nesta frequencia sempre se valorizou a musica portuguesa e o desporto regional, com relatos de futebol dos clubes do concelho.

Lembro-me de ser criança, e de ligar a radio quando ouvia a sirene dos bombeiros para saber o que se estava a passar, ou para ouvir os meus professores a falar dos problemas da minha escola.
Era Serviço Público Regional...

É com saudade que recordo esta radio, que muita falta faz no panorama local, e que foi substituída pela poderosa Mega FM, do Grupo Renascença, que apenas se limita a passar musica estrangeira e pouco mais.

Era uma das Rádios locais com mais audiência na Região de Lisboa.


RFM


11,7


Rádio Renascença


11,5


TSF


7,0


Rádio Clube Português


6,7


Best Rock FM


5,7


Cidade FM


5,3


Rádio Comercial


4,6


Mega FM


3,5


Antena 1


3,3


Antena 3


2,0


Estação Orbital


1,4


Rádio Capital


1,3


Rádio Ocidente


1,0


Mix FM


0,8


Rádio Marginal


0,6


Rádio Seixal FM


0,6


Rádio Oxigénio


0,5


Rádio Voxx


0,5


RDP África


0,5


Antena 2


0,4


Rádio Radar


0,4


Romântica FM


0,4


Tropical FM


0,3


Rádio Mais


0,2


Rádio Nacional


0,2


Rádio Clube de Sintra


0,2

15/09/2008

A Volta a Portugal em Mem Martins em 1996

Filme da passagem da Volta a Portugal em bicicleta em 1996, onde podemos recordar algumas transformações na Freguesia. Fica aqui uma lista de algumas que eu consegui detetctar:

- Ausência do Mc Donalds
Ainda existia o muro de limite de propriedade, que pertencia à Resiquimica, no entanto já existia o supermercado Lidl, que curiosamente foi a primeira loja da marca a abrir em Portugal.
- Ausência da Rotunda da ADRETA
Este sempre foi um cruzamento complicado a nível de transito e acidentes, e como se consegue observar, em vez da actual rotunda, existiam semafros, que provocavam longas demoras.
- Ausência da Bomba de Gasolina da Galp em São Carlos
Este terreno ainda era o jardim da moradia adjacente
- O Crédito Predial Português em São Carlos
Ainda hoje é uma instituição bancária, o Santader Totta
- Sociedade Internacional de Calças (SIC)
Era uma das fabricas implantadas em S.Carlos, onde hoje podemos visitar o S.Luis de Sintra e o Minipreço. Penso que nesta altura, a fabrica já se encontrava desactivada
- A Papoila
Infantário que funcionou na estrada de Mem Martins durante muito anos, no terreno onde estão implantados alguns prédios, onde hoje funcionam as agências do BANIF e do Finibanco.
- Prédio do Millenium, perto do Cruzeiro
Estava em construção e as ruas esburacadas pela instalação do Gás Natural
- Multipneus
Ainda existia o antigo Stand da SEAT, em Ouressa
- Mobil
A bomba de combustível, à saída de Mem Martins em direcção a Sintra, ainda era da Mobil


video

14/09/2008

Festas de Nossa Senhora da Natividade - Setembro 2008

















"N
a manhã do primeiro domingo de Setembro, a música percorre as ruas de Mem Martins, apresenta cumprimentos ao juiz e faz a recolha dos 'cargos' que são conduzidos em procissão à capela no Rossio da Fonte. Então uma mulher transporta-os à cabeça, acompanhada por um homem, todos asseados, fazendo brilhar ao sol as m
edalhas dos festeiros, ricas às vezes em ornamentação..."

As Festas de Nossa Senhora da Natividade iniciaram-se em 1933, e tem sofrido uma grande evolução nos tempos, e desde que o espaço onde se realizam, o Rossio da Fonte, foi transformado em jardim, o espaço deixou de receber os clássicos carroceis e carrinhos de choque que faziam as delicias dos mais novos. Perdeu-se a antiga quermesse, que juntava sempre um grupo de jovens da freguesia, a bater de porta em porta, a pedir prémios, para a barraquinha
Outro dos eventos que se perdeu com a reabilitação do espaço, foi as tradicionais Cavalhadas, que se realizavam sempre no ultimo domingo da festa, e que enchia o Largo da Capela, com cavalos e cavaleiros.
Hoje em dia, em redor da antiga Capelinha, podemos apreciar uma Feira de Artesanato