Tempo em Algueirão Mem Martins

domingo, 15 de setembro de 2019

Rezam numa garagem, sonham com o centro comunitário já prometido [video]

Mamadou Bah é o presidente da Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês e Mem-Martins (ACITMMM), criada em 2007. Quando a comunidade começou a crescer, arrendaram uma garagem, que dividiram em duas áreas: de um lado, um espaço comunitário para toda a gente, independentemente da religião ou etnia, onde prestam, por exemplo, apoio escolar, têm cursos de alfabetização e de informática, aulas de inglês e de português; do outro lado, um local de culto, onde já não cabe toda a gente.
A comunidade cresceu tanto que alguns já rezam na rua, como aconteceu esta terça-feira, durante a oração que comemorou o fim do Ramadão. Em 2020, esperam já estar no novo centro comunitário, que está a ser construído umas ruas acima.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Histórias na 1ª pessoa AMM [08]


As primeiras memórias que guardo de Mem Martins são do tempo em que acompanhava a minha avó a vender fruta, todos os sábados junto do Mercado de Fanares. O meu avô trazia todas as caixas na carrinha e eu ficava com a minha avó.

Este acontecimento semanal durou durante muitos anos, e conheci muitas pessoas e senhoras simpáticas que muitas vezes me ofereciam pequenas prendas.

Hoje vivo longe daqui, mas sempre que estou por perto adoro passar por ali, e lamento muito ver o antigo Mercado abandonado e aquela zona um pouco esquecida... ficando apenas as memórias...

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 

no desafio que lancei na pagina do facebook)

Histórias na 1ª pessoa AMM [07]


As primeiras memórias que eu tenho de Mem Martins são da minha infância, quando vinha até cá com a minha avó, para um anexo da casa de uma amiga dela para fazer casca de queijadas de Sintra. Muitas vezes ficava lá a ajudar e outras vezes ia com o filha da sra da casa para a fonte dos casais para ver os lagostins.
São imagens que guardo fielmente na minha memória, e que infelizmente se foram perdendo com a evolução daquela pena aldeia que conheci.



(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 
no desafio que lancei na pagina do facebook)

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Histórias na 1ª pessoa AMM [06]


O meu pai era responsável numa instituição bancária na zona da Estefânia em Sintra, e ele todos os dias vinha da nossa casa, um apartamento em Benfica. Eu sabia que os meus pais procuravam uma casa mais perto do trabalho do meu pai, e foi assim que acabaram por comprar uma moradia na av. D. Afonso Henriques, no Algueirão.
Na altura foi um choque para mim pois fiquei a morar longe dos meus amigos, e numa escola nova. No entanto, o ambiente aqui era calmo e rapidamente fiz novos amigos. Acreditem que nunca mais quis sair daqui, hoje tenho 50 anos e adoro morar no Algueirão, um sítio calmo e de fácil acesso a tudo.

Histórias na 1ª pessoa AMM [05]


Vim para Mem Martins no final dos anos 60 pois aqui encontrei um trabalho na Construção Civil. Inicialmente era um mero servente e trabalhei em muitas construções que duram até os tempos de hoje. Tive vários patrões e por cá conheci muita gente.

Com a experiencia que adquiri e muitas horas de trabalho, comecei a fazer trabalhos como armador de ferro… e com muito orgulho hoje posso dizer que estive na construção de muitos bairros, prédios e vivendas que nasceram em Mem Martins: Santa Teresinha, Ouressa, São Carlos 2, Casal de São José…
No inicio da minha presença na freguesia vivi num pequeno anexo na Barrosa, mas graças ao meu trabalho consegui construir a vivenda da minha família, onde vivo até os dias de hoje no Algueirão…. E onde espero continuar ate aos últimos dias da minha vida.

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 
no desafio que lancei na pagina do facebook)



[TVI] Fanfarra dos Bombeiros de Algueirão Mem Martins

Presença da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Algueirão Mem Martins, no programa 'Você na Tv' da TVI

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Histórias na 1ª pessoa AMM [04]


Eu vivia no Entroncamento, mas no verão, quando tinha as férias grandes, eu vinha passar sempre 15 dias à casa dos meus tios no Bairro de São Carlos em Mem Martins. Eu tinha aqui os meus amigos de verão.
Adorava quando nos juntávamos na garagem para as típicas brincadeiras de crianças e de adolescentes, mas há uma coisa que sempre marcou-me, e me lembro até aos dias de hoje. Já naquele tempo, na época de verão, ocorriam os habituais incêndios de verão, e sempre que tocava a sirene do quartel ou ouvíamos o som dos camiões aproximarem-se, corríamos todos até junto da estrada para assistir àquele momento… a passagem dos camiões em marcha de urgência.

Todos adoravam, e as questões seguintes eram sempre as mesmas: será um fogo grande? Onde será? Será mato ou uma casa?
Mas o que eu mais adorava é quando passava o antigo ‘Chevrolet’ dos bombeiros, pois era diferente, eu ficava vidrado naquela máquina. Era tipo americano, e estranhamente sonhava em ter um camião igual para mim….

O momento perfeito foi quando fui ao quartel para espreita-lo e consegui entrar dentro daquele fantástico camião, na companhia de 2 bombeiros que me mostraram todas as sua funcionalidade, e me convidaram para uma pequena volta pelas ruas de Mem Martins… e face a este meu fascínio juvenil tornei-me Bombeiro Voluntário… até hoje…

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 

no desafio que lancei na pagina do facebook)

Histórias na 1ª pessoa AMM [03]


Nasci em 1949 no Casal das Luvas no Algueirão, e ainda quando bebé fui viver com os meus pais e irmãs para o ‘Casal Palhinha’. Os donos do Casal viviam em Lisboa, na Praça do Areeiro, e vinham sempre passar as suas férias ao seu casal do Algueirão e a minha mãe cuidava do Casal na perfeição de modo a garantir não ocorrer nenhuma falha no dia da sua chegada.

A piscina da Quinta era um dos pontos de atracão para os amigos dos donos, mas que eu também utilizava com as minhas irmãs nos dias de sol, quando não aparecia ninguém no Casal.

Naquele tempo lembro-me de ir buscar Ovos, Laranjas e Queijos Frescos ao antigo Casal da Cavaleira… e era sempre bom ir ao Baile nos Recreios Desportivos do Algueirão…. Ter frequentado a Escola Primaria do Algueirão Velho com a Dona Maria e Dona Estela também traz boas memórias do antigo Algueirão.

Estava a aprender costura perto da Farmácia Rato, e certo dia, perto do Natal, pouco passava das 18h e ouvimos um forte barulho…. buhhhhhhhh ‘O que terá acontecido? O barulho veio da direcção do ‘Casal de Ouressa’, e começamos a perguntar às pessoas que passavam na rua se sabiam o que tinha acontecido… mas ninguém dizia nada, mas havia muita agitação nas pessoas e alguém gritou: “o comboio tinha acabado de passar….” Pois e embateu numa locomotiva de mercadorias…. E todos corremos até ao local do acidente.

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 

no desafio que lancei na pagina do facebook)

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Histórias na 1ª pessoa AMM [02]


Vim viver para Mem Martins nos anos 80, quando estava a ser construída a Urbanização do Pinhal, e ali comprei o apartamento onde vivi durante 20 e tal anos. Àquela urbanização também chamava a ‘Urbanização da Beirobra’, mas a compra daquele apartamento tinha como objectivo ficar mais perto do meu trabalho, pois eu trabalhava numa grande fábrica de confecções junto à estação da CP no Cacém. Eu acabava de trocar Pêro Pinheiro por Mem Martins.

Uma mulher sozinha acabava de comprar a sua casa, e deixar uma zona mais rural para vir viver para uma zona muito mais citadina. Foram anos muito bons, onde sempre se senti segura.

A rotina era simples, e todos os dias antes de apanhar o comboio em direcção ao meu trabalho, parava no ‘Granada’ para o café da manhã. Confesso que adorava todos os sábados ir às compras ao Mercado de Fanares, era algo que não podia faltar todas as semanas. E eu adorava convidar as minhas amigas de infância para uma boa sessão de cinema no Chaby.

Passados muitos anos acabei por regressar às minhas origens, e hoje vivo novamente em Pêro Pinheiro, mas recordo com alegria os tempos que vivi em Mem Martins.

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 

no desafio que lancei na pagina do facebook)


Histórias na 1ª pessoa AMM [01]


Sempre vivi em Mem Martins, toda a minha vida foi aqui, primária, ciclo preparatório, secundário, e trabalho. Aqui brinquei, namorei e casei, nesta vila da qual sempre tive orgulho em viver. Uma vila quase auto-suficiente, pois aqui temos quase tudo…. Só lamento a falta de um bom jardim, com qualidade para uns bons momentos de lazer.

Lembro-me de jogar futebol com os meus amigos da praceta, em que as balizas eram apenas duas pedras, e de ir ao Centro Comercial Drugs para comprar jogos do ZX Spetrum. Os meus pais trabalhavam na Messa, e foi graças a esse trabalho que eles vieram para aqui viver.

Mas o encerramento daquela fábrica foi um grande desgosto para os meus pais, e criou grandes dificuldades familiares, e tornou a nossa vida muito difícil, de tal forma que tive de deixar a escola e procurar um trabalho.
E tantos anos depois, confesso que ainda me custa passar junto das ruínas daquela fábrica, e recordar-me de todas as histórias que eles me contavam.

(histórias contadas por pessoas que aceitaram participar 
no desafio que lancei na pagina do facebook)


segunda-feira, 2 de setembro de 2019

[Radio Comercial] Câmara de Sintra vai ter plano de intervenção para combater criminalidade

A autarquia pretende prevenir a delinquência juvenil, reduzir as vulnerabilidades sociais e promover a cidadania e a igualdade de género.


A Câmara Municipal de Sintra, no distrito de Lisboa, e o Governo apresentam hoje um plano de intervenção local para prevenir a delinquência juvenil, reduzir a criminalidade e promover a cidadania e igualdade de género.
Este plano de intervenção insere-se no Contrato Local de Segurança (CLS) do concelho de Sintra, segundo refere a autarquia, em comunicado.
A nota refere que o plano de intervenção do CLS irá incidir nos bairros do Pendão (Queluz e Belas), Casal de São José (Algueirão Mem Martins), Tapada das Mercês (Algueirão Mem Martins) e nas áreas circundantes às estações da CP de Agualva-Cacém, Monte Abraão e Rinchoa.
Os objetivos desta intervenção, explica a Câmara de Sintra, são prevenir a delinquência juvenil, reduzir as vulnerabilidades sociais e promover a cidadania e a igualdade de género.
A cerimónia de apresentação do CLS de Sintra será presidida pela secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto.

sábado, 17 de agosto de 2019

terça-feira, 6 de agosto de 2019

[NIT] Este sushi é feito de gelado, chegou a Portugal e come-se com pauzinhos

Não há atum, salmão, molho de soja ou gengibre. Só fruta, chocolate, brownies e amendoim. E criatividade.

Se houvesse um Óscar para a pastelaria mais criativa do País, teria de ser dado à Tulipa Dourada. Este espaço de Sintra está sempre a apresentar novidades inesperadas. Depois de tacos coloridos com gelado e animais feitos de mousse, chegou o gelado de sushi que se come com pauzinhos.

A novidade foi lançada pela pastelaria esta sexta-feira, 2 de agosto. O prato parece ter saído de um qualquer restaurante japonês, mas tudo o que ali se apresenta é doce. O chocolate quente faz a vez do molho de soja e o wasabi é substituído por um creme de abacate.
O sashimi de atum chega em forma de morango laminado e o gengibre é a banana cortada em fatias. Depois tem as peças, também com opções doces. O gunkan, por exemplo, junta um brownie de chocolate, chocolate de pistácio e umas esferas de morango.
Uma outra opção tem esferas de amendoim crocante, em vez das ovas de peixe, e uma base de chocolate branco e framboesa. Todos os elementos são caseiros e feitos na zona de produção da Tulipa Dourada. O prato custa 5,90€.
A pastelaria fica em Mem Martins e serve todos os dias entre as 7 e as 19 horas. Reabriu no início de junho com uma nova decoração.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Programa das Festas de Nossa Sra Natividade 2019


A festa em Honra da Nossa Senhora da Natividade já tem data e cartaz escolhidos. A festa que já é tradicional na freguesia irá contar este ano com a Áurea, Ágata e os Dona Elvira como cabeça de cartaz.

De 6 a 8 de Setembro, o Largo Rossio da Fonte enche-se de uma das festas mais tradicionais e antigas da região. A celebração que teve início em Setembro de 1933, após conclusão das obras da Capela de Nossa Senhora da Natividade, é mantida até aos dias de hoje.

São três dias de festa, com vários artistas convidados, muito comércio local, no no Largo Rossio da Fonte, atividades e expositores e, ainda, o regresso das Cavalhadas, à semelhança do ano passado, com o objetivo de manter a tradição desta festa (e que esteve parada durante alguns anos).

As Cavalhadas fazem-nos regressar atrás no tempo, à época medieval, quando os cavaleiros aristocratas exibiam a sua destreza e valentia, em torneios.



domingo, 21 de julho de 2019

Colecção calendários 1991 - BVAMM

Colecção de Calendários do ano de 1991, 
com fotos das viaturas dos 
Bombeiros Voluntários de Algueirão Mem Martins.








sábado, 13 de julho de 2019

Obras de remodelação da rede de Pluviais na Bacia da Rua do Coudel

Já se iniciou a empreitada de remodelação da rede de drenagem de águas pluviais na bacia da Rua do Coudel, em Mem-Martins.

Esta obra tem como objectivo melhorar a resposta do sistema de drenagem, uma vez que a zona envolvente é fortemente impermeabilizada e plana, condicionando as soluções convencionais de drenagem através de coletores. Será remodelado e beneficiado o sistema de drenagem pluvial existente, de forma a aumentar a capacidade de transporte, minorando a ocorrência de inundações. 

Finalmente já terminar a inundação em dias de chuva na Rua do Coudel em Mem Martins.



segunda-feira, 17 de junho de 2019

Arraial da Piloto 2019


Farmácia Mem Martins já está de portas abertas

Já abriu ao público nova Farmácia em Mem Martins, 
na Rua António Feijó 30




Como se diz 'Mem Martins'???


O modo como se pronuncia o nome desta vila é: 
Mem Martins ou Mãe Martins?


   Na actual pronúncia normal portuguesa, ou seja a da região de Lisboa e Coimbra, as duas palavras são homófonas embora não homógrafas. O -em final vale o mesmo que ãe. Os dois temas nada têm que ver um com o outro, trata-se de mera coincidência. 

Mem é um antropónimo masculino, muito em voga no português arcaico, incluído no topónimo Mem Martins, baseado no nome dum indivíduo. É a forma apocopada de Mendo, de origem controversa, talvez latina.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Fim do grupo 'Eu Vivo ou já vivi na freguesia de Algueirão Mem Martins'

Ontem terminou o Grupo do Facebook intitulado 'Eu Vivo ou já vivi na freguesia de Algueirão Mem Martins'

Este grupo tinha sido criado no dia 25 de abril de 2010 e possuía 15623 membros.

Com o fim deste grupo abre-se espaço para outros intervenientes na gestão deste grupos nas redes sociais.

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Ópera vai sair à rua em Mem Martins

Largo N. Sr.ª da Natividade – Mem Martins | Mozart (Bythemusic) | 

O grupo “Ópera Viva” homenageia Mozart de uma forma divertida. Com interatividade e excelência musical e artística, este grupo presenteia o público com algumas árias mais emblemáticas do compositor, acompanhados de um quarteto de cordas e Piano. O próprio “Mozart” também estará presente numa encenação divertida em que parece compor os temas que irão ser cantados ao mesmo tempo que vai encenando os próprios cantores. Uma noite à Sec. XVIII com Bodas de Fígaro, Cosi Fan Tutte, O Rapto do Serralho, Don Giovanni, Flauta Mágica, com personagens vestidos a rigor.


Dia 12 julho | 21h30

[Jornal Desportivo] Juniores do MMSC sobem à honra


terça-feira, 4 de junho de 2019

MMSC - Campeão Distrital juniores 2019

PARABÉNS
O 'Mem Martins Sport Club' sagrou-se no passado fim de semana, 'Campeão Distrital de Juniores', na 1ª divisão da AFL


[Correio da Manhã] Mulher encontrada carbonizada dentro de carro em Sintra


Uma mulher de 56 anos foi encontrada carbonizada esta terça-feira de madrugada num carro em Algueirão. 

Segundo o Correio da Manhã conseguiu apurar, os bombeiros foram chamados para um incêndio cerca das 3h00 e só encontraram o corpo no veículo após terem extinguido o fogo. A vítima vivia numa casa perto do local do incêndio. 

O primeiro combate às chamas foi feito por populares. Antes do incêndio ter-se-à dado uma explosão, segundo fonte da PJ.

No local estiveram os bombeiros de Algueirão, PSP de Mem Martins e a Polícia Judiciária que já se encontra a investigar. 

segunda-feira, 3 de junho de 2019

[ECO] Hospital CUF Sintra abre portas. Cria mais de 500 empregos

O novo hospital da CUF representa um investimento de 38 milhões de euros. É uma expansão da rede de hospitais e clínicas do grupo, que conta com 18 unidades.

Abre portas ao público nesta segunda-feira o novo Hospital CUF Sintra, que vem substituir a clínica do grupo na cidade. O empreendimento prevê a criação de mais de 500 empregos diretos até 2020, 300 dos quais estão já assegurados na fase de abertura. As novas instalações representam um investimento de 38 milhões de euros.
“Com uma área de cinco mil metros quadrados e dois pisos, o novo hospital dispõe de consultas de mais de 32 especialidades médicas e cirúrgicas, exames, e ainda atendimento médico permanente disponível 24 horas por dia, 365 dias por ano”, adianta a CUF, em comunicado.
Este investimento é “mais um passo no desenvolvimento e expansão da rede nacional de hospitais e clínicas CUF“, detida pelo grupo José de Mello Saúde, que tem ainda em construção mais uma unidade em Lisboa.
Neste sábado, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo anunciou que não vai renovar o contrato de gestão da PPP do HVFX e propôs à gestora o prolongamento do atual contrato até três anos. A José de Mello Saúde sinalizou que vai analisar a proposta do Executivo. O contrato de vigência da PPP do hospital termina a 31 de maio de 2021 e estava em causa a sua renovação por dez anos.O grupo gere 18 unidades de saúde na rede da CUF, para além de duas em regime de Parceria Público-Privada (PPP). Uma delas no Hospital de Braga, cujo contrato vai chegar ao fim a 31 de agosto, e outra no Hospital de Vila Franca de Xira (HVFX), que irá também terminar a 31 de maio de 2021.
As PPP estão atualmente em discussão no Parlamento, enquanto se vota a proposta de Lei de Bases da Saúde. PS apresentou propostas de alteração aos pontos que se debruçam sobre as PPP que não as proíbem, embora as condicionem. A votação destes pontos foi adiada por pedido do PCP.

domingo, 2 de junho de 2019

Olaf na Av, Chaby Pinheiro

O Olaf do filme 'Frozen' esteve presente na av. Chaby Pinheiro a festejar o Dia da Criança de 2019, na Loja 'Topsndolls'

sexta-feira, 31 de maio de 2019

[Correio de Sintra] CUF Sintra começa a funcionar nas novas instalações .



A CUF já começou a informar os seus clientes que, a partir de 2.ª feira, os seus serviços começam a ser prestados nas novas instalações - na antiga Schering (em frente ao Hotel Ibis e junto ao IC19). 

A abertura das restantes valências hospitalares irá ser faseada, até 2020. O Hospital CUF Sintra representa um investimento de 30 milhões de euros e vai gerar 345 postos de trabalho diretos. O projeto foi apresentado no dia 4 de julho de 2017, no Museu das Artes de Sintra.