Tempo em Algueirão Mem Martins

sábado, 30 de março de 2019

Escultura da Rotunda de Sacotes

Foi no inicio do Século que a escultura da autoria do escultor Manuel Santos Carvalho, residente na freguesia, designada "Envolvência" foi inaugurada na rotunda em Sacotes.




A escultura pesa 14 toneladas, mede 3 metros de altura, 4 m de largura e 1,5 m de espessura e utiliza pedra da região de Sintra e do Alentejo.
Santos Carvalho
De acordo com seu autor, "Antigamente esta era uma zona de muitas searas de trigo e foi essa ideia que me levou a fazer esta escultura (...) A escultura representa, de modo simbólico, bagas de trigo estilizadas através de dois elementos que quando se cruzam formam uma outra baga de trigo. No meio há a esfera que representa a semente da baga de trigo e a envolvertudo isto há a calçada" - "Jornal de Sintra", 2 de Fevereiro de 2001


sexta-feira, 29 de março de 2019

Quizzz Primavera 2019 - Prémios

Aqui estão os prémios dos 5 primeiros classificados no QUIZZZ de Primavera (abril 2019), do 10º aniversário do Blog Algueirão Mem Martins 

 1º Prémio
uma pizza média, Oferta da ‘Pizzaria Pasta Douro(pizza da lista disponível na loja, com marcação prévia e levantamento na loja)

.
2º Prémio
2 bilhetes para 1 sessão de Cinema numa Sala de Cinema da NOS Lusomundo à escolha, Oferta da 'Topsndolls Mem Martins'
Av. Chaby Pinheiro 26, Mem Martins  

3º Prémio
um Bubble WaffleOferta da Pastelaria 'TulipaDourada'
Rua Fanares n5, em Mem Martins
.
  4º Prémio
conjunto de 5 jarras, Oferta da 'Loja dos Cristais'
Rua Fanares 10, Mem Martins
.
5º Prémio 
um Vale de 10€ na LojaOferta do Pronto a Vestir 'Sofico'
.
 Após a minha confirmação pública do vencedores, nesta página, os mesmos tem uma semana para fazer o levantamento nas lojas.

[Expresso] Nesta selva plantam-se vegetais. É uma estranha horta urbana que cresce em prateleiras

Chama-se Jungle Box e é um espaço, situado à entrada de um hipermercado, onde são produzidas 14 variedades de saladas e ervas aromáticas


O futuro está nascer na Praceta Francisco Lyon de Castro, na zona de Algueirão-Mem Martins, junto ao IC-19, onde passam milhares de carros todos os dias. É ali que está um parque de estacionamento tão cinzento como qualquer outro. Há algumas semanas, contudo, surgiu uma pequena mancha verde, na forma de uma estranha horta urbana, que cresce para cima, em prateleiras.

Chama-se Jungle Box e é um espaço, situado à entrada de um hipermercado, onde são produzidas 14 variedades de saladas, ervas aromáticas e microvegetais. Lá são cultivadas, colhidas e, depois, colocadas à venda, a poucos metros, dentro da loja. Esta quinta-feira foi a abertura oficial da horta — que fornece parte dos produtos à venda no interior do Jumbo. Gilles Dreyfus, francês, um dos fundadores da Jungle Concept, refere que “as pessoas aderem ao conceito da Jungle Box pelo sabor dos produtos”.
A Jungle Concept é a empresa-mãe da Jungle Greens, a primeira empresa europeia a oferecer uma solução para o cultivo local de plantas com zero pesticidas. Gilles Dreyfus trabalhava em finanças quando decidiu desistir do emprego e viajar pelo mundo. O que descobriu, em conjunto com os sócios, fez nascer a empresa.

A atividade em Portugal começou em 2016 e os empresários, atraídos pelo ambiente favorável às star-ups e pelo conhecimento nas áreas de agricultura, ambiente e engenharia, admitem que foram “recebidos de braços abertos”. Gilles Dreyfus revela ainda que existe também um centro de pesquisa e desenvolvimento em Marvila, numa antiga instalação industrial. Todo o processo de produção dos vegetais, dentro da estufa, é minuciosamente controlado: desde a temperatura à humidade.
Em nenhuma fase do cultivo e crescimento são usados químicos ou pesticidas. Com o modelo de agricultura vertical, não há ocupação de forma intensiva durante todo o ano. A pegada ambiental do transporte é nula, uma vez que os produtos apenas são transportados da estufa para o corredor dos frescos. E todo o processo é feito à vista do consumidor. Neste momento, são 12 as pessoas envolvidas no projeto da Jungle Greens, em Portugal.
“É um negócio caro e pouco rentável”, explica Gilles Dreyfus, mas em que vale a pena apostar. De resto, a Jungle Green já tem pedidos para instalar novas hortas e, no futuro, quer alargar o conceito a França e a outros países. Gilles é claro: “o objetivo da Jungle Box não é fazer uma revolução, não é espalharmos mil ou duas mil boxes por aí”. Querem apenas pôr em prática as ideias que têm.

Fonte: https://vidaextra.expresso.pt/vida/2019-03-28-Nesta-selva-plantam-se-vegetais.-E-uma-estranha-horta-urbana-que-cresce-em-prateleiras

terça-feira, 26 de março de 2019

[JFAMM] Pavilhão de Ouressa inaugurado

Este domingo, dia 24 de março, às 10h30 foi inaugurado o pavilhão desportivo municipal de Ouressa. No evento de inauguração estiveram presentes Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra (CMS), e Válter Januário, presidente da Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins.

O novo pavilhão desportivo teve um investimento total de 310 mil euros, onde poderão ser realizadas diversas atividades de ginástica e basquetebol. Foi construído junto às piscinas de Ouressa e faz parte de um conjunto de medidas levadas a cabo pela autarquia para melhorar e promover o desporto no município.

“A Câmara Municipal de Sintra tem aplicado uma estratégia para melhorar a qualidade de vida de todos os que vivem e trabalham no nosso concelho, sendo o desporto mais um dos setores onde o município aposta e investe”, disse Basílio Horta, na inauguração do espaço.

O presidente falou ainda sobre a preocupação da autarquia em investir em melhores pavilhões desportivos escolares, destacando que “ainda há um caminho a percorrer”, mas que é continuando a investir em infraestruturas e equipamentos que se poderá melhorar a qualidade de vida no concelho.

domingo, 24 de março de 2019

Quiz 2018 - Primavera

Neste Blog ainda estamos a comemorar o nosso 10º aniversário, e assim vamos abrir a porta para a 2ª parte do 'Quizzz Algueirão Mem Martins', que irá decorrer durante o mês de Abril.

A perguntas serão lançadas ao fim de semana [sábado e Domingo] e durante a semana [terças e quintas feiras] na pagina do facebook do Blog, e existirá uma pergunta extra que será lançada no feriado de sexta-feira santa.

Ao fim de semana as perguntas serão lançadas entre as 20h30 e as 22h30
e durante a semana entre as 8h30 e as 10h30.

Assim, às primeiras respostas certas registadas serão atribuídos:

    Resposta certa» ‘10 pontos
   2ª Resposta certa» ‘06 pontos
    Resposta certa» ‘03 pontos
    Resposta certa» ‘01 pontos

Os pontos serão somados e no feriado, 1 maio, serão comunicados os vencedores.

Da Blazz // Rola Dodo [video]



Video clip com filmagens no Casal de São José a ser transmitido no extinto canal 'Sol'

sábado, 23 de março de 2019

GROGNation X Sam The Kid // Pescoço [video]

Em 2019, os GROGNation vão voltar aos discos: depois da edição do álbum Nada É Por Acaso, em 2017, o quinteto de Mem Martins regressa com um novo EP, que chegará aos escaparates na segunda metade do ano. Com a promessa de apresentarem uma nova canção por mês, o périplo começa com “Pescoço” que, à semelhança do resto do disco, conta com a produção de Sam The Kid. A primeira vez que ouviram o instrumental do homem da TV Chelas, todos os elementos dos GROGNation tiveram “a mesma reação, abanar a cabeça de forma frenética. E é essa a reacção que os GROGNation querem provocar, com este primeiro avanço. Quem ouve a banda, abana a cabeça e sente a música e é para isso que eles cá estão, despertar sentimentos”, pode ler-se em comunicado de imprensa.


[Refrão]
O pescoço diz yes
É assim que acontece
A gente Rola dodo tipo
Somos os Da Blazz
O pescoço diz yes
É assim que acontece
No rap contest
Não há quem nos conteste
O pescoço diz yes
É assim que acontece
O bounce vem de Chelas
Mas o flavour vem de LS
O pescoço diz yes (we)
Diz yes (we the fucking best)


[Verso 1: Harold]

Ele diz yes porque a noite é nossa
Até de madruga
Concorda, a cabeça abana, liguem a batuta
E a nuca ficou mais leve
We the fucking best
Qualquer língua serve
Saudei a equipa com stamina
No gás não há vacina
O que um gajo faz no beat
Cabeça acenas e rebobinas
Aqui não há contrassenso
Se tu vens contra, eu venço
Sangue e lágrimas em qualquer período sem ter penso
E eu 'tou focado em ver-te pedrado
Com esta pedrada que vai de LS a Chelas, ya
Se não fores quadrado
Bem vindo ao formato
Que muda o teu estado
Mas sem deixar sequelas

[Verso 2: Nastyfactor]

Se a gente agir, a gente parte o pescoço
Não ’tou no gozo
Até sugiro ligares para o 112
Podes fugir, mas não dás gozo
O nosso som é perigoso
E se o torcicolo surgir, foi porque a gente esticou-se
Rápido e grosso
Só vim para te rebentar a coluna, mano
Sem piedade nenhuma, como se eu fosse o Akuma, mano

Sou capaz de pôr as bloggers a dançar à guna mano
E a explodir da head tipo a label do que fuma mano (bang)
O people sente e abana o capacete para cacete
Faz caretas, serra o dente mesmo à nossa frente
Pega no flavour do Sam, junta com a ginga do demo
É assim que acontece quando és o creme

[Refrão]
O pescoço diz yes
É assim que acontece
A gente Rola dodo tipo
Somos os Da Blazz
O pescoço diz yes
É assim que acontece
No rap contest
Não há quem nos conteste
O pescoço diz yes
É assim que acontece
O bounce vem de Chelas
Mas o flavour vem de LS
O pescoço diz yes (we)
Diz yes (we)


[Verso 3: Neck]

Sempre fly
Com os meus Grog tight
Daqui ninguém sai nem entra com bad vibes
Só com king sizes
O hype 'tá bem high
Esta trip vai deixar-te com red eyes
Trouxe os supplies
Sam instrumentais, isto é grog damn
Nationship no seu grind
Já há long time
Me'mo Sintra Line
Manda vir que a fam tem no ADN a line
A reviver o game, track a track
Frame a frame
Vais quebrar o neck com o "Yes" no meu plane
Rimas com finesse até ao cair do pano
Ainda não ’tá nada ganho
Mais maduro a cada ano

[Verso 4: Papillon]

Minha comitiva rula, motivo te estimula
Eyo caçula, a gente anula a expectativa nula
Pitágoras não calcula as linhas que o genial formula
Não mexo com o nervo do X
I'm always back, espinal medula
E não tem como negar, não faço o meu som para agradar
O boy tem o dom da palavra
Ponho os Black Company a saber nadar
E assim vai, o senpai
Rima sai, assim tight
Break your neck, Busta Rhymes


[Refrão]
O pescoço diz yes
É assim que acontece
A gente Rola dodo tipo
Somos os Da Blazz
O pescoço diz yes
É assim que acontece
No rap contest
Não há quem nos conteste
O pescoço diz yes
É assim que acontece
O bounce vem de Chelas
Mas o flavour vem de LS
O pescoço diz yes (we)
Diz yes (we the fucking best)


[Verso 5: Prizko]

Estalo o pescoço
Não é por estar nervoso
É curioso
A causa do meu distúrbio
Embalo contagioso
A um ritmo furioso
Grognation é a team
Não mostrem repúdio
Se me calo, dá gozo
A ouvir o que ouço tudo um alvoroço
E sem pausa no subúrbio
Encurralo sem esforço
Podes querer que sou teimoso
No guarda-fato do quarto
Ou num compact estúdio
Seja qualquer for o polo
Batismo ou protocolo, pode não ter mediatismo
E vir do subsolo
Se eu curto e colo
Autismo que não controlo
De trás para a frente até ficar com traumatismo ou torcicolo

[Outro: Papillon]

We
Diz yes
We the fucking best

segunda-feira, 18 de março de 2019

WhySoSad - Voltas [video]



Mistura, Masterizacão: Nastyfactor (GROGNation) Captação: Prizko (GROGNation) Letra: WhySoSad Realização e Argumento: Tiago Alves Técnico de Câmera: DiniShootz Direção de Fotografia: DiniShootz e Tiago Alves Edição: DiniShootz e Tiago Alves WhySoSad: https://www.instagram.com/whysosad2725 https://twitter.com/whysosad2725 Estúdio Pico Pico https://www.instagram.com/picopicoig/ https://www.facebook.com/picopicoprod/ https://twitter.com/PicoPic0 Realiz.:@tiagodapontealves

2725 no Altice Arena [video]

No concerto que se realizou no passado dia 8 de Março no Altice Arena (A História do HipHop tuga) estiveram presentes os Groognation e Bispo... e gritou-se 2725...

clica abaixo para ver o video


Procissão do Senhor dos Passos em Mem Martins - 2019


sexta-feira, 15 de março de 2019

Famílias em convívio na Tapada das Mercês


Um conjunto de entidades, entre as quais a Câmara de Sintra e Junta de Freguesia de Algueirão Mem Martins, e grupos formais e informais organizam este sábado 16 de março na Escola Básica Visconde Juromenha , na Tapada das Mercês, a iniciativa FAMÍLIAS EM FESTA.
Entre as 9h e as 17h as atividades são várias, e incluem música, basquetebol, danças típicas, rastreios de saúde e uma mostra gastronómica.


Quiosque de Revistas na Av. Chaby Pinheiro

Antigo quiosque e sucursal do 'Millennium BCP' na Av. Chaby Pinheiro... mesmo com a escuridão da noite, quem conheceu o local, certamente se vai recordar.


quarta-feira, 13 de março de 2019

Uno Sonic na Casa da Juventude da Tapada das Mercês

No dia 16 de março, a Casa da Juventude da Tapada das Mercês, recebe o Uno Sonic, um espetáculo que irá juntar música, vídeo e dança.

O grupo que é um constante diálogo entre ritmos e melodias da Guiné-Bissau irá trazer, não só um pouco do seu país, como também vários timbres da música eletrónica ocidental, na voz característica de Ilesa da Costa e as experiências psicadélicas eletrónicas de David Martins.


Um espetáculo com vários convidados que terá início às 16h00.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Incêndio em Lar em Mem Martins foi há 20 anos


Um incêndio num lar de idosos em Mem Martins, que provocou a morte de 8 idosos ocorreu há 20 anos.


Noticia do Jornal 'Publico' em 16 Maio de 1999

Um incêndio provocou ontem a morte a oito idosos de um lar em Mem Martins, concelho de Sintra. Outros dois utentes ficaram gravemente feridos e mais dez passaram a noite no quartel dos bombeiros. O pesadelo poderá ter tido origem numa deficiência eléctrica, mas o facto de o estabelecimento não possuir licença, ainda pendente de vistorias da câmara e dos bombeiros, também poderá ter ajudado.


O Lar Coração de Maria, em Mem Martins, onde um incêndio provocou ontem a morte a oito idosos e ferimentos graves em mais dois, estava a funcionar sem alvará, encontrando-se a decorrer o respectivo processo de licenciamento. A aprovação do pedido de licença estava dependente, segundo uma fonte da Secretaria de Estado da Inserção Social, de pareceres da Câmara de Sintra e dos bombeiros. Foi cerca das 0h43 que os bombeiros de Algueirão-Mem Martins receberam uma chamada para acudirem a um incêndio no Lar Coração de Maria. Em poucos minutos chegaram junto da vivenda que servia de habitação para as duas dezenas de idosos, mas já pouco puderam fazer. Metade dos idosos ocupava vários quartos no rés-do-chão e os restantes, entre os quais alguns acamados, repartiam-se pelos quartos do piso superior, numa espécie de águas-furtadas. As chamas deflagraram na sala de convívio, existente ao cimo das escadas para o piso de cima, e junto ao corredor que dá acesso aos vários quartos. De acordo com o comandante dos voluntários locais, Manuel Sousa, o sinistro terá tido origem "numa sobrecarga dos circuitos eléctricos junto de uma televisão", que funcionava na sala de convívio. No entanto, esta suspeita terá ainda que ser validada por investigações posteriores, a realizar pelas autoridades policiais e pela Inspecção Superior de Bombeiros.As labaredas propagaram-se rapidamente ao revestimento interior da vivenda, em madeira e esferovite, provocando um fumo intenso. 

Das 10 pessoas que ocupavam o andar de cima, apenas duas sofreram queimaduras. As restantes morreram intoxicadas pelo fumo nos próprios quartos. Os bombeiros só conseguiram chegar ao local onde se encontravam as vítimas após combaterem as chamas na sala de convívio. Isto porque o único acesso aos quartos era precisamente pelas escadas, de reduzidas dimensões, e pela sala de convívio, já que todas as janelas da vivenda se encontravam vedadas com grades."Transformaram aquilo num presídio. Estou convencido de que as grades, neste caso, não intervieram directamente com as mortes, mas o que é um facto é que os bombeiros não puderam usar as janelas para entrar e tiveram que subir por onde estava o fogo", comentou o presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil, António Nunes. Segundo este responsável, o lar possuía dois extintores e um diagrama dos quartos devidamente afixado, mas os eventuais "canais de evacuação [as janelas] estavam tapados". Por isso, notou, "se houvesse uma fiscalização preventiva aquilo não tinha acontecido".

Uma vigilante do lar, Mariana Esteves, 50 anos, justificou a presença das grades com razões de segurança contra intrusos e para evitar que alguns dos idosos pudessem "tentar alguma coisa". A mesma funcionária garantiu que, quando trocou de turno com outra colega, pela meia noite, estava tudo bem: "Os velhotes estavam a dormir e não cheirava a queimado". As condições do lar também não lhe mereceram reparos, embora reconhecesse que, no piso de cima, havia um quarto "que não tinha luz e a campainha [de emergência] estava avariada". Quanto ao resto, assegurou, "eram todos tratados com carinho".Quem não está convencido disso é Carlos Ferreira, filho de uma sobrevivente do incêndio. Entre as suas críticas ao funcionamento da casa estão as queimaduras nos braços com água quente que a sua mãe sofreu em 28 de Fevereiro último. Carlos Ferreira acusou, através da RTP, os responsáveis do lar por terem deixado a sua mãe sem assistência médica "até ao dia 4 de Março". Em resposta às queixas que apresentou às entidades oficiais, disse, apenas recebeu uma carta informando que o Centro Regional da Segurança Social está a acompanhar o assunto.


Além dos oito mortos, os bombeiros transportaram para o Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) mais três feridos. Um deles teve alta pouco depois, mas os outros dois tiveram de ser transferidos para o Hospital de São José, em Lisboa. Ao final da tarde, o estado de ambos era "crítico", segundo um dos responsáveis pela Unidade de Queimados, António Gomes Silva. Os dois homens, um de 54 anos e outro de 76, apresentavam queimaduras na faringe, na traqueia e nos brônquios e suspeitava-se que também tivessem os pulmões afectados."Estiveram demasiado tempo encerrados num ambiente fechado, com muito calor", explicou o médico. "Encontram-se ligados a ventiladores e estão muito mal", acrescentou o clínico. Mesmo que sobrevivam aos próximos quatro ou cinco dias, não é certo que se salvem, devido à gravidade das lesões provocadas pelas queimaduras. Um factor que pode ter pesado negativamente na evolução do estado dos dois homens foi a falta de informações, no hospital, sobre o seu passado clínico. Suspeitava-se ontem de que um deles poderia ser diabético.Os sobreviventes passaram a noite no quartel dos bombeiros de Algueirão-Mem Martins. Ali foram visitados pelo ministro da Solidariedade Social, Ferro Rodrigues, pelo secretário de Estado-adjunto do ministro da Administração Interna , Armando Vara, e pela presidente da Câmara de Sintra, Edite Estrela (ver reacções nestas páginas). Perto das 6h45, os 10 idosos seriam transferidos para o Lar da Quinta do Oitão, em São Pedro de Penaferrim, propriedade do Centro Regional da Segurança Social e gerido pela Fundação António Leal Silva."Eles queixavam-se principalmente de muito fumo, muito fumo", contou a directora da Quinta do Oitão, Susana Branco, que se escusou a facilitar o contacto do PÚBLICO com qualquer dos sobreviventes, por estes estarem "a descansar". Todavia a estação de televisão SIC teve acesso a um dos sobreviventes acolhido no lar da Segurança Social, que contou ter-se apercebido das luzes a apagarem-se, ter ouvido um estrondo e ter ouvido os bombeiros a gritar.

O Lar Coração de Maria, acusou, tinha "más condições".As famílias de dois dos sobreviventes já ontem tinham assegurado a sua transferência, na segunda-feira, para outras instituições. Os restantes ficarão entregues aos cuidados do lar de São Pedro, que ontem viveu um corropio excepcional, também por parte das famílias dos idosos que já ali se encontravam. "Ela está bem disposta", descreveu Laurinda Alves, após visitar a mãe, Maria dos Prazeres, 75 anos, que viveu os últimos cinco anos no Coração de Maria. A filha mostrou-se convencida de que a mãe e o pai, este falecido há duas semanas, eram bem tratados no lar de Mem Martins, e negou ter conhecimento de falta de limpeza ou maus tratos.Entretanto, segundo uma fonte da Secretaria de Estado da Inserção Social, o lar apresentou em Dezembro de 1998 um pedido de licenciamento ao abrigo das novas normas de funcionamento deste tipo de estabelecimentos. Embora haja no processo alguns elementos fornecidos pelos bombeiros, o mesmo informador acrescentou que a autorização ainda não foi dada "porque faltam pareceres de vistorias dos bombeiros e da câmara municipal". Por seu lado, a associação que representa os proprietários de lares de idosos comunicou que o Coração de Maria funciona como lar desde 1976, e que à semelhança de 90 por cento dos lares do país, aguarda o licenciamento, funcionando com um "certificado de segurança dos bombeiros".Questionado acerca do processo existente na Segurança Social, o segundo comandante dos voluntários de Algueirão-Mem Martins, César António, admitiu que possa ter existido "uma consulta" à sua corporação, mas salientou que " em circunstância alguma pode haver um parecer positivo dos bombeiros" ao Coração de Maria. E concluiu: "Formalmente não deu entrada qualquer pedido de vistoria". O proprietário, Salim Talik Ibrahimo Ossam, que o PÚBLICO não conseguiu contactar, possui um outro lar em Loures. Segundo uma empregada encontrava-se ausente.






terça-feira, 5 de março de 2019

Requalificação do Largo das Mercês


Uma Festa em Mem Martins

Noticia de Jornal de 09 de Outubro de 1929
Uma festa em Mem Martins

Realizou-se, como noticiamos, uma interessante festa de confraternização da colónia veraneante para despedida da época, tendo-se reunido num animadissimo baile, as principais famílias que aqui se encontram a passar o verão. A festa, que teve um cunho acentuadamente elegante, e à qual vieram assistir alguns rapazes de Lisboa, para esse fim convidados, efectuou-se num vasto recinto cedido pelo proprietário pelo Pinhal dos Fanares, sr.coronel Namorado de Aguiar, tendo-se dançado com alegria e entusiasmo, durante toda a tarde e grande parte da noite.

Com a entrada de Outubro começaram a retirar algumas famílias, sendo certo que muitas outras se conservam ainda durante o corrente mês, dada a amenidade do clima que nesta localidade se desfruta, mesmo de inverno.

Teem vindo a Mem Martins vários capitalistas escolher terrenos para construção, o que prevê que dentro de poucos anos, esta terra experimentará um grande desenvolvimento, perfeitamente justificável, porquanto ela se presta, admiravelmente, para uma estância de repouso e cura.



segunda-feira, 4 de março de 2019

[TVI] Cena da novela 'A Teia' filmada no Algueirão [video]

No episódio do passado domingo da novela 'A Teia', transmitida na TVI, a cena inicial do episódio foi filmado num prédio de habitação situado no 'Bairro da Coopalme', no Algueirão.