14/11/2008

Ermida de São Romão - Monumento ou apenas ruína?

"A Ermida de São Romão ergue-se sobre uma elevação, ou plataforma, artificial, no interior da qual se registam importantes vestígios arqueológicos romanos e pré-históricos.
No seu todo, trata-se, sem qualquer dúvida, do principal conjunto histórico-monumental da Freguesia de Algueirão - Mem Martins e, no seu género, de um dos mais significativos do Concelho de Sintra."

Todo o texto em:
"http://www.jfamm.pt/sitemega/view.asp?itemid=278&catid=153"

Ao ler este texto tive alguma curiosidade em conhecer este monumento tão valioso da Freguesia. Esta antiga Ermida encontra-se mesmo no limite da freguesia, numa zona que eu considero, que faz pouco sentido ainda pertencer a Algueirão - Mem Martins, devido ao afastamento do centro, e acima de tudo pela a barreira física que existe hoje, com o IC30.












Quando cheguei ao local, admito que fiquei chocado com o que vi. O texto no site da Junta de freguesia, classifica a Ermida, como um verdadeiro Monumento, com elevado valor histórico, mas o que encontrei foi isto:


Umas paredes velhas, abandonadas e rodeadas de entulho.


















Paredes destruídas e cheias de Grafittis...



















Aquela é uma janela do Século XVIII
, praticamente destruída



















Será que a aproximação do Betão vai engolir a História?



















Ao fundo, o que resta da Capela-Mor


















Com o Palácio da Pena de fundo, serve para se reflectir, que esta Ermida é muito mais antiga que o referido Palácio.


















E ficam várias duvidas no ar:
- Qual a posição da Câmara Municipal sobre este Monumento?
- E a Posição da Junta de Freguesia?
- Trata-se efectivamente um Monumento de interesse publico, ou apenas aguarda o avanço do betão para confirmar a sua total destruição.
- E a população tem conhecimento deste monumento?
- Existem projectos para recuperar a Ermida?


4 comentários:

  1. Duvido que hajam projectos para recuperação da Ermida, pois a freguesia de Algueirão Mem Martins é a freguesia do Betão Armado e por conseguinte o Betão ira engolir a Historia!

    Infelizmente nem espaços verdes existem nesta freguesia, so constroiem à toa, por isso tera que se conformar que o espaço onde estão as ruinas do monumento sera subtituido por um prédio ou mais um centro comercial!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns pelo trabalho realizado.É vergonhoso que não tenhamos tido defensores desta nobre causa nos autarcas desta terra.Se reparar sou um bom participante do forum, embora tenha andado afastado ultimamente.Nasci no ALGUEIRÃO EM 1965 E EMBORA TENHA TENTADO DESCOBRIR ESTA Ermida nunca conseguí localiza-la.

    ResponderEliminar
  3. Já estive várias vezes na ermida e já realizei duas reportagens sobre ela. É um local com o seu quê de fascinante e de deprimente.

    Mais a mais, o facto de existirem vestígios arqueológicos de origem romana (podem vê-los no Museu de Odrinhas) oriundos desta zona, permite-nos imaginar o que não estará escondido debaixo do solo. A carta arqueológica militar que consultei indicava isso mesmo e o próprio PDM de Sintra alerta para essa questão.

    Nos anos 40, houve um projecto de recuperação da ermida, promovido por alguns locais. Na biblioteca do Museu de Odrinhas podemos encontrar alguns documentos sobre esse tema, o possível projecto para a «nova» capela (que nunca o foi) e até mesmo imagens do edifício nos anos 20. É uma pesquisa que vale bem a pena por aquilo que se descobre.

    ResponderEliminar
  4. Já estive várias vezes na ermida e já realizei duas reportagens sobre ela. É um local com o seu quê de fascinante e de deprimente.

    Mais a mais, o facto de existirem vestígios arqueológicos de origem romana (podem vê-los no Museu de Odrinhas) oriundos desta zona, permite-nos imaginar o que não estará escondido debaixo do solo. A carta arqueológica militar que consultei indicava isso mesmo e o próprio PDM de Sintra alerta para essa questão.

    Nos anos 40, houve um projecto de recuperação da ermida, promovido por alguns locais. Na biblioteca do Museu de Odrinhas podemos encontrar alguns documentos sobre esse tema, o possível projecto para a «nova» capela (que nunca o foi) e até mesmo imagens do edifício nos anos 20. É uma pesquisa que vale bem a pena por aquilo que se descobre.

    ResponderEliminar