17/11/2012

História da Escola Piloto - Mem Martins

A Escola Piloto, agora designada por EB1 nº 2 de Mem Martins, foi inaugurada em 1966. Construída na altura pelo M.O.P. (Ministério das Obras Públicas) com o intuito de criar um projecto piloto de que a construção nada tinha com as escolas do Estado Novo mas estruturas com nova imagem. 
Esse projecto piloto tinha como finalidade que os alunos que frequentassem a 1ª classe, apesar de mudar de sala de aulas à medida que transitavam de ano, a professora acompanhava os mesmos até à 4ª classe e assim sucessivamente...
A Escola Piloto, tem vindo, com o passar dos anos, a sofrer alterações estruturais bem como melhoramentos de equipamento. No entanto a estrutura base bem como a sua imagem primária tem se mantido. Mas eis a história ...
História da E.B.1 n.º2 de Mem Martins
No ano de 1960 é criada a OCDE (Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económicos) de que faz parte o CERI (Centro para a Investigação e Inovação no Ensino) que considerava que o desenvolvimento do sistema educativo era determinante no desenvolvimento económico e o DEEB (Desenvolvimento e Economia em Construções Educacionais) que apoiava as construções escolares. 
O ministro da Educação da altura, Leite Pinto, solicitou à OCDE um estudo internacional sobre as necessidades educativas em Portugal e daí resultou o Projecto Regional do Mediterrâneo que incluiu, além de Portugal, a Espanha e a Grécia e ainda a Itália, a Turquia e a Jugoslávia. Em Portugal, para passar a escolaridade obrigatória de 4 para 6 anos, mesmo passando as classes para regime duplo ou desdobramento (ou só de manhã ou só de tarde), era necessário construir mais de 2000 salas de aula, num país em desenvolvimento.
Em 1963 foi criado o Grupo de Trabalho sobre Construções Escolares, constituído por técnicos (alguns dos quais com experiência de construções escolares na União Internacional de Arquitectos) do Ministério da Educação Nacional e do Ministério das Obras Públicas, que em 1965 elaborou as Normas para a Construção de Edifícios para o Ensino Primário Elementar, que não chegaram a entrar em vigor.
Na sequência e em aplicação dos estudos realizados no âmbito do Ministério das Obras Públicas, em colaboração com o Ministério da Educação Nacional e ao abrigo de acordo celebrado com a O.C.D.E., em 31 de Dezembro de 1963, foi-se construindo, com o apoio da Câmara Municipal de Sintra, em Mem Martins, um edifício destinado a ser escola-piloto do ensino primário, tendo--se tornado modelo nas futuras construções de escolas primárias.
O conceito de escolas ideais nesta altura era um conceito de “escolas de área aberta”. A Escola Piloto de Mem Martins, que não sendo de planta aberta, demonstrava aproximações a esse conceito e era o que de mais inovador existia em Portugal.
A escola de área aberta tinha sido projectada partindo do pressuposto de não haver espaços individuais para a turma. O que permitia elaborar um programa distinto, juntar o programa educativo com as preferências dos alunos. 
O edifício ficou concluído em 1966. Por despacho ministerial de 3 de Agosto de 1967, foi oficialmente criada a Escola Piloto, actual E.B.1 nº2 de Mem Martins, sob a orientação do arquitecto inglês Guy Oddie.
Uma escola que se pretendia em tudo inovadora, não só no espaço físico, mas também nos recursos utilizados e orientações no campo da pedagogia.
Em Portugal, vigorava ainda a separação de sexos no ensino primário. Na construção de Mem Martins, foi necessário construir quatro salas (duas de cada sexo) com recreios cobertos também separados. O pátio a sala polivalente e a biblioteca eram comuns. 

O ano lectivo de 1967-1968, marcou o arranque da escola que funcionou como escola-piloto, um local onde se realizaram experiências pedagógicas inéditas em Portugal, até ao ano de 1974. Após esta data, passou a integrar a rede normal, passando a denominar-se E.B.1 nº2 de Mem Martins, no entanto ainda hoje é conhecida pelo seu nome Original “Escola Piloto”.
Com o 25 de Abril, a situação mudou e os professores andavam de escola em escola, o que dificultava a adaptação a um modelo pedagógico diferente.
À medida que a população cresceu, havia menos espaço para os alunos. E assim o modelo tradicional das escolas reconquistou o terreno que antes lhe pertencia, até pelas alterações do modelo de ensino que actualmente se baseia numa escola básica com nove anos de escolaridade obrigatória. Várias situações no ensino alteraram-se e o edifício não resistiu às mudanças.
A necessidade de crescimento da escola, para poder responder ao crescente número de alunos, fruto do aumento de densidade populacional que esta localidade sofreu, a escola necessitou de criar dois novos anexos.
No ano lectivo de 2004-2005 foi criado o Agrupamento Vertical de Escolas Maria Alberta Menéres. A Escola passou a estar agregada à escola do 2º e 3º ciclos com o mesmo nome.

3 comentários:

  1. Agora pertence ao Agrupamento de Escolas de Mem Martins - Escola Secundária de Mem Martins (Sede)

    ResponderEliminar
  2. Boa noite,
    Referente a escola Piloto tenho um grande orgulho em ter tido iniciado os meus estudos... e passado 34 anos o meu filho mais velho iniciou o seu ciclo...No dia da apresentação posso afirmar que vi cerca de 3 a 4 colegas meus antigos a levarem os seus filhos para a apresentação...e espero que o meu mais novo possa desfrotar daqui a dois da mesma escola que andei...

    ResponderEliminar
  3. Que saudades desse lugar ....agora moro no Brasil

    ResponderEliminar