17/09/2008

Saudades - Radio Ocidente - Como tudo começou

5 comentários:

  1. epah muita gente por cá aparece, mas comenários é grupo... sempre a mesma coisa ...

    olha acho que estas a ir por um bom caminho... bjinhos e fica bem

    ResponderEliminar
  2. É bom informar e "actualizar" as cabecinhas dos habitantes desta vila.
    Continua que vais bem. Alguma coisa que necessites, apita. Força aí...

    ResponderEliminar
  3. Pois é... Eu fiz parte dessa aventura. Mas ainda há um antes:
    Quando conheci o Rui Teixeira (éramos colegas de turma no Liceu da Portela de Sintra) a Rádio Ocidente tinha uma espécie de instalações provisórias num andar de um prédio na Estrada de Mem_Martins, perto do Centro de Saúde (ou de Doentes como preferirem). O meu ingresso na Rádio juntamente com o Alexandre Duarte e o Renato Duarte fez-se após uma entrevista com os donos da Rádio (Dr. Rui Teixeira e mais um senhor porreiro de que já não me lembro o nome) e com os 2 colaboradores da altura, uma senhora que se chamava Gabriela se não me engano e o Rui Teixeira (filho). Foi uma entrevista rápida com algum nervosismo da nossa parte mas fomos aceites e começámos a trabalhar já na famosa "roulotte" aos sábados e domingos das 18 ás 20 com um programa a que chamámos "Transição".
    Foram uns óptimos tempos de convivio, camaradagem, desenrascanço e muita paciência. Lembro-me bem das noites de Natal e Fim-de-ano em que fazíamos emissão continua até ao outro dia de manhã sempre com grande "andamento".
    Por lá passaram grandes pessoas como o Jorge Tavares (excelente), o João Alves que organizou grandes festas da Rádio Ocidente pelo concelho de Sintra fora (inequeciveis), os 3 realizadores do "Bosque de Arestas", programa completamente fora do comum, as 2 Sandras que faziam comigo o programa de informação aos domingos de manhã, o Rui Teixeira que comigo fazia o "Janela Para a Noite", programa de grande sucesso entre as jovens da altura pela música suave que passava.
    Também por lá andaram umas "estrelas decadentes da rádio Portuguesa" como o Jorge Cubanco e sua esposa que vindos de rádios de âmbito nacional não entenderam bem o espírito de uma rádio como a nossa.
    De lá saíram na minha altura a Célia Bernardo que andou pela Correio da Manhã Rádio e Rádio Comercial (nunca mais soube nada dela) e uma Susana (?) que conseguiu dar o "salto" para a Antena 1 penso eu. Mais tarde o Rui Teixeira também saiu e andou por outras aventuras radiofónicas até meter a "reforma" destas lides.
    Quando a Rádio passou para a Urbanização por trás dos Bombeiros foi-se o encanto. Pelo menos para nós. Ainda trabalhámos bastante na transformação de 2 lojas em estúdios de rádio mas depois fomos mais ou menos "convidados" a sair e rádio nunca mais... Tanto eu como o Alexandre e o Renato a única coisa que recebemos de 3 ou 4 anos de Rádio Ocidente foi, se não me engano, um Bolo Rei, oferta da Pastelaria Central, num Natal qualquer. Mas isso não era o mais importante. O mais importante foi o tempo passado e os amigos que se criaram na altura. Isso sim. Não acredito que aquela Rádio tenha voltado a ser como foi nos gloriosos tempos da "roulotte" no quintal do Rui Teixeira. Nem com as grandes "figuras" que posteriormente por lá passaram.
    Já lá vão 20 anos mas as memórias perduram...

    ResponderEliminar
  4. Quando se fala em rádio ocidente, existem 3 nomes que são fundamentais de referir e que inexplicavelmente não aparecem, quer no post, quer nos comentários, são eles: Flávio Melo; Maria Leonor e o João Alves.
    O Flávio, na altura era eu uma jovem de 18 anos, era fantástico! Grande voz e profissionalismo, as suas "Manhãs da Ocidente" deram dimensão á rádio e muita audiência. Tinha de facto uma voz excepcional, se bem me recordo na altura a grande maioria do anuncios tinham a sua voz. Segui-lhe o rasto até 1993 na Rádio Energia, sei que entretanto passou pela Mais (amadora), Correio da Manhã Rádio e Rádio Gest. Gostava de saber o que faz actualmente porque na verdade era uma grande fã da sua voz.
    É justo referir a Maria Leonor pelos anos que dedicou á Rádio Ocidente, nomeadamente com o "Sopa de Letras" que fazia ao FDS e tambem pelo "Peça agora, oiça já" que fazia com o Flávio Melo e que foi um programa revolucionário e tinha muita audiência.
    O João Alves tinha uma boa voz e passava boa musica é dos primeiros locutores que me lembro na Rádio Ocidente, mesmo antes do Flávio. É justo relembra-lo pelo dinamismo que as festas deram á rádio.
    Todos os outros que vireram a seguir pouco ou nada trouxeram de novo...
    Gostava que se alguém souber novidades destes senhores diga...
    Grande beijo a todos!
    Joana

    ResponderEliminar
  5. De lá fizemos "O Homem no Tempo", com o Jorge, o António Sousa, o Rui Oliveira, a Bé,... cujas gravações ainda guardo religiosamente em K7 e já passei a digital.
    Belos tempos: quando o Tó entrava, a roulotte tremia e a agulha saltava no LP!

    ResponderEliminar