28/12/2008

Algueirão-Mem Martins - Comércio num Raio de 2,5Km

Fiz uma pequena animação e demonstração, do comércio existente na freguesia e nos arredores.
A zona analisada tem um raio de 2,5km, e deste modo consigo demonstrar o excesso de grandes superfícies. Algo que não está em vias de terminar, pois já está em construção mais um Minipreço no Bairro da Cavaleira, no Algueirão (eu já considerei), e continua em estudo a construção de mais um hipermercado Modelo em Mem Martins. Segundo informação que obtive, tem existido alguma dificuldades no licenciamento da obra no local referenciando (Rua António Feijó, ver post mais antigo do blog), e já se encontra em estudo outro local, pelo que sei, junto ao IC19, em São Carlos. O projecto do Jumbo em São Carlos, é algo que eu acredito não estar ainda totalmente abandonado, mas o tempo o dirá... Quanto ao Comércio tradicional, muitas lojas, que já existiam à muitos anos, estão a fechar, mesmo em zonas de muito movimento,


















porque agora o que está na moda são grandes lojas, mão-de-obra barata e pouco qualificada, e lojas abertas até tarde...
Alguém está a defender os pequenos comerciantes?

Como não sei responder, vou mostrar o que efectivamente está na moda, as grandes lojas e os grandes supermercados...

Zona Comercial no Bairro da Cavaleira e Lourel













Zona Comercial no ALgueirão e Tapada das Mercês














Zona Comercial Sul de Mem Martins













Visão Global de Toda a Zona












E é desta maneira que a freguesia é um alvo muito apetecivel pelo mercado publicitario... Viva a Publicidade... Viva o Consumismo...

2 comentários:

  1. Grande trabalho, Hugo. Parabéns. O meu comentário para este post é que qualquer dia temos mais comércio que habitação.

    ResponderEliminar
  2. Ola Hugo Pai Natal! LOL

    Como sabes, os meus pais têm uma pequena mercearia, e o que eu gostava mesmo de ver era quotas para a existência de grandes superfícies.

    Isto é, só pode existir um hipermercado por cada x pessoas. À semelhança do que se passa com as farmácias. Imaginemos que para a freguesia 3 grandes superfícies chegavam!

    Temos duas praças ao ar livre duas vezes por semana (penso que no Concelho de Sintra mais nenhuma freguesia apresenta tal indice elevado), e mercados em vários locais abertos diariamente (s.carlos, Mem Martins, não me recordo se existe algum no algueirão). Ora estes mercados estão às moscas! A CMS gasta dinheiro a criar infra-estruturas, para depois autorizar a que os gigantes as destruam?!?!? Se era para isso, mais valia nem as criar...

    Vantagem disto: menos investimentos até para os hipers (hoje em dia a guerra é entre eles, e não entre eles e os pequenos comerciantes), e manutenção dos comércios de bairro.

    Se há quotas para produção de leite, para produção de vegetais, de azeite, e etc, porque não há quotas para a distribuição desses mesmos bens??? é porque esses gajos financiam campanhas políticas! digo eu!

    Abraço!

    ResponderEliminar