16/04/2010

Arvore Centenária, em Mem Martins
























"Há em Mem Martins, na Travessa do Poço Novo, uma árvore centenária, de porte elevado, um eucalipto, que os antigos habitantes desta povoação muito bem conheciam", in Descobrir Algueirão Mem Martins, de Dulce Pinto

Esta árvore está localizada na zona mais histórica de Mem Martins, na antiga Zona Saloia, perto de Largo Artur Soares Ribeiro. Era um ponto de encontro, e uma referencia, quando Mem Martins era uma simples aldeia saloia. Sempre achei interessante, como os habitantes mais antigas se referiam com elevada estima a este eucalipto. Certamente, memórias do passado...

No entanto, em ABRIL 2010, a Câmara Municipal de Sintra decidiu... (ver foto abaixo)

7 comentários:

  1. Como já temos tanto verde por estas bandas, o que há ainda arrancam do chão. Em Lisboa as pessoas revoltaram-se quando viram as árvores centenárias do Jardim da Estrela serem cortadas. Aqui, ninguém deu por nada?

    ResponderEliminar
  2. A árvore vai ao chão, mas a construção abandonada e perigosa do outro lado da rua, continua impune e disposição de todo o tipo de perigos e crimes

    ResponderEliminar
  3. Por algum motivo foi.. Estaria em perigo de cair ?? Estaria a estorvar o "futuro" empreendimento no terreno do lado direito? Estaria a Câmara a pensar na lenha para o próximo inverno? Quem sabe??... só quem decidiu!!

    ResponderEliminar
  4. Deve ser para libertar a vista aos moradores do prédio do lado eheheh...

    ResponderEliminar
  5. Parece-me que neste caso o que pode ter acontecido é algo ou alguém se ter queixado da árvore estar a impedir a passagem de peões (em particular, a quem ande de cadeiras de rodas).
    A única hipótese que havia aqui seria passar o passeio para dentro do terreno ao lado, mas vamos ser sinceros: ninguém está disposto a sacrificar 4m2 de terreno para salvar uma árvore!
    Já agora, não estou a favor desta decisão...

    ResponderEliminar
  6. É só uma árvore. Para os responsáveis isso não é nada... Quando autorizam o abate de centenas para construir aberrações ainda batem palmas se for preciso, porque é que se iriam importar com uma árvore???

    ResponderEliminar
  7. Os meus avós maternos moraram nessa rua. Na altura, era eu uma míuda com pouco mais de 5 anos de idade.
    Essa árvore, vale o que vale... ou seja nada. Mas, para mim, ela representava parte de uma memória, uma lembrança de outros tempos.
    Passaram já 15 anos desde que deixei de morar em Mem Martins.

    ResponderEliminar