Tempo em Algueirão Mem Martins

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

+ Betão na Tapada das Mercês.... !!! Quinta da Marquesa !!!

Faz sentido nascer um novo projecto urbanístico na Tapada das Mercês? 'Quinta da Marquesa'...

Um Parque Urbano e.... + Betão, + promessas de qualidade de vida...
ainda se lembram do slogan do projecto da Tapada das Mercês? 
"um lugar para morar que já vem com todos os extras"

Ténis, Bancos, Centro Comercial, Loja Cidadão.... e quem acreditou bem se sentiu enganado....   

e claro, esta informação sai para o público 
depois das eleições... (conveniente)


Acham que ainda há espaço de qualidade de vida na Tapada das Mercês com mais Betão?

Qual a previsão do aumento de habitantes da freguesia de Algueirão Mem Martins com a construção deste projeto?


O município de Sintra apresentou, esta terça-feira, a Unidade de Execução da Quinta da Marquesa, na Tapada das Mercês, na Freguesia de Algueirão Mem Martins, aos alunos do curso de arquitetura da Faculdade de Arquitetura de Lisboa, que vão testar e aperfeiçoar o modelo.

O projeto da Quinta da Marquesa, foi elaborado pela Câmara Municipal de Sintra e compreende uma área total de construção de 400.767 m² e de implantação de 147.691 m².

O desenvolvimento deste projeto centra-se no conceito de cidade compacta, que se encontra intimamente ligado ao desenvolvimento urbano sustentável e à qualidade de vida, na medida em que apresenta vários benefícios ao nível ambiental, social e económico. 

Neste sentido, “a concretização deste conceito passa, em primeiro lugar, pela qualificação do espaço público e um favorecimento do espaço destinado aos peões em detrimento do espaço destinado aos automóveis”, refere a autarquia em nota de imprensa.




Para a Quinta da Marquesa, prevê-se a criação de um Parque Urbano com cerca de 30 hectares, composto por equipamentos desportivos e educativos, e envolvido por espaços habitacionais, que apresentam uma relativa densidade.

Por sua vez, os quartões devem ser constituídos por blocos que variam aproximadamente entre os 3.000 m e os 7.000 m de área de construção, o que permitirá uma densidade média de 30 fogos por quarteirão (120 por unidade), considerando que 75 % seja destinado ao uso habitacional e os restantes 25% para atividades económicas. 

Para além da dotação obrigatória de estacionamento privativo, prevê-se uma dotação para o estacionamento público de 80 lugares por unidade. Não obstante, o sistema da cidade deve consubstanciar-se principalmente nos transportes públicos, nos modos suaves e na ligação entre este espaço e a interface ferroviária da Tapada das Mercês.

Faculdade de Arquitetura vai testar
Unidade de Execução proposta pela autarquia

Na ocasião, Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, sublinhar a importância do investimento já realizado na Tapada das Mercês e que “continua com a Quinta da Marquesa, num projeto que privilegia a nossa coletividade, a par da qualidade e do bem estar da população”. Segundo o autarca, “queremos devolver aos nossos munícipes o que é deles e fazer de Sintra um lugar onde valha a pena viver”.

A participação dos alunos da Faculdade de Arquitetura visa testar esta Unidade de Execução proposta pela autarquia, o que permite aperfeiçoar este modelo.

A Quinta da Marquesa está inserida na Área de Reabilitação Urbana de Algueirão Mem Martins/Rio de Mouro, criada com um conjunto de objetivos estratégicos, nomeadamente a revitalização do centro urbano, promoção da dinâmica e económica local e da integração social e cultural, valorização da Ribeira da Laje, criação de percursos pedonais e cicláveis e reabilitação do edificado privado e do património municipal.





Sem comentários:

Enviar um comentário