06/12/2009

Jovem residente da Tapada da Mercês recebe ajuda do actor José Fidalgo

No último dia de gravações, o Gonçalo de Perfeito Coração ofereceu a sua cadeira de rodas, de 1500 euros, a um dos atletas com quem gravou.

Pode até ter sido uma passagem curta a de José Fidalgo na novela Perfeito Coração. Mas, ao final de cinco meses de gravações, esta é uma história com um final feliz. O actor que dá vida a Gonçalo, um jovem arquitecto paraplégico que é também basquetebolista, decidiu oferecer a cadeira de rodas da sua personagem a João Pedro Delgado, um dos elementos da Associação Portuguesa de Deficientes (APD) de Sintra, a equipa que treinou com Fidalgo na novela."Surgiu-me a ideia no último dia de gravações e foi logo a primeira coisa que fiz quando acabei de filmar", revelou o actor à Notícias TV.


Depois de se certificar com a produção de Perfeito Coração que a cadeira de rodas não teria de ser devolvida, José Fidalgo não pensou duas vezes ao oferecê-la ao jovem atleta, de 20 anos. "O João Pedro era um dos elementos da equipa de basquetebol com menos possibilidades financeiras. A cadeira de rodas que ele antes usava era composta com peças de cadeiras antigas fornecidas pelos seus colegas da APD."


Coincidência ou não, a cadeira de rodas em questão foi feita à medida de José Fidalgo, mas assentou que nem uma luva ao jovem atleta da APD Sintra. Um presente especial que ronda a módica quantia de 1500 euros. "É uma cadeira cara porque é muito leve e porque tem um modelo próprio e personalizado", adiantou à sua revista o produtor de Perfeito Coração.


Ao que a Notícias TV conseguiu apurar, João Pedro Delgado, que concilia a carreira profissional de basquetebolista com os estudos, sentia algumas dificuldades nas deslocações casa-escola por ter uma cadeira de rodas pouco resistente para andar na rua. Um problema que agora deixou de existir para o jovem atleta paralímpico residente na Tapada das Mercês, concelho de Sintra.

1 comentário:

  1. É de louvar tal atitude, tendo vindo do actor que conseguiu dissuadir a equipa de produção para não devolver a cadeira, que pelo formato e bastante cara, e que normalmente as entidades competentes não subsidiam.
    Um louvor ao actor e a produção da novela por acto tão nobre.

    Cs4cap

    ResponderEliminar