13/08/2011

Noticia do "Jornal de Sintra" de 10 de Setembro de 1944

Noticia do "Jornal de Sintra" de 10 de Setembro de 1944


"Em tempos passou por Mem Martins o grande desportista Victor Sassetti, que era proprietário da magnífica Quinta de Fanares. Entusiasta da pesca desportiva, repovoou o nosso rio de diversas espécies de peixes, tentando igualmente o repovoamento de lagostins. Talvez poucos saibam deste facto, mas o rio de Mem Martins é o único, no concelho de Sintra, onde os lagostins mais têm procriado em larga escala.
Como, em geral, todas as coisa boas tendem sempre a desaparecer – e quase sempre por espírito de maldade – infelizmente o intuito do sr. Sasseti não foi secundado e acarinhado, como devia, mas antes atraiçoado por uns tantos espíritos tacanhos e estúpidos, e o rio o rio em referência começou a ficar pobre em espécies de peixes.
 Há-o ainda, é certo. E mais poderá haver, se quiserem providenciar nesse sentido. Providenciar nesse sentido e naquele em que está a defesa do existente, pois há por cá malvados que envenenam as águas e matam grande quantidades de peixe – indo depois buscá-los e caldeirá-lo!!!
É o máximo da estupidez e da maldade!!!
A quem compete providenciar neste sentido?
Talvez a Secção de Pesca Desportiva do S.U.S., que ainda á poucos meses levou a efeito um retumbante concurso, patrocinado pelo “Jornal de Sintra”, no rio de Colares, queira ouvir-nos e atender-nos, no que só faz bem.
Lagostins, ainda há dias, com uns amigos, pescámos alguns, facto que causou admiração a esses amigos, que ignoravam a existência deles no rio de Mem Martins. Tudo matam, os vândalos, se não houver quem olhe a sério para aqui."

Esta noticia tem  67 anos, e não deixa de causar, muito provavelmente, alguns sorrisos a quem a lê. No entanto, basta passear num pequeno carreiro que existe nos Casais de Mem Martins, junto à antiga "Fonte dos Casais" (também conhecida por Fonte de São Pedro), e olhar para a água que corre dentro desta fonte. 

Este espaço, no passado, era utilizado para dar água ao gado e para lavagem de roupa, como se pode comprovar com as pedras ainda existentes no local. 

É verdade, não sei se ainda serão da mesma espécie da antiga "Quinta de Fanares", mas parece que estes bichinhos continuam a gostar das águas de Mem Martins, e não deixa de ser engraçado comprovar a sua existência por estas paragens.


2 comentários:

  1. Facto curioso. Qual é o local exacto desta fonte?

    ResponderEliminar
  2. Passei grande parte da minha infância nesse sítio a pescar lagostins e a voltar a devolver os bichos à fonte. No tempo em que andávamos de bicicleta nas rampas de terra onde posteriormente fizeram as vivendas amarelas. Quando essa rua foi alcatroada foi uma maravilha, andávamos de carrinho de rolamentos até lá abaixo e andavam sempre a mandar-nos embora por causa do barulho das rodas eheheh. Ao menos, a comprovar pela imagem, está com aspecto cuidado.

    ResponderEliminar