05/12/2012

Nova Fase - Tapada das Mercês [Quinta da Marquesa]

Faz sentido nascer um novo projecto urbanístico na Tapada das Mercês? 'Quinta da Marquesa'...

Com todas as dificuldades na obtenção de crédito... dificuldades na aquisição de habitação...
... numa zona urbanisticamente degradada... faz sentido pensar neste tipo de projectos? 





13 comentários:

  1. Olá, que é isto?
    Vão avançar como uma nova fase de construção na Tapada? Nesta época de crise???
    As imagens apresentadas fazem parte da nova fase? Estes edifícios nada têm a haver com os edifícios da Tapada, mais parecem os dos parque das Nações.
    Cumprimentos,
    Sandra

    ResponderEliminar
  2. Parece-me que a junta está a precisar de mais dinheiro nos cofres. Enfim. Discordo de mais um mono, precisamos é de jardins e infraestruturas.

    ResponderEliminar
  3. Sinceramente não faz sentido algum este tipo de projectos, senão vejamos:
    - A Tapada das Mercês é possivelmente o melhor exemplo de CAOS urbanistico que existe em Portugal - deu-se mais importância ao lucro das construtoras do que ao desenvolvimento e crescimento sustentável. Estar a "plantar" mais prédios naquela "mancha florestal urbanistica" será reduzir ainda mais a pouca qualidade de vida das pessoas que lá vivem;
    - Estamos numa época de crise - a banca não se encontra em condições de emprestar dinheiro a particulares,as familias não se sentem nas melhores condições para fazer um investimento de tal dimensão devido à incerteza da sua vida profissional, à descrença em geral.
    Além do mais, fiscalmente deixou de ter qualquer tipo de interesse: o aumento do IMI, a eliminação da dedução dos gastos com habitação em sede de IRS.

    Para finalizar, antes de pensarem em colocar mais elementos para deteriorar a parca qualidade de vida na Tapada das Mercês - Reflitam e tomem decisões para melhora-la.

    ResponderEliminar
  4. Essas imagens, não sei qual a sua fonte oficial, mas conheço um fórum de urbanismo onde também apareceram colocadas, e conhecendo minimamente esse fórum eu diria que são mesmo da nova fase da Tapada:

    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1560179

    ResponderEliminar
  5. Isto deve ser o projecto para daqui a 50 anos, quando implodirem os prédios da Tapada!
    Ou então vão construir um condomínio privado, com entradas e passagens controladas, além de uma cerca a separar os ricos dos pobres!!
    Enfim...!!

    ResponderEliminar
  6. Isto deve ser o projecto para daqui a 50 anos, quando implodirem os prédios da Tapada!!
    Ou então, trata-se de um condomínio privado com uma cerca a separar a Tapada antiga da Tapada nova!!
    Eu por acaso já enviei 2 e-mail's à área de urbanização da C.M.Sintra a perguntar o que pensam fazer deste local abandonado, que actualmente só serve para as umas pessoas passearem os seus cãezinhos e outras fazerem jogging!!
    Claro que não obtive qq resposta!! Enfim...!!!

    ResponderEliminar
  7. O que acho em relação à Tapada das Mercês é deviam a exemplo do que aconteceu em Troia com as torres do J.Pimenta, demolirem os prédio aberrantes e reconstruirem tudo de novo. Quanto à Quinta da Marquesa seria apenas um espaço verde de laser da população e não mais cimento armado . Um dia a Tapada vai abaixo... nunca se concluiu o projeto da Ribeira de Meleças e já falam em construir mais um elefante branco. ( SÓ VISTO )...

    ResponderEliminar
  8. Em vez de investirem em mais prédios na Tapada das Mercês, por que não recuperam os prédio que estão degradados, os jardins? Por que não criar condições para melhorar a vida de quem aqui mora e já agora, porque não criar neste espaço uma esquadra com condições para tentar diminuir a criminalidade presente na tapada e parques infantis já que não existem?! Realmente, quem gere os dinheiros só quer mandar dinheiro para o lixo quando faz falta tantas coisas.

    ResponderEliminar
  9. O a Tapada das Mercês, algueirão - Mem Martis e Sintar necessitam é de um grande parque urbano com todas as valências que andamos a pagar há décadas. Mais e melhor qualidade de vida na Tapada! Menos betão, conforme sugeriu a Associação de Moradores da Tapada das Mercês na revisão do PDM em 2013. Paulo Gonçalves, menbro da AMTM

    ResponderEliminar
  10. Não queremos mais betão na tapada das merces , quando investi aqui o meu capital na compra de uma casa . foi me vendido um projecto da qual nada fui efectuado , na quinta da marquesa era um ginásio poli desportivo com piscina e tudo . onde e que ele esta ???? onde estão os jardins os espaços verdes . e ainda por cima nos poucos espaços que há , onde se podem ainda fazer pequenos jardins, querem fazer parques de estacionamento. isto só visto.. há pois mas a quinta da marquesa via ser o jardim do ÉDEN . ONDE É QUE EU JÁ OUVI ISTO .........!!!!!???????

    ResponderEliminar
  11. Aqueles passeios parecem mesmo os passeios cá da Tapada, só falta serem com desenhos de calçada portuguesa.
    Depois aquelas cadeirinhas de verga parecem-se mesmo com os bancos de jardim que cá temos, pena é a humidade que vai estragar a verga mas já não estraga os nossos banquinhos de jardim!
    Como está pelo menos ainda dá pra passear os cãezinhos ou cãozões e fazer jogging, e poderia dar muito melhor para continuar a passear os cães mas com condições decentes (um parque para animais), e para além de fazer jogging (um circuito de manutenção), ainda servir para um parque onde se possa ir passear com a família e obrigatóriamente já que a família vai, um parque para crianças, tudo isto aliado a superfícies comerciais do tipo quiosque espalhadas pelos vários pontos.
    Agora estas casas acima apresentadas são mesmo parecidas com as que cá temos (mal construídas e mal vistoriadas pela Câmara de Sintra). Quem sabe não quererão rever o projecto e mandar construir umas parecidas com a mesma qualidadee não se esqueçam de lhes atribuir um certificado energético categoria A+ (mesmo que seja um F-), senão ninguém as vai comprar a menos que saiam nalgum sorteio das finanças quando os carros acabarem.

    ResponderEliminar
  12. Parece-me um absurdo se atendermos às necessidades de infraestruturas necessárias. O Centro de saúde, espaços verdes, espaços de parqueamentos... uma esquadra não seria mau. E relembro algo muito simples que vai causar um estrago imenso a todos ... as minas de água que estão no subterrâneo assim que forem mexidas e alteradas do actual curso vão impactar em todos os prédios até à estação dos combóis. Infiltrações e humidades nas caves e parqueamentos dos prédios que sabemos que não são de construção famosa.

    ResponderEliminar
  13. Obrigado por partilharem as vossas opiniões. A opinião da associação de moradores da Tapada das Mercês é que não devem arrancar quaisquer obras para benefício de outros empreendimentos urbanísticos (como a Quinta da Marquesa) que em nada vão resolver o problema em mãos da Tapada e das expetativas dos moradores que aqui residem. E essa construção (Quinta da Marquesa, conhecida pela 2ªfase), e novo urbanismo não vai qualificar nem produzir qualquer efeito na qualidade de vida dos moradores da 1ªfase. Simplesmente não vamos ter retorno algum daquilo que a Camara e o Urbanizador falharam desde o início desta urbanização. O nosso Manifesto de Vontades explica bem quais as expectativas e necessidades que esta população quer ver atendidas. Respostas da Camara sobre os nossos pedidos, simplesmente zero. É isso que queremos ver respondido. E está bem explicado e detalhado no documento que entregámos ao presidente Basílio Horta ainda este não era presidente da Camara. Podem consultar aqui este e outros documentos sobre as nossas comunicações e pretensões para a Tapada e os seus moradores: http://amtmerces.wix.com/amtmerces#!arquivos/c1jax

    ResponderEliminar