02/11/2015

Mondeléz International vai fechar fábrica de Mem Martins

A direção da Mondalez Internacional anunciou esta segunda fera [2 de novembro] aos seus colaboradores da Fabrica de Mem Martins que irá encerrar unidade fabril no terceiro trimestre de 2016. A unidade de produção de Mem Martins produz bolachas de diferentes marcas e emprega atualmente 97 trabalhadores permanentes.



De acordo com a empresa, “nos próximos dias iniciar-se-á um processo de diálogo com os Representantes dos Trabalhadores, com o objetivo de, em conjunto, ser encontrada a melhor solução para os colaboradores afetados.”

Segundo a Mondeléz International, o encerramento da unidade tem a ver com o facto de “a fábrica utilizar apenas 35% da sua capacidade de produção, um cenário que se verifica já desde 2012.”

Nos últimos três anos, a empresa investiu cerca de 4 milhões de euros na aquisição de equipamento tecnológico e transferiu volume de produção de outras marcas para Portugal com o objetivo de impulsionar a produção na fábrica nacional. No entanto, “não foi possível atingir os níveis de eficiência adequados, face a uma concorrência cada vez maior no setor alimentar. Desta forma, a maioria da produção da fábrica portuguesa vai ser transferida para a fábrica de Opava na República Checa”, explica uma nota enviada às redações.

1 comentário:

  1. Mais uma tristeza nacional, para a zona que deixou de produzir a passa a consumir, é mais uma fábrica fechada e aos ratos como já estão tantas outras, Vá lá que a Conforama tambem vai abrir no espaço da ex _ Moviflor, no entanto é uma tristeza ver os estado de abandono em que se encontram a Messa, a Lab. Normal, a ClimaX a Samsung, A Duraplas e tantas outras que já nem me lembro do nome.
    É assim que está a nossa economia, com o abandono da produção, país periférico e pequeno sem capacidade de competir com os grandes, já nem para nós produzimos, depois o que produzimos saí mais caro devido aos altos salários e impostos e segurança social e ao que os sucessivos governos foram "entregando a troco de euros á Europa" só para sermos cada vez mais consumistas, Não será a esquerda, nem a direita a melhorar as coisas, terá de ser uma outra forma de governação para fazer crescer o investimento, baixar os impostos e criar empregos onde tanta qualifacação não seja necessária para ser "verde código verde" ou onde a produtividade não seja brincadeira, ter uma fábrica a produzir a 35% ! realmente só a brincar, porque é que ela não produz a 100 % e os produtos vão daqui para a Rep. Checa ? Não há palavras...

    ResponderEliminar