22/12/2015

Tapada das Mercês - Diversidade étnica, social e cultural


A Tapada das Mercês caracteriza-se por uma significativa diversidade étnica, social e cultural, tendo em conta a evolução recente deste território: na primeira metade da década de noventa, verifica-se um primeiro momento de fixação de população imigrante, tendência que se intensificou e diversificou mais recentemente. Em 2009, entre a população residente na Tapada das Mercês 37,3% tinha nascido no estrangeiro, 26,7% dos indivíduos tinha nacionalidade estrangeira, contando-se 23 nacionalidades diferentes, em 42% das famílias existia pelo menos um elemento no seu agregado de nacionalidade estrangeira. Esta população caracteriza-se ainda por uma média de idades baixa, por baixas qualificações escolares e fraco domínio da língua portuguesa.

A Tapada das Mercês é uma localidade do concelho de Sintra que integra a área urbana da freguesia de Algueirão-Mem Martins. O crescimento da Tapada insere-se no processo de expansão suburbana que se intensificou a partir dos anos 80 na parte norte de Lisboa, em particular na linha de Sintra, seguindo a linha de caminho-de-ferro e difundindo-se a partir desta em todas as direções como uma mancha de óleo (Barata Salgueiro, 1992). Desde então que a intensificação da construção em altura, numa zona economicamente mais acessível, e o melhoramento das acessibilidades com a ligação ao IC198 atraíram para o território uma população essencialmente jovem oriunda de diferentes regiões do país, mas também do interior da cidade de Lisboa onde os mais jovens não conseguem responder ao elevado aumento do custo da habitação. A esta população, frequentemente de nível socioeconómico médio-baixo, têm-se juntado mais recentemente nacionais de países diversos no contexto das novas vagas imigratórias com destino à AML. A diversidade cultural é hoje uma característica dos residentes neste território, aos quais se associam alguns problemas decorrentes das trajetórias de integração social que desenvolvem.

A freguesia de Algueirão-Mem Martins é uma das mais populosas do país, nela residia em 2011 uma população de 66 250 indivíduos, 17,5% dos residentes no concelho. Os estrangeiros, num total de 5 781 indivíduos, têm um peso de 8,7% no conjunto da população da freguesia. Relativamente ao concelho, Algueirão-Mem Martins acolhe 17,7% da população com nacionalidade num país estrangeiro. Regista-se ainda a presença de população com dupla nacionalidade (portuguesa e outra), que no total de residentes da freguesia tem um peso de 3,1%.

O grupo de estrangeiros residente neste território tem origens diversas porém, quase 50% é oriundo dos PALOP (46,6%). Os cidadãos com origem no Brasil surgem em segundo lugar, com um peso relativo de 31,4%, seguindo-se os nacionais de países do leste europeu (13,2%). Os estrangeiros oriundos do continente asiático e da UE(15) ocupam a quarta e quinta posições respetivamente (3,1% e 2,3%). O padrão de distribuição das diversas nacionalidades presentes neste território suburbano não é idêntico ao que caracteriza o concelho de Sintra, impondo-se com maior peso relativo os cidadãos nacionais do Brasil relativamente à população oriunda de alguns países africanos. Entre as cinco principais nacionalidades a brasileira apresenta maiores quantitativos, seguida da cabo-verdiana, da angolana e da guineense (Fig. 3).

Sem comentários:

Enviar um comentário