03/06/2017

A Capela de Mem Martins

Mem Martins era uma pequena aldeia saloia, onde a pouca população residente se dedicava à agricultura, ao fabrico de queijadas e à exploração do típico mármore negro característico do subsolo local.

Encontrando-se situado no sopé da Serra de Sintra, foi transformando-se num ponto de atracão para os habitantes de Lisboa, que aqui procuravam descanso e os óptimos ares que por aqui se respiravam... Os acessos eram fáceis, devido à existência de comboio, e assim os veraneantes foram acabando por se fixar nas quintas e nas moradias desta região. Sim, é verdade, Algueirão Mem Martins já foi um destino de férias…

Mem Martins começou a crescer, criou necessidades… e foi construída a ‘Escola Guerra Junqueiro’… e pelo facto da igreja mais próxima ser apenas na sede da freguesia, em S. Pedro de Penaferrim, decidiu-se incentivar a construção de uma Capela.

Assim, com espírito de militância e amor pela Terra, foi criada a ‘Comissão de Melhoramentos de Mem-Martins’, encabeçada por Artur Soares Ribeiro, um dos sócios fundadores do ‘Mem Martins Sport Clube’, onde também faziam parte o Dr Joaquim Fontes, António Lopes Alvarez e Marie Claire Roy.  A esta comissão também se deve uns anos mais tarde, a construção do ‘Cruzeiro de Mem Martins’, como homenagem à passagem de ‘Nossa Senhora de Fátima’ por aqui,em 1951. Artur Soares Ribeiro foi também o grande impulsionador da construção da Escola, nos dias de hoje já desaparecida.

O terreno foi adquirido no então chamado 'Rossio da Fonte' por 288$00 incluindo despesas de sisa e escritura.

Assim a força popular, baseada no projecto do Arquitecto Félix Alves Pereira, lançou a primeira pedra da Capela de Mem Martins em março de 1931. 

Sua Majestade, a Rainha Dona Amélia, que se encontrava exilada, enviou um donativo para a compra da imagem da padroeira da capelinha. Os andores destinados às imagens de Sto António, Sta Teresinha, Rainha Sta Isabel e Sagrado coração de Jesus foram executados por Alfredo Carreira, escriturário de profissão, que dedicava os seus tempos livres na feitura dos andores.

A obra ficou concluída em 1933, e em Setembro do mesmo ano deram assim inicio os festejos que ainda hoje se realizam, da Santa Padroeira de Mem Martins, ‘Nossa Senhora da Natividade’



3 comentários:

  1. Esta foi a Capela das devoções do meu Pai,de tal forma que o mesmo foi Velado aqui,por sua vontade.Por aqui passaram nesse momento,as maiores figuras do Teatro,da Rádio e Televisão.Uns tontos,poucos,queriam que o meu Pai fosse para Basílica da Estrela.Não era lá que ele rezava.29 de Maio 1980,data triste.Fará 100 anos do seu nascimento em 20 de Janeiro de 2018.

    ResponderEliminar
  2. ...e à esquerda a Oficina do Sr Salvador, onde eu passava muitas e boas tardes a ver fazer aeromotores (de puxar água dos poços!!)...de portais vermelhos as barraquinhas dos tiros com pressão de ar e das argolas para lançar às garrafas...

    ResponderEliminar