05/02/2012

Escola Preparatória de Mem Martins

Após o inicio de mais um ano lectivo, decidi colocar uma foto que certamente marca a memória de outros tempos, de outras histórias e certamente de muitas aventuras.

Pagina no Facebook dos Antigos Alunos da Escola Visconde de Juromenha


Em tempos em que aquela escola teve vários nomes, "Visconde Juromenha", "Escola Preparatória de Mem Martins" ou "Escola C+S de Mem Martins". Era uma escola situada no meio de uma floresta, no meio da antiga Tapada da Mercês, em que o transporte era efectuado por autocarros da Rodoviária Nacional, de hora a hora, entre a Serra da Minas e São Carlos. Existia também uma ligação às Mercês, mas apenas ao inicio e ao final do dia.
Foto dos modelos de autocarros que normalmente faziam as viagens para a escola

Eram viagens com autocarros velhos e apinhados de crianças, que nos dias de hoje eram certamente abertura do telejornal da TVI, devido à incrível falta de segurança. Nestas viagens, também eram ditadas as hierarquias da escola, com os mais velhos a sentarem-se nos bancos de trás e os mais novos à frente.


Esta escola vivia também sob o "mito", da existência de bandidos e muitos perigos no meio das árvores  da Tapada. Este "mito" quase tornava heróis as crianças que se aventuravam a sair da escola, e fazer o percussão a pé até casa.
Era uma escola onde chovia dentro das salas de aulas, chovia dentro pavilhão gimnodesportivo, onde o campo de futebol se tornava numa piscina.


Passe da Rodoviária Nacional
Onde se jogava ao "bate pé", ao "corredor da morte", ao "jogo do espeta". Onde demostravamos as nossas habilidades com o Yo-Yo Russel. Uma escola onde jogavamos futebol com latas de Coca-Cola, e onde os mais crescido se escondiam atrás da casa da electricidade para fumar...

Uma escola com funcionarias ordinárias, e porteiros que davam carolos sempre que alguém forçava a entrada no autocarro. Escola onde era uma regra semanal, a chegada de uma ambulância, pois havia sempre alguém que se aleijava, ou andava à pancada... e talvez aquilo que hoje todos chamam de bullying...  Uma escola com tantas histórias...

Outros tempo, de uma uma escola "florestal", e que hoje é uma escola "urbana"...
o Famoso "Cartão da Escola"



18 comentários:

  1. Onde os buracos abertos para plantar arvores permaneceram abertos pelos menos 1 Inverno inteiro. Um passo em falso e era banho até à cintura! Mais um caso para a TVI!

    ResponderEliminar
  2. Boa escola ...

    LoL, os carolos do Sr, Brás ...

    Sérgio Martinho

    ResponderEliminar
  3. Sem palavras..a descrição perfeita!

    Não resido em PT..mas fizeste-me sentir isso tudo como se ainda estivesse lá...!

    Até os carolos do Bráz! :)

    ResponderEliminar
  4. Que belas recordações atrás do ginásio ;)
    E o Bráz que era meu vizinho, sempre apanhava carolos com autorização da família ;)

    ResponderEliminar
  5. Olá,
    Sei que não tem nada a ver com este post mas se alguém tiver oportunidade acho que era importante passar pela nova passagem Algueirão/Ouressa e fotografar aquilo que os meninos do Bloco de Esquerda andaram a fazer nas paredes. Sem duvida um mau exemplo...são livres de dar a sua opinião mas não deviam danificar e sujar os bens públicos.
    Agora gostava de ver o Sr Escoteiro André Beja a limpar aquela porcaria!

    ResponderEliminar
  6. Mas passados estes anos todos a escola continua uma miséria,continua a chover no pavilhão gimnodesportivo,não se vê o que os profs escrevem no quadro etc.É esta escola do sec XXI,gastam tanto dinheiro em coisas sem importancia,quando esta escola já não devia existir

    ResponderEliminar
  7. Sobrevivemos todos a esses apertos das camionetas, aos carôlos do Sr. Brás (que infelizmente já faleceu),
    às continuas ordinárias (algumas com voz de bagaço), a professores que nos atiravam giz e apagadores para nos chamar à atenção, (meu Deus) até um membro do Conselho Directivo nos mandou com um balde de água!!!, ao telhado do ginásio que "voou" simplesmente em pedaços para o campo de basket ao lado, ao campo da bola que ficou inundado durante ano e meio por terem entulhado uma lagoa onde hoje é o Modelo... tantas memórias...
    Nesses tempos, não se ouvia falar em processos disciplinares por carôlos nem por ofensas aos pobres ouvidos das crianças. E no entanto estamos cá todos e de viva saúde. São estas coisas que nos lembramos com saudades... livra, ou éramos mesmo malucos ou esta sociedade esqueceu-se da simplicidade da vida...

    ResponderEliminar
  8. Digo PRESENTE
    tambem por la andei, tambem ia de autocarro para la e vinha a pé para casa, pela mata,lol.
    E não se esquecam do Zé Maria a vender bolos e pastilhas, vendia uma e mandava a gente tirar, lógicamente todos tiravam mais que uma, belos tempos.
    Balda total as aulas, quando era normal a turma toda baldar-se e haver falta colectiva.
    Se aquele Pinhal de Escouto fala-se daquilo que por la se passou, tinhamos seguramente uma enciclopedia a venda.
    Belas recordações de outros tempos em que andar na escola era seguramente diferente daquilo que é hoje.
    E como ja se disse, estamos ca todos!
    Bem haja Visconde de Jorumenha.

    ResponderEliminar
  9. Então e quando faltava a água? As Ameaças de Bomba? td servia para não haver aulas, também me lembro do autocarro apinhado no horário das 18h, as escarras, os apalpões, ir fumar lá para trás, a tapada das mercês que era só mato, o salão de jogos da tapada... ai tantas boas recordações...

    ResponderEliminar
  10. Boas,
    Mais um que por la andou, lembro-me dos carolos do Sr. Braz, da mata, dos autocarros apinhados, do fumar atraz da casinha. Tantas e tantas....
    O Prof. Melo Com a alcunha que sabemos e que andava sempre com o de matematica que se não me falha a memoria era o Prof. Martins.

    ResponderEliminar
  11. Lembro-me bem de tudo isto e alguém se lembra do Prof Sapo?????

    ResponderEliminar
  12. O Professor Sapo não era um prof de educação visual (ou lá como se chamava na altura) que andava sempre com uma capa verde e uns óculos de fundo de garrafa?

    Belos tempos que passei pelo circuito de manutenção da tapada das Mercês (hoje a floresta de cimento...) e os almoços no pinhal do Escouto e afins.

    E quem não se lembra de escorregar pelo caminho de terra para as mercês com os belos ténis Sanjo?

    ResponderEliminar
  13. E quem não se lembra ou não frequentou o molha pão. lol

    ResponderEliminar
  14. Lembro-me de td!! Oh q saudades!! Do contino Braz com a mangueira a dar no ppl, o prof. sapo e tb da stora miss piggy, das escorregadelas e por vezes ate ficava com os pes enterrados no lamaçal q hoje é a tapada das merces, do molha pao e tb do pinhal do escouto aonde tinha lá uma fonte de agua bem fresquinha.

    ResponderEliminar
  15. E o pessoal do autocarro da serra das minas, não nos podiamos sentar por causa dos mais velhos que nos batiam. E vir a pé para a serra das minas!!! Na altura da feira das mercês não o faziamos porque tinhamos medo dos feirantes!!!

    ResponderEliminar
  16. Ainda ninguém se lembrou dos celebérrimos pacotes de leite, cheios, na cabeça dos velhos sentados nas paragens de autocarro, isso é que era "curtido". Ou então atirar os pacotes ao quadro enquanto os "stôres" estavam de costas para a malta, grandes momentos. E nunca se era apanhado, genial!

    ResponderEliminar
  17. Que saudades desta Escola, apesar dos problemas todos adorava andar nesta Escola. Nunca me esqueci dos bons momentos que lá passei. Alguém de 1979/81? De mim todos muitos devem se lembrar, andava de canadianas, penso que era o único....kkkkk, Paulo Nóbrega

    ResponderEliminar