12/01/2011

Viagem “Na Rota da Pedra Negra” de Mem Martins

Deixo aqui o meu agrado por este tipo de iniciativa

Viagem “Na Rota da Pedra Negra” de Mem Martins
Noticia Rádio Ocidente - http://www.radioocidente.pt

Numa iniciativa do Arsenal 72, jovens da freguesia de Algueirão Mem Martins, partiram à descoberta dos trilhos da “rota da Pedra Negra”. Uma visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano,(Lisboa) edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia.

Devo confessar que desde há muito deixei de percepcionar a vida por estereótipos. E, como diz o poeta “a espantosa realidade das coisas, é a minha descoberta de todos os dias”; parto assim, todos os dias à descoberta das mesmas e de outras pessoas, dos mesmos e de outros locais.

Posso, até, aduzir inúmeras vantagens nesta minha postura, mas não o farei! A descoberta deve ser um privilégio pessoal que cada um exercitará, consciente ou inconscientemente, com ajuda ou solitariamente. De qualquer forma, a descoberta é o antónimo da monotonia, da ignorância.
Visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano, edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia de Algueirão Mem Martins
Visita guiada pelo arqueólogo Rui Oliveira, até às ruínas do Teatro Romano, edifício que tem incorporado na sua construção o tão apreciado e raro “mármore negro”, existente na freguesia de Algueirão Mem Martins

Quando partimos à descoberta, do que nos rodeia, acabamos por descobrimo-nos e, quebrada a monotonia, invariavelmente nos tornamos em pessoas responsáveis, afáveis e felizes.

Com todos estes ingredientes, mais um turbilhão de emoções, vivi, vivemos, o projecto, “Na Rota da Pedra Negra”. Criado e acalentado pelo Arsenal 72, simpático clube da Freguesia de Algueirão – Mem Martins, este projecto, no âmbito da História Local, visa dar a conhecer aos mais jovens a importância das antigas pedreiras de “Mármore Negro” de Mem Martins. Pedra rara, muito apreciada desde tempos antigos, foi, sobretudo, utilizada em embutidos em magníficos edifícios religiosos, da Capital, do País e, até, do estrangeiro.

Lá partimos à descoberta da Pedra Negra de Mem Martins: objectivo Lisboa! Visitamos as ruínas do Teatro Romano que, também ele tem incorporado na sua construção o “Mármore Negro”.

Pelo caminho meditamos e apreciamos a Sé de Lisboa. O único edifício em Lisboa, tanto quanto julgo saber, dos tempos dos primeiros Reis de Portugal; magnífico espaço de Fé e de História.
Prometemos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras
Prometemos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras

Depois foi redescobrir a Baixa Pombalina, saber do Chiado, de Camões, de Fernando Pessoa e da Igreja do Loureto ou dos italianos, também ela com Mármores Negros. Mais que tudo, os jovens que participaram nesta viagem na História, descobriram o fervilhar da vida na cidade, nos artistas de rua, no prazer que é olhar-mos e ver-mos, com olhos de ver.

Prometemos e vamos voltar à “Rota da Pedra Negra”, com novas “viagens”, sempre renovadas, sempre sedutoras.


Crónica de Rui Oliveira / rádio Ocidente

Sem comentários:

Enviar um comentário