11/04/2013

Algueirão - Mercearia "A Competidora"



Mercearia "A Competidora"

Estrada do Algueirão, 51


Abertura - 1942
Encerramento - 2013
(71 anos depois...)

Estrada do Algueirão

8 comentários:

  1. A mercearia «A Competidora» fechou no dia 1 de Março deste ano.

    ResponderEliminar
  2. lEMBRO-ME DE IR X SEM CONTA à COMPETIDORA QUANDO ERA MAIS NOVA... SEMPRE QUE ESTAVA NA MINHA AVÓ A COMPETIDORA ERA UM PONTO DE PARAGEM OBRIGATORIO, DEPOIS DE IR AO CAFÉ E ANTES DE IR PARA CASA. É PENA... BOAS RECORDAÇÕES..

    ResponderEliminar
  3. A mais-valia do presidente da Junta de Freguesia ser presidente da associação comercial de Sintra vale zero... Viva ao Fórum Sintra!!! Viva ao Cascais Shopping...

    ResponderEliminar
  4. Embora me custe muito o encerramento do comercio tradicional, nomeadamente ao pé de casa (sou quase vizinho d'A Competidora), a verdade é que há uma necessidade de actualização nesse mesmo comércio. À frente d'A competidora existe uma outra mercearia com uma boa oferta e (aparentemente) com um bom negócio. Com isto quero dizer que problema não é apenas dos Shoppings e hipermercados (embora reconheça que fazem grande mossa), mas perante tal ameaça, este comércio tem que se (re)posicionar para ganhar os clientes. As lojas de frescos são um bom exemplo disso. É pena (e digo-o com todo o sentimento) que as lojas tradicionais de Mem Martins não tenham aproveitado os tempos de crescimento económico para se modernizarem, expandirem e fidelizarem clientes. Às vezes parece que os nossos micro-empresários viveram com a máxima: "em receita que ganha não se mexe" e foram traídos por esse falso sentimento de segurança. Receio que agora seja um pouco tarde, porque em tempo de crise, apenas se tenta sobreviver. Não há espaço para investimento.

    ResponderEliminar
  5. Embora me custe muito o encerramento do comercio tradicional, nomeadamente ao pé de casa (sou quase vizinho d'A Competidora), a verdade é que há uma necessidade de actualização nesse mesmo comércio. À frente d'A competidora existe uma outra mercearia com uma boa oferta e (aparentemente) com um bom negócio. Com isto quero dizer que problema não é apenas dos Shoppings e hipermercados (embora reconheça que fazem grande mossa), mas perante tal ameaça, este comércio tem que se (re)posicionar para ganhar os clientes. As lojas de frescos são um bom exemplo disso. É pena (e digo-o com todo o sentimento) que as lojas tradicionais de Mem Martins não tenham aproveitado os tempos de crescimento económico para se modernizarem, expandirem e fidelizarem clientes. Às vezes parece que os nossos micro-empresários viveram com a máxima: "em receita que ganha não se mexe" e foram traídos por esse falso sentimento de segurança. Receio que agora seja um pouco tarde, porque em tempo de crise, apenas se tenta sobreviver. Não há espaço para investimento.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com o Marques.

    Há espaço para o pequeno comércio, sei do que falo. Contudo cabe aos jovens acreditar nisso e criar, ou renovar...

    Não me choca nada que um licenciado em gestão em vez de estar no desemprego crie uma estrutura de comércio tradicional...

    Augusto

    ResponderEliminar
  7. Então a Competidora perdeu a competição? Não se modernizam depois o que esperam? Faz-me lembrar um pequeno supermercado que também fechou em frente à praça de táxis em Mem-Martins. Ia lá só mesmo por acaso, mas os produtos era sempre a escassear, ás vezes comprava água e acabava-lhes com o stock! Perguntava quando ia ter e diziam amanhã. No outro dia ia lá e era treta, tudo na mesma vazio! Este género de mentalidade tem os dias contados e era algo que se previa que iria acontecer desde os últimos dez anos. Hoje em dia, loja que não se modernize ou seja global e venda para fora ou online ou tenha atendimento dinâmico em vez de estarem por vezes a parecer que é um frete tem os dias contados. O comércio português sempre pensou pequeno e sempre teve a atitude apenas de se vender internamente pensando que os clientes seriam sempre ignorantes face aos preços mas com o mundo global isso acabou! Sou favorável à defesa do comércio local mas apenas aquele que seja dinâmico e moderno, o resto pode fechar tudo. A renovação é também benéfica. No mundo tudo se transforma.

    ResponderEliminar
  8. "A Competidora" não morreu está apenas em hibernação.
    O Comércio Tradicional nunca morrerá, por muitas grandes superfícies que existam nada pode bater o comércio tradicional no que diz respeito à sua proximidade, confiança e facilidade de utilização. Sr Hugo Nicolau muitos parabéns pelo blog e pelos outros projectos que mantém activos em prol da freguesia. Boas Festas

    ResponderEliminar