04/04/2014

[Correio da Manhã] Empresária roubada e ameaçada de morte

Assaltantes tentaram apertar pescoço a mulher; segunda vítima foi atacada pouco depois.

Por Magali Pinto - Correio da Manhã
Duas mulheres roubadas em dez minutos. A madrugada de ontem foi de terror em Mem Martins, Sintra. O primeiro assalto aconteceu por volta das 00h00 quando uma empresária do ramo da saúde foi ameaçada de morte com uma navalha.Os dois assaltantes exigiram que a vítima, na casa dos 30 anos, entregasse o seu BMW.

A mulher, que ficou sem a viatura, ainda foi empurrada e um dos assaltantes apertou-lhe o pescoço. Dez minutos mais tarde, outra mulher, auxiliar de ação médica, ficou sem uma carrinha Ford. Também foi ameaçada. A Polícia Judiciária está a investigar.

As duas mulheres participaram o caso à PSP e, segundo o relato das vítimas às autoridades, tudo indica que sejam os mesmos assaltantes. Ambas falaram em armas brancas e não em armas de fogo. As duas mulheres foram ameaçadas e disseram aos agentes que temeram pela vida. Os assaltos deram-se quando as mulheres estavam à entrada de casa, sozinhas, acabando por ser surpreendidas.


A polícia acredita que os dois homens não atuaram sozinhos e que nas redondezas estivessem outros cúmplices, tendo em conta que foram levados dois carros. 

Até à hora de fecho desta edição, as viaturas ainda não tinham sido localizadas. O grupo pode estar ligado a um gang que faz roubos a caixas multibanco. Depois dos assaltos através de explosão, os carros são abandonados ou incendiados. A PSP aconselhou as duas vítimas a deslocarem-se ao hospital, ao que as mulheres recusaram, por não terem ferimentos graves.

A PSP ainda tentou localizar os carros durante a noite, mas a investigação do caso está agora entregue à Polícia Judiciária, que vai perceber para que finalidade foram realizados os dois assaltos às condutoras.


Fonte: Sábado

4 comentários:

  1. Por mais que me custe dizer isso, a verdade é que as sociedades cada vez mais estão sujeitas a mais assaltos mais violência etc, mas já era previsto com a saída da GNR e entrada da PSP, Mem Martins está muito mais inseguro. É pena mas já se sabia que assim ia ser resta nos ter sorte de não sermos apanhados numa situação desse genero

    ResponderEliminar
  2. Houve uma ideia nas últimas autarquicas.... 50 centimos por contador de água para a PSP e para os bombeiros.... Directamente freguesia a freguesia.... Seria uma forma de financiar carências de material da PSP, financiar mais guardas nocturnos, ativar os bombeiros com um papel interventivo em planos de prevenção e manutenção de catástrofes naturais (limpeza ribeiras, baldios etc. Etc etc). Num concelho com cerca e 400 mil habitantes e com 184.556 clientes do SMAS em 2012, seriam 190 mil euros a distribuir por mês pelas corporações de Bombeiros, PSP, GNR, etc, etc, etc. Atenção, não era um imposto adicional! O resultado de 2012 do SMAS permitiria tal financiamento....

    ResponderEliminar
  3. A policia sem meios, é o que nos dizem quando participamos algo anormal, dizem que não tem meios, é o que temos.
    Isto cada vez esta melhor para os bandidos.
    PSP sem meios, Policia Municipal sem meios, vindo da boca dos proprios!...

    ResponderEliminar