13/01/2010

Reflexão Interessante sobre Urbanismo em Algueirão - Mem Martins

Já este mês, neste Blog, questionei o Edifício que se encontra em construção, junto da estação do Algueirão, em frente à Farmácia Rato, e recebi um comentário muito interessante às minhas opiniões e observações. Trata-se de alguém que eu não conheço, que assina sempre como Pedro, e deixa sempre uma opinião muito válida, sobre os temas que eu lanço... Não sei de quem se trata, mas o mais importante é o debate de ideias. Vou deixar de seguida por completo o ultimo comentário que recebi, pois acho que se trata de uma boa reflexão sobre o urbanismo na freguesia, e desde já o meu obrigado pela participação inteligente.


"Eu sou arquitecto urbanista, um de algumas centenas que se formou naquele ano. Moro na freguesia e passo ao pé desse novo "edifício" praticamente todos os dias. E fico sinceramente escandalizado quando vejo a pouca vergonha que se constrói e ainda por mais quando leio o comentário da Paula sobre o edifício da Rato ser demolido. Como é possível, eu não sei. Sei que durante a infância decidi que queria ser arquitecto, logo na primária, devido ao gosto por desenhar.

Quando acabei o secundário escolhi um curso que também envolve urbanismo porque percebi que existiam grandes necessidades nessa área como a realidade do país nos revela, especialmente aquela que se passa neste concelho e arredores. Sei que andei a estudar durante 6 anos que foram tudo menos simples e a vontade de desistir nos períodos mais amargos vinha sempre acima, mas acabei por concluir o curso. Sei que tenho de pagar cotas à Ordem, a mesma instituição que me ensinou sobre o código deontológico e sobre o respeito pelos colegas de profissão...

Lamento, mas quem projecta e autoriza vergonhas destas, certamente que não será um colega de profissão porque isso que aí está quase subverte todos os princípios e assemelha-se ao que eu chamaria de um atentado urbanístico. Alinhamentos errados, enquadramento mau, configuração defeituosa e sem grande sentido, volumes alternados e sem sentido, desrespeito pelos moradores envolventes, desrespeito pela opinião pública, falta de informação na placa que foi colocada no início da obra e não estava preenchida, excesso de densidade, falta de espaço exterior com passeios mínimos e se calhar à margem da legislação actual, e um sentido estético deficiente... não é preciso nenhum tipo de formação específica para se poder perceber o que está a ser feito de errado. Mas pelos vistos a autarquia continua a pensar que o povo é estúpido. Pelas decisões e interesses de um par de dezenas de interessados e beneficiados com este tipo de obras, paga a população de uma freguesia que está cada vez mais destruída e sem qualquer tipo de sinais de melhora.

Estes recentes acontecimentos cada vez mais me fazem querer ir viver para outro lugar, longe desta vergonha, porque durante 3 décadas o elevado nível de corrupção continua a ser imenso e apesar da evolução tecnológica que decorreu no mesmo período já percebemos que a mentalidade dos construtores e dos políticos continua estagnada e corrompível. Ou isso, ou eu andei durante muitos anos e continuo a andar enganado a pensar que no curso que escolhi aprendi coisas úteis e que faziam falta...
"

2 comentários:

  1. Independentemente da idade que tenho ou da profissão que tento desempenhar, quando faço uma crítica normalmente estou a falar como cidadão, sem me abtrair daquilo que aprendi com a pouca experiência que tenho. Fico satisfeito em saber que alguém (mesmo que fosse uma pessoa só) aprecia as minhas opiniões. Ficaria ainda mais satisfeito se as críticas que faço tivessem resultados positivos, que mais pessoas reconhecessem os seus direitos enquanto cidadãos de um concelho e tivessem um espírito mais crítico e participativo sobre o local onde vivem. Infelizmente há mesmo muita gente qe pensa em si desde que não tenha grandes problemas e vive com grande indiferença sem se preocupar com mais nada. Basta ver na forma como andam na rua e estacionam o carro de qualquer maneira em cima do passeio ou a prejudicar a circulação. São pessoas que não se sabem comportar em sociedade, e o mais grave é que quando fazem coisas erradas normalmente o fazem com consciência disso e com o sentimento do "ah qe se lixe não faz grande mal e dá-me mais jeito assim"

    Não se consegue fazer urbanismo à porta fechada sem a opinião dos cidadãos sobre as decisões administrativas e de planeamento, já que somos nós os principais afectados, negativa ou positivamente, por aquilo que alguns profisisonais decidem que se deve fazer e construir. Mas pelas decisões que têm sido tomadas, pelas construções que temos vindo a assistir nas últimas décadas, parece que os responsáveis não ligam muito à qualidade de vida das pessoas e ao seu bem estar neste concelho. Se actualmente a vila de Sintra é um dos locais turísticos de eleição a nível nacional onde se nota algum investimento, gostaria de saber o que pensam os turistas desde que saem de Lisboa e percorrem a linha de Sintra até chegar à vila, onde uma parte da realidade deste concelho e dos concelhos vizinhos fica à vista desarmada de todos e acaba com a ilusão de que aqui tudo é belo como nos postais.

    Tendo um número de habitantes superior a 100 mil segundo dizem, e sendo uma das freguesias com maior densidade populacional do país, não percebo como é que pouco ou nada se faz para a melhorar, visto que com tanta gente a pagar impostos municipais deveríamos ver mais obras feitas neste concelho, no que respeita a iniciativas ao nível da administração local.

    A arquitectura e o planeamento urbano, na sua boa prática, trabalham com o objectivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Que outro motivo justifica a existência destas duas especialidades? Para que é que haveria tantos estudos e tantas preocupações para pensar como é que se devem organizar as cidades e os espaços urbanos se não fosse para melhorar e construir espaços urbanos melhores, com qualidade de vida? Isso consegue-se sem a opinião das pessoas? Eu penso que não, porque melhor do que ninguém, são os cidadãos que aqui moram que sabem quais os problemas que encontram no dia a dia e quais as coisas boas que poderiam ser melhoradas.

    Há muita coisa mais que pode ser dita, mas espero que se fomente a discussão sobre este tema, que deveria ser uma das principais preocupações dos habitantes nesta freguesia.

    ResponderEliminar
  2. Já agora, quando pensava que dificilmente se faria alguma coisa pior do que esta, passei ao pé do novo prédio que já estão a construir no Algueirão Velho do lado direito atrás das casas antes de se chegar à bomba de gasolina. Ainda estou incrédulo.

    ResponderEliminar