10/06/2012

Publico - Comando Metropolitano da PSP de Lisboa tem metade das viaturas avariadas

Fonte: Jornal Publico

A Associação Sindical dos Profissionais de Policia (ASPP) alertou hoje que metade das viaturas da PSP do distrito de Lisboa estão inoperacionais por falta de reparação, mas o comando metropolitano negou estes dados.O presidente da distrital de Lisboa da ASPP/PSP, José Mendes, disse que das “cerca de 1400 viaturas do distrito, 700 encontram-se inoperacionais e encostadas” por falta de reparação.
É evidente que se nós temos uma frota de 1400 viaturas para dar resposta aos problemas da criminalidade nesta área, se reduzimos esse número para metade isso vai restringir o combate à criminalidade. Isto põe em causa a operacionalidade das polícias”, afirmou o dirigente.

Em resposta à agência Lusa, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP negou que 50 por cento dos veículos esteja inoperacional, adiantando apenas que “algumas viaturas aguardam o desfecho de um procedimento administrativo para se proceder à reparação”.

Segundo o sindicalista, as divisões com maiores dificuldades são Loures, Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra, onde existem “esquadras sem qualquer viatura operacional”, e onde é “difícil dar resposta aos problemas que vão surgindo” no dia-a-dia.
Confrontado com a acusação, o Cometlis respondeu que “todas as esquadras possuem viaturas adstritas que garantem o patrulhamento das áreas territorialmente competentes”.
No entanto, segundo relatou à Lusa o presidente da distrital da ASPP, “na quinta-feira de manhã houve um ‘carjacking’ e um roubo por esticão em Carnaxide, onde a esquadra já não tem uma única viatura há três dias. Os elementos policiais tiveram que se deslocar a pé e, obviamente, atrasaram-se”.Devido a estas dificuldades, algumas esquadras de fiscalização rodoviária “acabam por actuar só nas áreas à volta das esquadras”, uma vez que “não têm meios para transportar os polícias a outras freguesias”, indicou à Lusa uma fonte policial.


E temos casos de áreas onde moram muitas pessoas, como Algueirão-Mem Martins ou Cacém, onde apenas há uma viatura. Se um desses veículos estiver ocupado num serviço, não pode ir a outro, e isto em nada contribui para a segurança das populações”, disse a mesma fonte.Na Divisão de Vila Franca de Xira é habitual os elementos policiais deslocarem-se apeados a serviços, uma vez que as viaturas se encontram avariadas, acrescentou outra fonte consultada pela Lusa.
Em Março, a ASPP/PSP alertou para a existência de 300 viaturas “encostadas por falta de reparação”. Nessa ocasião, fonte oficial da PSP disse à agência Lusa que o Comando Nacional da polícia iria assinar “em breve” um contrato por ajuste directo com uma empresa para viabilizar a manutenção e reparação de viaturas.
A agência Lusa solicitou esclarecimentos ao Comando Metropolitano de Lisboa, não tendo obtido resposta em tempo útil.

Sem comentários:

Enviar um comentário