08/09/2013

A lenta agonia do Colégio D. Afonso V

Colégio já cinquentenário, o D. Afonso V vive dias atribulados. De uma população total, incluindo corpo docente, discente, pessoal administrativo e auxiliar, que chegou a rondar o milhar de pessoas, restam agora cerca de 170.

Com as instalações, que constituíam propriedade da sociedade titular do Colégio penhoradas e afetas a um processo de venda coerciva promovido pela Administração Fiscal, o D. Afonso V corre risco de ser vendido no final de dezembro, com isso desaparecendo a garantia patrimonial dos muitos credores, entre eles, além da Administração Fiscal e da Segurança Social, os fornecedores e os trabalhadores. Muitos deles, designadamente o pessoal docente, já rescindiram os contratos de trabalho, alegando dívidas de salários superiores a três meses e de subsídios de férias e de Natal em valor muito superior ao dos próprios salários.

Perante este quadro, a possibilidade da venda das instalações, de resto já muito degradadas face à usura do tempo, constitui possibilidade real, que, a concretizar-se, compromete em definitivo os postos de trabalho e, muito provavelmente, o arranque do próprio ano escolar. A situação caótica a que a instituição chegou e que foi determinante nas rescisões dos contratos de trabalho, tem tido igualmente consequências perversas nos próprios fornecedores, a ponto de a empresa concessionária do refeitório ter rescindido o contrato com base no qual procedia à sua gestão por alegada ausência de pagamentos, constituindo uma incógnita o que nesse domínio irá passar-se doravante.
Com as empresas que foram sendo contratadas para assegurar os serviços de limpeza das salas de aula, casas de banho, balneários e refeitório outro tanto tem vindo a passar-se e, por incumprimento da entidade gestora do colégio, esses prestadores de serviços têm vindo a rescindir os contratos outorgados.

De uma forma que o rumo dos acontecimentos não deixava antever tem vindo a ser contratado pessoal docente e não docente por uma nova sociedade igualmente sediada na Rua Dr. João de Barros, 103, em Mem Martins, concelho de Sintra, Sociedade essa denominada Aprenti Ensino, Lda., da qual se desconhece se possui, designadamente, alvará que a habilite a intervir no campo do ensino. O propósito parece ser o de, contornando a lei, se sobrepor à entidade que até há pouco vinha gerindo o D. Afonso V.

Uma questão, contudo, subsiste que não parece suscetível de ser facilmente contornável: a da venda das instalações. A qual resulta de uma penhora promovida pela Administração Fiscal, que não compreende a totalidade das dívidas da Sociedade D. Afonso V. O que significa que existem outras dívidas e outros credores?

Que futuro assim para o Colégio D. Afonso V, que, em meados dos anos 60, foi um dos colégios mais credenciados da Grande Lisboa, por onde passaram gerações e gerações de estudantes? As perspetivas são sombrias, com a agravante de, agora, estar em jogo o futuro de várias centenas de trabalhadores, alguns dos quais, com dezenas de anos ao serviço, muito contribuíram para o crescimento da instituição e para o prestigio de que chegou a desfrutar na área do ensino e da educação. Coisa que neste momento constitui um passado morto e enterrado.

25 comentários:

  1. Alguem consegue validar esta notícia?
    E já agora, fala-se do futuro de tudo menos dos alunos!

    ResponderEliminar
  2. Lamentável a campanha suja que alguns (poucos) estão a fazer para tentar denegrir a imagem de uma instituição cinquentenária, que apesar de não estar imune às dificuldades, tudo tem feito para não prejudicar os trabalhadores, os alunos e as suas famílias.
    Neste artigo carregado de mentiras, cujo "jornalista"(será jornalista?) nem tentou confirmar os factos antes de os publicar, se percebe que há pessoas, ou entidades, que usam todos os meios para inventar atoardas de modo a prejudicar quem trabalha em prol da educação das crianças e jovens deste concelho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a carta da AT (Autoridade Tributária) que anda a circular nas caixas de correio dos encarregados de educação a dar conta da venda do imóvel em leilão é invenção????
      Quem me dera que isto tudo não passa-se de calunias pois assim não estaria preocupada com o ano letivo do meu filho.
      Pela instituição lamento bastante a situação pela qual estão a passar se foi bem ou mal gerida não me cabe a mim fazer juízos de valor a mim bastava-me que a direção fala-se abertamente sobre o assunto e me informa-se sobre o que pensam fazer.

      Eliminar
  3. É verdade que por lá passaram milhares de alunos, é verdade que teve um corpo docente muito grande, mas infelizmente também é verdade que nos últimos 10 anos foi muito mal gerido. Era bom que a PJ investigasse o que é que aconteceu a milhões de Euros de apoios estatais entregues em 2005 e 2006 para "modernização" do colégio. É mau, aliás péssimo para Mem-Martins perder uma escola numa localização central. Neste caso a crise não explica o que está a acontecer. Já agora e apesar de estar na fronteira da freguesia, gostava de saber o que é que se passa com o Vasco da Gama. Há rumores de coisa menos boa, menos inscrições o ministério não deixou abrir turmas de 10º ano, dividas a fornecedores. Se calhar a crise também não chega para explicar a má gestão actual desta instituição por onde também passaram milhares.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curiosamente ouvi rumores sobre o VG, mas também sobre os Plátanos... portanto devemos estar na época dos rumores...
      E falando de rumores, eu não estou a par do tema mas trabalho diariamente com candidaturas a apoios estatais e nunca ouvi falar de nenhum programa de apoio a modernização de colégios privados, muito menos nos anos em que menciona, altura em que o Estado estava focado na renovação das suas infraestruras e na guerra velada contra as instituições de ensino privado (que está agora a dar frutos)... mas... estamos na época dos rumores, portanto tudo vale...

      Eliminar
    2. Faz agora 1 ano que também ouvi rumores sobre o colégio dom Afonso quinto que agora se concretizam e confirmam. Se calhar os rumores não são assim tão, rumores. Eu confirmo que em 2005 e 2006 o colégio dom Afonso quinto recebeu vários milhões de euros para renovação e modernização, e são factos, não rumores, é só pedir os dados ao ministério da educação, está tudo lá.

      Eliminar
    3. Em relação ao Colegio Vasco da Gama, o mesmo já tem o 10º e o 11º ano com resultados muito bons.
      Existe este ano lectivi 2013/2014, mais inscrições e turmas abertas.

      Eliminar
    4. Em relação ao Afonso V, está aberto e a funcionar na normalidade. Os rumores que circulam nas redes sociais e nas bocas da população (muitos inventados, outros com algum fundamento) só servem para criar insegurança e levam a que os pais optem por outros colégios (que nesta zona já são poucos os financeiramente estáveis).

      Eliminar
    5. Se efetuamos a inscrição dos nossos filhos no Colégio D. Afonso V foi, concerteza, por termos confiança na qualidade de ensino que o colégio tem prestado ao longo destes anos. Assim, não me parece razoavel mudar os meus filhos de colégio enquando este se mantiver em funcionamento.

      Eliminar
    6. Qual confiança? Os professores que asseguraram a qualidade do ensino há mais de vinte anos foram dispensados sem o pagamento dos vencimentos !!

      Eliminar
  4. O que me preocupa ainda não é tanto o facto da publicação no jornal "A Bola" mas sim uma carta da AT que anda a circular pelos encarregados de educação sobre a venda do imóvel no final do ano em leilão....esta situação não pode ser desmentida...
    Prezo muito esta instituição de ensino tenho dois filhos que um frequentou e o outro ainda frequenta o colégio nem o facto de não me terem entregue um subsidio a alguns ano por esta mesma razão me fez tirar de lá o meu filho devido a qualidade de ensino com grande mérito para os professores e todos os funcionários...lamento é a direção não ter coragem para falar deste assunto abertamente com os encarregados de educação...não há dúvidas que dificuldades todas as empresas passam bem ou mal gerida que foi não sei...o que sei é que estou muito preocupada com todas estas noticias que tanto nos afetam assim como aos nossos filhos...

    ResponderEliminar
  5. Sendo verdade a injeçao de milhoes para renovação, a verdade e que a unica renovaçao feita foram as casa de banho, em 2012

    ResponderEliminar
  6. Segundo a informação de mães que têm lá os filhos, não receberam carta nenhuma da AT nenhuma, a escola está funcionar normalmente, há professores novos, o refeitório já ontem serviu refeições, as firmas de limpeza são contratadas por um espaço de tempo acordado previamente, como se sabe, este ano é uma nova firma.
    É bom que não se vá em boatos e se prove o que se anda a dizer, para não ter problemas com ajustiça, não vá ela funcionar.

    ResponderEliminar
  7. O que aconteceu aos professores mais experientes que sustentavam a qualidade do ensino no Colégio? Foram despedidos por mail, após dezenas de anos no Colégio, sem justa causa. No seu lugar ficaram os professores menos competentes mas mais baratos.
    O Colégio não dura até final do 1o período!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dia 6 de Janeiro de 2014. Primeiro dia de aulas do segundo período. O colégio a funcionar a 100%. Onde estão os velhos ressabiados do Restelo? Pois calam-se e colocam o rabinho entre as pernas de vergonha perante tanta barbaridade dita contra o colégio.
      Onde está agora a RTP a entrevistar os alunos que ficaram no colégio? Onde está a RTP para me entrevistar como mãe? Onde está a RTP para saber que sairam professores, talvez maus professores, e quem em seu lugar entraram novos professores que estão a vitalizar o colégio? Professores que sairam das melhores faculdades públicas de Portugal, com médias altissimas e menções honrosas? Professores fundamentais para o ensino de disciplinas tão importantes como Matemática e Ciências Naturais? Inveja com veneno pode ser mortal. Cuidado. Não mordam na própria língua.

      Eliminar
  8. Se alguém tem dúvidas veja as reportagens sobre o Colégio que passaram hoje na RTP e RTP Informação.

    ResponderEliminar
  9. Quem quiser garantir o futuro dos seus filhos é melhor não se guiar pelo que acima está escrito, que certamente foi posto pela direcção do Colégio, informar-se junto ás instituições oficiais e transferir os seus filhos o mais breve possível para outra escola como eu fiz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já agora gostaria de saber o que foi que as instituições oficiais disseream, se for possível. Penso que todos os pais e necarregados de educação quererão saber.

      Eliminar
    2. O que disseram está no artigo Colégio D. Afonso V - Reportagem RTP deste mesmo blog. O Colégio não chega ao final do ano!!

      Eliminar
  10. Basta aceder ao portal das finanças e confirmar que o imóvel está à venda:



    ResponderEliminar
  11. O Colégio é Obra de uma grande Mulher e Professora, apoiada por uma firma de construção com boas movimentações político-camarárias.
    Ora actualmente acontecem duas ou três circunstâncias fatais:
    A construtora esvaziou-se, bem como o seu poder de manobra (de compra);
    A directora (filha) não tem qualquer estatuto pedagógico, humano e empresarial para estar à frente de uma escola-empresa. É menina rica e apenas apanhou o que lhe caíu nas mãos. Pensa que faz o favor de existir e nem precisa de pagar o que deve ao Estado, Fornecedores e Trabalhadores. Delega assuntos das aulas num professorzeco que nem será licenciado mas é emproado, com as mesmas incompetências e ainda com mais basófia e falta de diálogo com alunos e pais - de tal modo que atritos normais entre alunos vão parar à PSP e ao Tribunal de Sintra... uma desgraça pedagógica e para o bom nome do colégio, dos professores, dos pais e dos alunos.
    Os melhores professores foram-se valorizando e saíram; só ficaram dois ou três bons à espera da reforma. As aulas estão entregues a 'professoreco.cas' baratos que dão vintes a toda a gente, tentando assim criar a ideia de a escola ser a melhor do país e arredores...
    Mas é pena que uma instituição tão digna tenha sido entregue a meia dúzia de parolos incompetentes.

    ResponderEliminar
  12. Fui aluna deste Colégio e se calhar melhor do que ninguém poderei defenir o que era o Colegio D. Afonso V. Fico triste de ouvir tanta barbaridade, mas mais triste fico de saber as condições em que está o Afonso V agora a leccionar. Tenho filhos lá e que tiveram professores que tinham sidos meus professores. As garantias da Direcção da escola foram claras, mas espero que validas. Ainda quero acreditar que todos juntos iremos conseguir. Mas, e não me querendo repetir, é triste ver o valor patrimonial que os pais tanto lutaram para ver os filhos destruirem tudo. Grandes vidas, roupas, ferias empregos churudos para toda a familia ...

    ResponderEliminar
  13. Fui aluno deste colégio, o meu filho também é aluno deste colégio e posso confirmar que tudo funciona na perfeição. Estes comentários maléficos são feitos por antigos professores, que ainda bem que já lá não estão, e por aspirantes fracassados a professores deste colégio com o intuito de prejudicar por maldade, ciume e inveja. Não é uma reportagem da RTP ou outro canal de televisão, ou comentários de um professor manhoso e oportunista que que ter um salário superior ao da própria administração que tem credibilidade. O que tem credibilidade é a palavra das pessoas que realmente conhecem o colégio e ainda lá têm os filhos. O edifício esteve realmente penhorado... E então ? quantos por um pagamento esquecido de apenas alguns centimos às finanças não ficam com os seus bens penhorados ? E não andou qualquer carta de penhora a circular pelas caixas do correio de quem lá tem os filhos. É mentira. Alguns encarregados de educação e professores andaram a agir contra o colégio e a denegrir a imagem do colégio pelos motivos que já perceberam. Também o pateta que publicou esta informação neste blog citou um artigo da "Bola", mas nem se deu ao trabalho de confirmar fosse o que fosse. E sabendo que os jornalistas têm uma credibilidade ......

    ResponderEliminar
  14. Estamos no fim do ano lectivo 2016/2017. Sem qualquer manha, agradecia que falassem da atual situação do Colégio D. Afonso V........................

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu filho encontra-se em fase de exames e esteve a frequentar a colégio no ano lectivo 2016/2017 no 12º ano. A instituição funciona normalmente, o ano letivo foi muito intenso, de muito trabalho. As aulas foram dadas ao logo do ano sem haver qualquer falta de professores, tudo correu normalmente e durante o mês de Junho para os alunos com exames, houve diariamente aulas de apoio, por parte dos professores que leccionam as disciplinas de exame. E o que posso dizer relativamente à frequência do meu filho durante este ano letivo.

      Eliminar