17/01/2009

Mem Martins - Urbanização Jardins Poente (Mem Martins Poente)

Este tema é algo que me deixa extremamente irritado. A Urbanização Jardins Poente.
Para mim trata-se da maior aberração urbanística de Mem Martins, prédios demasiado altos, feios e totalmente desenquadrados com a envolvente.

Admito sentir alguma felicidade por ver o insucesso das vendas, onde se respira a ganancia de quem construiu, simplesmente com espírito do dinheiro fácil.Fiz uma pequena lista de interrogações que faço sobre o local, e tento acompanhar com uma imagem para relatar a minha questão...

Quando olho para aquele local levanto sempre algumas questões:
- Onde há estacionamento na Urbanização, para além do parqueamento de cada fracção?










- Onde estão respeitadas as Cérceas com os edifícios da Urbanização do Pinhal?
Cércea: Dimensão vertical da construção, contada
a partir do ponto da cota média do polígono de base no alinhamento da fachada até à linha superior do beirado ou platibanda. Para este efeito incluem-se também os pisos recuados.)


- Para quando a Conclusão do Espaço Publico? Segundo o que sempre ouvi dizer o espaço em frente à entrada do Edifício D.Manuel II está destinado a Campos de Ténis.

- Como é que a Câmara aprovou a urbanização e agora dificulta nas licenças de utilização?

- Como é possível o traçado da Rua Júlio Pomar, sabendo que para ter continuidade até à Rua Fernando Pessoa, seria necessário adquirir um troço da Quinta adjacente.
















- Porque se chama "Jardins Poente"? Poente eu percebo, mas jardins não encontro argumentos. Como é possível que a publicidade à urbanização seja baseada na frase: "O seu Jardim". Publicidade enganosa? Será que o chão da sala e da cozinha serão relva? (Eu sei que é uma observação parva)

- E a degradação em que se encontram alguns espaços que nunca se quer funcionaram?




















- O estado de alguns Edifícios que não foram terminados?












- As pequenas varandas não parecem galinheiros?





















- As plataformas exteriores, onde supostamente deveria haver comercio, são espaços desconfortáveis, onde a passagem entre os edifício é garantida por pontes. Será que alguém alguma vez sonhou que aquilo fosse tra
nsformado numa zona rica em comércio?







- E o espaço disponível para a Nova Igreja? Qual a lógica de construir uma igreja num recanto rodeado por prédios de 10 andares?















- O que fazer aos prédios que não foram concluídos?















Penso que são perguntas demais, mas certamente existiram mais, mas também acredito que ali habitem, e achem o local paradisíaco e fantástico. Estamos num pais livre, viva a Liberdade de Opinião
No entanto, para mim, é sem dúvida nenhuma a urbanização mais feia, mais mal planeada, mal organizada e pior enquadrada de Mem Martins, e que a melhor solução era sua total destruição... Eu sei que é uma utopia minha, mas tenho a ce
rteza absoluta que se naquele espaço se tivesse construído algo de qualidade, baseado nas boas regras de urbanismo e arquitectura. hoje em dia, tudo estaria vendido, e Mem Martins teria uma zona agradável para toda a população usufruir, e o Skyline de Vila seria algo muito mais bem delineado...


















Deixo aqui o texto que serve para uma das empresas construtoras apresentar os imóveis:

"Apartamentos T2- T3 - T4 - Espaços Comerciais
Viver com o seu jardim é...

Ficar feliz por chegar a casa.

Sentir a beleza da arquitectura e do conforto dos interiores e exteriores.
O projecto de arquitectura assume a m
odernidade da urbanização em que está inserido, destacando-se o estilo arquitectónico contemporâneo dos revestimentos exteriores e a elevada qualidade dos acabamentos interiores. O interior dos apartamentos foi cuidadosamente detalhado com uma linguagem arquitectónica moderna que utiliza materiais tradicionais como a madeira e o estoque."




10 comentários:

  1. Detesto. Concordo plenamente com as observações levantadas. Como é possível a aprovação de uma aberração dessas?
    Gostava de saber quem assinou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem recebeu para tal. O dinheiro tapa muitos olhos.o resto é pago pelos nossos impostos

      Eliminar
  2. Concordo com o que escreveu mas sendo conhecedor de um dos apartamentos dessa urbanização posso dizer que a nível de interiores a qualidade é bastante boa. O que me meteu impressão são as varandas que aparecem numa das suas fotos com os gradeamentos postos na horizontal o que contraria todas as regras de segurança. Qualquer criança que chegue a uma varanda daquelas terá tendência a usar o gradeamento como escada com as consequências que se adivinham. É uma situação que se vê em algumas construções e que julgo não ser permitida. Os arquitectos deste país deviam ter mais atenção a estes pormenores que parecendo insignificantes podem provocar mortes.
    Quanto á palvra "jardins" usada pelo construtor só mesmo para rir...

    ResponderEliminar
  3. "nível de interiores a qualidade é bastante boa"...
    isso efectivamente é verdade, pelo menos em aspecto visual.

    ResponderEliminar
  4. Olá!

    Em tempos fui ver as casas e realmente os interiores eram porreiros. Contudo, pelos padrões actuais, começam a ficar desactualizados. Será que os preços acompanham a idade dos edifícios?

    Quanto ao bairro em si... É muito triste permitir-se este tipo de planeamento urbanístico... E o que se poderá fazer? Realojar os actuais proprietários e implodir os prédios? LOL Penso que não! Mas que medidas se poderão tomar para minimizar os impactos negativos da construção existente...

    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. O que importante ter uma casa interessante no seu interior, se o aspecto exterior é horrivel?

    Gostava de ouvir a opinião do arquitecto ou engenheiro responsavel pelo projecto, acerca do que se encontra hoje edificado.

    ResponderEliminar
  6. Sou proprietária de um andar na dita urbanização. Não morro de amores pela escolha "forçada" que fiz, mas com a família a aumentar e os preços baixos praticados, não tive outro remédio. No entanto, concordo plenamente com os comentários acima e já que as aberrações não são deitadas abaixo e as pessoas realojadas, como sugerido, gostava de ver um grande jardim com árvores e parques infantis nos baldios que circundam os edificios - já que, pelos vistos, o que era suposto estar nesses espaços não é construído - e ainda espero pelo jardim que tanto prometeram.
    Sei que foi formada uma comissão de moradores para pressionar a junta de freguesia, câmara municipal e afins - mas, na verdade, que resposta poderá dar essa comissão, que força podemos ter sem ser reclamar para orelhas moucas? E lá continuo à espera do meu jardim!

    ResponderEliminar
  7. Concordo. Moro perto dessa urbanização e um dia quando dei por ela tinha aqueles monstros ali. Não percebo o que se passou naquele bairro. Algo correu obviamente mal, tem um aspecto de cidade fantasma. Duvido que alguém consiga vender a sua casa ali. A ganância dos construtores só faz destas coisas porque partilha da ganância das Câmaras e Juntas. É por isso que Mem Martins está o nojo que está.

    ResponderEliminar
  8. gostaria de ver as belas mansões onde alguns de vocês devem viver para estarem a criticar as habitações das outras pessoas

    ResponderEliminar
  9. conheço alguns dos apartamentos e realmente não são maus até bastante bons , mas 1 vez fui ver 1 apartamento para trocar pela minha casa, e qual não foi o meu espanto quando o vendedor se vira para mim e me diz que toda a area envolvente que não esta construida e para fazerem jardins e que o monte e area protegida... ora eu que nasci e fui criado em mem martins inclusive ate conheço o dono dos terrenos, não me restou outra solução do que chamar-lhe mentiroso...

    ResponderEliminar