13/01/2014

RTP Memória - Homenagem a Max

No passado dia 10 de Janeiro, o programa 'Há Conversa' na RTP Memória, fez uma homenagem ao grande artista Max, que viveu muitos anos em Mem Martins. 

São 54 minutos de conversas e histórias com o seu filho José António Sousa e o fadista Rodrigo.

[clica no link acima ou nas fotos]

Nasceu na Madeira e embora tivesse ouvido para a música, seria obrigado a aprender o ofício de alfaiate.
Começou por cantar à noite no bar de um hotel no Funchal, enquanto durante o dia fazia fatos por medida.
Como cantor e baterista funda o conjunto Toni Amaral, que acabaria por dar nas vistas e valer-lhe um convite para vir até Lisboa.

Em 1948, já na capital, inicia uma carreira a solo e torna-se um fenómeno de popularidade, graças às suas passagens pela rádio.

Bailinho da Madeira, A Mula da Cooperativa, Porto Santo ou Pomba-Branca tornam-se sucessos imediatos.
Já percebeu que hoje o "Há Conversa" será dedicado ao grande artista português Max.
Se fosse vivo, Max, faria este mês 95 anos de idade.

Em estúdio duas pessoas que o conheceram bem: o seu filho José António e o seu amigo e colega, o fadista Rodrigo. 

3 comentários:

  1. Caro Senhor Hugo Nicolau.Quero agradecer-lhe a oportunidade que me deu de ver o programa em que fui convidado.Na data da emissão não me foi possível ver. Para sua informação vivi 25 anos na rua da Malva Rosa,mais vinte na Portela e agora estou aqui pelo Algueirão.Bem haja, mais uma vez. Zé António

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tive todo o prazer de divulgar essa grande figura, que foi o Max

      Eliminar
  2. A propósito do Max, ainda cheguei a conhecer um guarda-nocturno que me contou que o Max, quando chegava muito tarde, à noite, lhe pedia para o acompanhar até casa para evitar possíveis maus encontros.

    ResponderEliminar