28/06/2015

OpiniãoAMM: Urgente ir p'ra rua

Texto Bruno de Jesus
(residente na vila)



Crescemos na rua, sem as defesas de casa e assim nos tornámos cidadãos sem medo de enfrentar a vida.

Trago à lembrança, a memória de ir para a rua desde os meus 5 anos, jogar à bola com os mais velhos e aí crescer com tudo o que a rua tem de bom e de mau, no fundo como a vida.
Jogávamos horas e horas sem fim, atrás da Alameda D. Afonso de Albuquerque, num largo onde fazia a feira.
Os jogos entre ruas, era uma final da Champions League ali ao vivo.

Esses ensinamentos, entre outros o de chegar a casa com os joelhos esfolados, fazia de nós pequenos homens, que nos tínhamos que safar sozinhos, neste sonho de podermos jogar à bola com os mais velhos.
Esta prática, que parecia insignificante para a nossa vida, era de todo importante.

Agora falta muito isto, e infelizmente temos muitas crianças que são já robots de tanto jogarem computador e de tão pouco conviverem e crescerem com pessoas.

Não nos deixemos vencer pela cultura instalada.
É possível as crianças crescerem e serem livres na rua.

1- Temos que ter filhos
2 - Educá-los com princípios e não "Maria vai com as outras"
3 - Dar liberdade
4 - Deixá-los brincar

Muita da nossa felicidade futura, depende do grau de felicidade da nossa juventude.
Muitos pais, estão a criar autênticas flores de estufa, onde os meninos não podem dar um passo sozinhos, pois tudo é perigoso.

Não nos iludamos a vida que temos para viver é esta, se a vivemos com medo, não foi vivida a 100%.

Assim, aconselho todos os pais que deixem os seus filhos crescerem a brincarem na rua.
É preciso encher as ruas de crianças.

Que façam mais espaços abertos onde se possa jogar à bola, sem vedações... Na rua.

Sem comentários:

Enviar um comentário