15/05/2016

OpiniãoAMM: O Centro de Mem Martins está anémico!

Texto Paulo Marques
(comerciante)



Nos últimos anos sente-se Mem Martins a definhar. Qualquer pessoa que se passeie ao fim da tarde e ao fim de semana pelo Centro da Vila, sente um estranho sossego, que não o pode deixar indiferente, assustado e inquietado.

As conversas que se ouvem vão todas nesse sentido. O Centro da Vila está anémico, a morrer lentamente. Os estabelecimentos comerciais de referência e com valor acrescentado vão fechando a um ritmo assustador e o que se diz e ouve, com uma insistência preocupante, é o que mais seguirão.

A esta situação não será alheia a forte perda de população jovem que se tem verificado, a qual se deve a muitos factores: encerramento de muitas industrias, o envelhecimento, desertificação do centro da Vila e a crise económica.  

Os comerciantes de Mem Martins tem uma série reivindicações que será necessário analisar com urgência e discutir profundamente. 

Uma das reivindicações que considero justa e legitima é a criação de parques de estacionamento no centro da Vila e dotar as ruas centrais de parquímetros (com a primeira meia hora gratuita).

A Vila de Algueirão -Mem Martins precisa urgentemente de uma transfusão de vitalidade para diminuir o seu estado anémico e tal só será possível com novas ideias, muito dialogo, equilíbrio de posições e não mais importante com a colaboração de todos.  

Vamos dar Vida à nossa Vila ...........

4 comentários:

  1. Anémico, ou seja, acabou e nunca mais volta a ter a vida que teve, mesmo que se requalifique a estação e se possa voltar a passar de carro entre Mem Martins e o Algueirão. O Povo quer shopings, não se molha no Inverno e não sua no Verão, outros tempos.

    ResponderEliminar
  2. Parques de estacionamento no centro? A pagar? Só se for para afastar mais as pessoss para os centros comerciais. Ou então os desgraçados que deixam o carro para apanhar o comboio que paguem. É injusto. Façam mas é um jardim para as idosas como eu poderem conviver um pouco sem andarmos sentadas nas escadas ou muros como se vê por aí fora...
    Haja bom senso.
    E.s.

    ResponderEliminar
  3. E parques infantis decentes com espaço para estarem seguros nas suas brincadeiras? Há um espaço no Bairro de S. Carlos que até mete nojo, é só bichos, ratos, etc
    Infelizmente perdi a vontade de sair à rua em Mem Martins, já não dá para dar uma voltinha, ver montras que sem ser chinês /indiano/loja de €. Nem dá para ir ao cafezinho à noite porque é perigoso e image-se está tudo fechado precisamente por ser perigoso para os lojistas.
    O estacionamento é como se quer, a rua do pingo doce de S. Carlos que é a minha, é uma vergonha como deixam os carros para ir às compras e pior, com um estacionamento subterrâneo que é único nesta terra, onde está a civilização desta gente? Perdeu-se seguramente, estacionam em cima das novas passadeiras, dos passeios (o peão se quiser que vá para o meio da estrada), em frente a portões de acesso e pior de tudo isto atrás de carros estacionados que bem que apitam para sair mas bem têm que esperar que acabem as comprinhas. É muito triste e sinceramente só continuo a viver aqui porque gosto da minha casa senão nem olhava para trás

    ResponderEliminar
  4. O problema de Algueirão Mem Martins é comum a muitas outras freguesias. Em freguesias maiores como a "nossa" o problema é ainda maior. Falta planeamento e acima de tudo mais poder financeiro e de decisão para as Juntas de Freguesia. As Câmaras Municipais recebem o bolo do dinheiro dos contribuintes e depois dividem a seu belo prazer tendo em conta muitas vezes interesses que não são os das populações. As Juntas de Freguesia recebem poucas verbas, para além de terem que pagar as despesas correntes pouco sobra para projectos maiores. Não se compreende porque é que as Juntas de Freguesia são o parente pobre das instituições estatais quando na verdade são quem está mais próximo das populações...
    E não vale a pena pensarem que a regionalização seria a solução porque os problemas mantinham-se ou até se agravavam.

    ResponderEliminar